Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Casa da Cultura interrompe atividades e provoca polêmica

03 de fevereiro de 2015 1
Foto: Marcos Porto/Agência RBS

Foto: Marcos Porto/Agência RBS

A interrupção das atividades da Casa da Cultura Dide Brandão, em Itajaí, provocou manifestações da classe cultural nas redes sociais. Desde janeiro, a Casa parou de oferecer cursos, oficinas ou exposições. O local permanece aberto das 13h às 19h, mas somente para quem quiser conhecer ou pedir informações. A causa: uma notificação do Ministério Público para que a cidade cumpra lei de 2009, que prevê que o uso de espaços públicos passe por concorrência – o que até então não ocorria no local. A explicação é da Fundação Cultural.

O superintendente da fundação, José Amandio Russi, afirma que a notificação foi recebida em agosto do ano passado e reconhece a demora para solucionar o problema. Ele garante, porém, que o edital será lançado ainda nesta semana:

– Vínhamos fazendo esse edital desde que fomos notificados. Não lançamos antes porque estávamos discutindo a melhor maneira de contemplar o maior número possível de artistas. A lei prevê que ganhe a concorrência quem oferecer a maior porcentagem sobre o valor das aulas ao município. Mas não queremos apenas cobrar, queremos que a comunidade tenha acesso aos cursos por um preço abaixo do que é oferecido no mercado.

Com um novo ano começando, a administração decidiu paralisar as atividades até que a situação seja regularizada. Para Russi, o impacto nesse período é menor porque há pouco movimento e metade dos funcionários está em férias:

– Foi uma escolha. Temos quatro salas. Há cursos que duram três meses. Dificultaria fazer a adequação à lei com espaços já ocupados.

Prazo

Antes de ser lançado o edital deverá ser apresentado ao Ministério Público e ao Conselho Municipal de Política Culturais. A previsão da fundação é reabrir a Casa em março.

Falta diálogo

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

A interrupção da programação da Casa da Cultura veio a público nesta segunda-feira após manifesto no Facebook (foto ao lado). Uma das entidades participantes foi a Rede Itajaiense de Teatro. A principal reclamação: falta de informação. O vice-presidente do grupo, Laércio Amaral, soube pela reportagem a causa da pausa nas atividades.

– A abertura de concorrência é uma solicitação antiga e bem-vinda. Mas ninguém sabia explicar. Envíamos um ofício e até agora não tivemos resposta. O problema é o diálogo com a classe que não acontece – lamentou.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (1)

  • ANIRTO ERNESTO DA SILVA diz: 3 de fevereiro de 2015

    O cumprimento da Lei é necessário, porém a existência de nossa Casa da Cultura em
    Itajai e extremamente necessário, não são para os nativos, para por todos os artistas e
    visitantes, os turistas que nos visitam, mas principalmente as crianças, jovens que usam para complementar seus conhecimentos de arte e cultura.

Envie seu Comentário