Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Prefeitura de Navegantes não vai renovar decreto que reserva áreas para desapropriações do aeroporto

23 de janeiro de 2015 9
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

O prefeito de Navegantes, Roberto Carlos de Souza (PSDB), decidiu não renovar os decretos que declaravam de utilidade pública a área que corresponde a 30% do projeto de expansão do Aeroporto Ministro Victor Konder e que ainda aguarda desapropriação. Os decretos vencem agora em janeiro mas, segundo ele, a renovação imediata é ilegal e só seria permitida no prazo de um ano após o vencimento. Sem os decretos, os proprietários ficam autorizados a fazerem uso das áreas da forma que bem entenderem.

No dia 13 de janeiro a diretoria de Planejamento e Gestão Estratégica da Infraero em Brasília enviou um ofício ao prefeito de Navegantes pedindo que os decretos sejam renovados e afirmando que a indisponibilidade das áreas inviabilizará a expansão do aeroporto, “comprometendo o desenvolvimento do sítio aeroportuário e a economia local”.

No documento, também afirma que a falta de recursos para o pagamento das desapropriações é “fato momentâneo” e reitera o compromisso de “buscar, com o apoio municipal e estadual, o aporte dos recursos necessários à efetivação das desapropriações”.

A Infraero questiona ainda a possível retirada da área em questão da Macrozona do aeroporto após as discussões do novo Plano Diretor do município. O prefeito, que respondeu esta semana ao documento, diz que isto não está definido e dependerá “da vontade da população”.

Futuro incerto

A não renovação do decreto é uma pá de cal nas intenções de ver o Aeroporto de Navegantes, que bateu recorde no número de passageiros no ano passado, ter a atenção – e a ampliação – que merece. O prefeito Roberto Carlos acusa a Infraero de “não ter cumprido nada do que foi combinado” e de não ter dado conta das desapropriações durante os cinco anos de duração do decreto.

Em julho, quando prefeitos e empresários da região reuniram-se com o presidente da Infraero, Gustavo do Vale, ouviram que a falta de recursos eram de fato, momentânea – e que se a documentação necessária para as desapropriações estivesse pronta três meses antes, o projeto teria saído do papel. Prova disso é que Joinville agilizou seus trâmites e conseguiu recursos para desapropriações nesse período.

O fato é que a prefeitura de Navegantes vive um caso de amor e ódio com o seu aeroporto. A prestação de contas das primeiras desapropriações, feitas anos antes, só foi concluída no atual governo. Depois disso, desentendimentos entre município e Infraero atrasaram a assinatura do convênio para desapropriar as novas áreas. O acordo só foi aceito pela prefeitura no último semestre de 2014, cinco anos após o início das negociações.

Diante da recusa da prefeitura de Navegantes em lançar novo decreto de utilidade pública para as áreas requeridas pela Infraero, o Governo do Estado ou a União podem fazer isso.
Por enquanto, não há movimentação nesse sentido.

“Não acredito”

Questionado sobre o risco do aeroporto ser transferido para outro município, com melhores condições para um terminal maior e mais bem equipado, a resposta do prefeito de Navegantes foi “não acredito, nossa condição em termos de aeroporto é a melhor de SC”.

Resta saber até quando.
>>> Leia mais sobre o Aeroporto de Navegantes

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (9)

  • A eleição passou, as máscaras caem!!! diz: 23 de janeiro de 2015

    como já era esperado, o governo mais uma vez golpeia o povo, empacando o desenvolvimento – penso que já passou o limite da incompetência – acho que é tem político com a foto do povo pendurada na parede e ele joga dardos pra ver se acerta bem na cabeça, alguma tara, algum problema mental…. não tem outra explicação tanta gente atrasando este país, atrasando, emperrando obras necessária para o desenvolvimento….

  • Franco diz: 23 de janeiro de 2015

    E lá vem a velha história de não preservar o espaço dos aeroportos, tanto na terra quanto no ar…

  • Catarinense diz: 24 de janeiro de 2015

    Parabéns prefeito! Vamos perder o aeroporto… É incrível como SC é o MELHOR ESTADO DO BRASIL, mas tem os políticos mais incompetentes. E quem se ferra como sempre é o nobre povo Catarinense, que historicamente já foi muito injustiçado e continua sendo…

  • Coletivo Barbosa diz: 24 de janeiro de 2015

    Como se vê, o sr. Prefeito mané, cercado de “aribus” que só pensam em continuar a “investir” na favelização daquela área, não tem a mínima competência política ou sequer capacidade intelectual para entender o futuro de toda a região sem a possibilidade de ali pousar “airbus”. Provavelmente para ele e seu qualificado “staff” as duas palavras signifiquem a mesma coisa. Lamentável.

  • Schell diz: 24 de janeiro de 2015

    Incrível a mesquinhez e o apequenamento desses ditos agentes políticos: fosse o mundo acabar enquanto detidos em algum cargo municipalesco; como se não houvesse futuro a ser desbravado desde já. Impressionam pela ignorância e pelo atraso generalizado que – sempre e sempre – os acompanha. Depois reclamam da sorte… Pobre Navegantes.

  • Dagoberto Blaese Jr diz: 24 de janeiro de 2015

    Infelizmente o aeroporto de Navegantes instalado no então bairro de Navegantes nos anos 60 pelo então Prefeito Lito Seata de Itajaí é visto como um extorno ao hoje Municipio de Navegantes .Não digo que vamos perder o aeroporto , mas estão querendo engessar o mesmo para sempre evitando seu desenvolvimento e sua segurança . Quantos municiípios Brasileiros gostariam de ter um acesso por via aérea e nós aqui com esta excelente opção de locomoção estamos observando com pesar o seu falecimento apesar de quase 1,5 milhão de usuários ano.
    Cemitério já temos aí em uma das cabeceiras da pista . Que vergonha com relação a história do Itajaiense Victor Konder , primeiro Ministro da Viação de nosso país que em 1927 pousou com o então hidroavião Atlântico no Rio Itajai Açú para mostrar que o transporte aéreo será uma alternativa viável a grandeza de nosso País . Que mentalidade pequena !!!

  • jean diz: 24 de janeiro de 2015

    A questão é investir em favela, que da voto fácil, agora estão incentivando os imigrantes, sem estudo, sem vontade de trabalhar pra vir pra Santa Catarina. Vão acabar com a nossa qualidade de vida.

  • rafael fernando silveira diz: 3 de fevereiro de 2015

    quero ver vender o m2 agora pelo mesmo preco que estava no edital !
    Infelizmente o Aeroporto eh o unico lesado.

  • Luiz diz: 13 de fevereiro de 2015

    alguem ja imaginou a possibilidade de que politicos locais estao esperando para ganhar vantagens financeiras com as indenizaçoes pagas pelas areas que ainda precisam ser indenizadas???? As pessoas comuns é que nao serão ou nao vao ganhar nada, mas quem possui casa ou terreno em area que devera ser desapropriada ( politicos ) esses tem algo a ganhar.

Envie seu Comentário