Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Retorno de Elton Garcia à Câmara de Balneário Camboriú causa desconforto entre vereadores

03 de fevereiro de 2015 0
Foto: Marcos Porto/ Agência RBS

Foto: Marcos Porto/ Agência RBS

A primeira sessão de 2015 da Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú teve momentos de tensão na noite desta terça-feira. Além da volta aos trabalhos do Legislativo, a noite também reservou o retorno à casa do vereador Elton Garcia (PMDB), preso na Operação Trato Feito _ que investigou suspeitas de fraudes em licitações e foi deflagrada em setembro de 2014 _ quando ele era secretário de Obras do município.

Em seu discurso na tribuna, Elton não se furtou a falar sobre o processo. O vereador não deu detalhes, já que os trâmites seguem em segredo de justiça, mas reiterou a sua inocência.

_ Não me arrependo de nenhuma decisão que tomei. Sobre o processo, eu e os meus advogados vamos esclarecer tudo _ afirmou Elton em plenário.

O vereador ainda finalizou o seu discurso dizendo:

_ Nada melhor do que um dia após o outro.

Ele estava visivelmente nervoso e, apesar de ter escrito o seu discurso em um papel, se atrapalhou mais de uma vez com as palavras. Essa foi a primeira sessão extraordinária de que Elton participa desde que foi eleito em 2012. Antes, havia passado pelo Legislativo apenas para a posse – afastando-se em seguida para assumir a vaga no primeiro escalão da prefeitura – e para encaminhar pedidos de licença médica, em outubro e dezembro do ano passado, após a exoneração do cargo no Executivo.

O vereador Luiz Maraschin (PR), que subiu a tribuna depois de Elton, se disse constrangido por ter de conviver com o vereador na Câmara.

_ Me deixa constrangido, como homem de Balneário Camboriú, ter de conviver com o vereador Elton enquanto perdurarem as investigações sem estar definido se ele é inocente ou culpado _ declarou.

O parlamentar também questionou o PMDB, partido de Elton, sobre por quê a sigla não o afastou até que tudo seja esclarecido.

_ O PMDB deveria ter tido uma postura pública e dito que enquanto houver as investigações, que ele deveria ficar afastado _ sugeriu Maraschin.

Ele foi rapidamente aplaudido ao fim do discurso.

Claudir Maciel (PSD) foi além. Apesar de já ter falado, pediu novamente a palavra ao presidente da casa, o vereador Nilson Probst, e solicitou que a Câmara estude o afastamento do prefeito, Edson Piriquito, e do vereador Elton por causa da Trato Feito.

_ Temos que ter maturidade e conversar sobre esse assunto de uma maneira muito franca. Há um processo e não uma condenação. Quero propor, por questões regimentares, que esta casa estude o afastamento do prefeito e do vereador Elton. Não dá para dizer que o prefeito não sabia de nada — disse.

Por fim, Claudir anunciou que formalizaria o pedido da criação da Comissão de Ética, mas foi informado pela mesa diretora de que a formação da comissão já está bem adiantada.

Comente e compartilhe

comentários

Envie seu Comentário