Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Marinha nega revogação de licença para "Shed Al Mare", mas atribui o cancelamento à falta de segurança

12 de fevereiro de 2015 12

A Capitania dos Portos de Itajaí deu outra versão para o cancelamento da festa “Shed Al Mare”, que seria realizada neste domingo no Caixa d’Aço em Porto Belo. O comandante da Capitania em Itajaí, José Sávio Feres Rodrigues, alegou na tarde desta quinta-feira falta de segurança para as embarcações e para as pessoas como justificativa para a retirada da autorização.

— É um evento muito grande, envolvendo embarcações, em um espaço muito pequeno. Os frequentadores estariam sujeitos a ocorrência de incêndios e colisões, devido a proximidade entre as lanchas — disse.

::: Festa de Carnaval no Caixa d’Aço, Shed Al Mare é cancelada

Feres esclarece que um evento desse porte requer requisitos rígidos de segurança, como a necessidade de rotas de evacuação e equipe médica a disposição em caso de emergência.

— Na reunião ocorrida na terça-feira de manhã eles (a organização) não nos apresentaram isso (requisitos de segurança) de forma que convencessem a gente — justifica.

A Shed discorda. De acordo com o advogado da casa noturna, Rafael Pierozan, todo aparato de segurança exigido pela Capitania teria sido providenciado para evento, como UTI móvel com equipe de paramédicos em barco e em terra, helicóptero para resgate e lancha para combate a incêndio.

— A licença existia e foi revogada pela Capitania dos Portos. Nós desconhecemos os critérios técnicos que revogaram essa autorização. Eles não detalharam para a gente. Pode ter sido uma análise subjetiva do capitão dos Portos, até porque cumprimos com tudo o que foi determinado — argumenta Rafael.

No fim da tarde, a Capitania dos Portos de Florianópolis divulgou uma nota oficial sobre o cancelamento. No documento a Marinha nega ter revogado licença concedida anteriormente e afirma que a responsabilidade de autorização neste caso é da Superintendência de Patrimônio da União. Ainda conforme a nota, o órgão teria negado a licença com base em um parecer desfavorável da Marinha e por conta de uma ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal contra o evento.

No ano passado, uma liminar obtida pelo Ministério Público impediu o evento de acontecer em partes. A Shed, conforme o advogado Rafael Pierozan, cumpriu a determinação e não promoveu nem um show após a notificação pelo oficial de justiça, pouco antes de a festa começar. No entanto, o Caixa d’Aço estava lotado por centenas de embarcações. As pessoas que compareceram curtiram o carnaval no local ouvindo música de suas embarcações e consumindo a bebida que dispunham.

Confira a nota na íntegra:

A Capitania dos Portos de Santa Catarina esclarece que, no tocante ao cancelamento do evento “SHED AL MARE” previsto para ocorrer no dia 15 de fevereiro na Enseada da Caixa D’Aço, não houve revogação de autorização antes concedida.
A permissão para uso do espaço aquático é de competência da Superintendência do Patrimônio da União que encaminhou um Ofício a esta Capitania, em 28 de janeiro de 2015 , participando ter indeferido o pedido de permissão de uso formalizado pela empresa SHED, tendo em vista a existência da Ação Civil Pública nº 5007310-39.2014.204.7208/SC, de autoria do Ministério Público Federal.
Por outro lado, em Inspeção Naval realizada no local, em 07 de fevereiro de 2015, o próprio Capitão dos Portos constatou a grande concentração de embarcações que, naquele dia, estimava-se em 250. Estimava-se que no dia do “Shed Al Mare” estariam presentes aproximadamente 600 embarcações o que inviabilizaria a realização do evento tendo em vista a segurança da navegação e à salvaguarda da vida humana no mar, aspectos concernentes à responsabilidade da Marinha, motivos pelos quais emitiu parecer desfavorável à realização do referido evento.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (12)

  • Lelo diz: 12 de fevereiro de 2015

    Infelismente os contras do mar de Floripa chegou a Porto Belo,conforme o advogado Rafael cumpriu todos os requisitos da capitania,depois o SPU não autoriza porque tem uma ação,só que não foi julgada,então porque proibir. Estes eco chatos já passou do limite.

  • Carlos Leal diz: 13 de fevereiro de 2015

    Santa Catarina é considerado o Estado que nada pode ser realizado em nome da Preservação Ambiental ou da Segurança.
    O nosso Estado tem vocação para o turismo de evento, é o caso em questão, mas é fácil proibir eventos desta natureza do que administrar, considerando a incompetência do serviço público.
    Turismo em Santa Catarina é uma falácia.

  • Caroline diz: 13 de fevereiro de 2015

    Isso ai capitania!!
    Não a essas pessoas mal educadas!!
    Apesar de “ricos”, são porcos pois jogam lixo no mar, não respeitam as pessoas que moram ali e o mais perigoso, conduzem as embarcações extremamente embriagados.
    Tomara que a capitania não volte atrás desta decisão.

  • Teba Ferreira diz: 13 de fevereiro de 2015

    E agora , como em Jurere estas casas noturnas querem se apossar do mar agora para eventos em beneficio deles mesmo, era só o que faltava…

  • RICARDO NUNES diz: 13 de fevereiro de 2015

    Servi na CPSC , este comandantes estão lá pq tem amigos não por conhecerem algo, grande maioria não conhece nem a LESTA E RIPEAM, a Capitania dos Portos é comandada por um bando de incompetente e prepotentes.

  • Xéd diz: 13 de fevereiro de 2015

    Uma dúvida que tenho: como a Shed lucraria com isto? Cobrando para “entrar” neste pedaço do mar? Vendendo bebidas para quem não levou?
    E se eu quiser atracar minha lancha, e com minhas bebidas, passar o dia ali?

  • Rafael diz: 13 de fevereiro de 2015

    Parabéns pelo cancelamento deste evento. Concordo plenamente.

  • Marco diz: 13 de fevereiro de 2015

    Um belo local em risco de ser destruído pela playboyzada…

  • Cora Danovella diz: 13 de fevereiro de 2015

    Deixa os pobres coitados brincarem no cachacasso, afinal eles precisam colocar conteudo nas redes sociais… Ah, vidinha futil…

  • Boni diz: 13 de fevereiro de 2015

    P conhecimento

  • RAGE diz: 13 de fevereiro de 2015

    kkkkkkkkkkkkkkk… Bem feito para os egocentricos de plantão!! Tem mais é que cortar essa raça mesmo, quer causar no mar pega o iatch e vai pra alto mar playboy! Perfeita a decisão da marinha! Tem que acabar com essa palhaçada que está o nosso litoral catarinense, totalmente desgovernado e sem noção!! A próxima medida que deveriam tomar é acabar com essa aberração de prédios de 350 andares na beira da praia e toda essa especulação imobiliária. Já visitei vários estados e praias em outros países, e nunca vi tamanho desrespeito para com a natureza e harmonia, como o que ocorre em grande parte do nosso litoral!! Salve SC já!!!

  • Arizoli diz: 13 de fevereiro de 2015

    Tá cheio de lotes por aí que precisam de uma boa capinada. Não precisa de nenhuma autorização para isso. Algum voluntário???

Envie seu Comentário