Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Falta de incentivos faz oficiais da PM recusarem posto de comandante

04 de março de 2015 18

As últimas nomeações de comandantes para a PM no Litoral foram uma tarefa difícil para o comando geral. A falta de incentivos financeiros e da exigência de ocupar o cargo para pleitear promoção estão fazendo muitos oficiais “fugirem da raia”.

Outro motivo seria a dificuldade de lidar com a difícil equação do aumento de ocorrências versus redução de pessoal, que atinge vários batalhões pelo Estado.

A lista de policiais graduados para comando de batalhões tem mais de 100 nomes e, ao que consta, ultimamente o desinteresse predomina.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (18)

  • Antônio Carlos S. Siqueira diz: 4 de março de 2015

    Será que a falta de continuidade nas ações policiais através do Judiciário não tá tirando o gosto pela coisa desses policiais ?
    Aquela famosa situação de “enxugar gelo” deve tirar o ânimo.

  • Luciano diz: 4 de março de 2015

    Esse é um bom contexto, mas esse desinteresse não fica tão somente na classe dos oficiais da Policia Militar, a linha de frente desta corporação, os Praças, tem menos incentivos financeiros que os oficiais. A falta de incentivo financeiro, ocorre em toda a segurança pública do estado. Acredito que o que mais dificulta é em relação a mídia, que sufoca o comando com seus questionamentos descabíveis, ou seja, se aumenta o índice de furtos e roubos, a impressa já vai correndo “cobrar” soluções. Visto que estas “cobranças” tem que ser feito junto ao governo do estado, pois, o numero de policiais é bem simplificado, ao que se faz necessário. Vejo a segurança pública sim, com dificuldade de ter animo para o combate, justificado sim pela falta de remuneração de qualidade. O estado de Santa Catarina tem um efetivo de qualidade e com muita competência, basta serem valorizados.

  • fernando diz: 4 de março de 2015

    Ué !!!! não batem no peito e não vivem vangloriando a farda? Os PMs que conheço principalmente os oficiais do tempo da academia , na grande maioria são policiais natos, e olha, pelo que vejo e sei, ganham muito bem, vão correr da raia agora no final? A sei o grande problema é misturar policia e politica, entendi …

    Com todo respeito aos meus amigos oficias, esse sistema de vcs esta bem ultrapassado.

  • Diego Silva diz: 4 de março de 2015

    Muito cacique pra pouco índio. Traduzindo, muito oficial e poucos praças, que realmente fazem “ a frente” contra o crime.

  • PAULO EDUARDO diz: 4 de março de 2015

    Srs. acontece que na PM quem trabalha no operacional nao é reconhecido e deixado de lado….com o sistema judicial de hoje nao tem mínima condição de levar segurança a comunidade. Péssimas condições de trabalho, influencia politica enorme dentro da PM…nao se da chance aos novos Oficiais. Gente antiquada na cúpula que já era para estar a muito tempo aposentado. Um “caminhão” de policiais indo para a reserva insatisfeitos.

  • Marcos diz: 4 de março de 2015

    Diego Silva, tá bem mal informado. O efetivo de Oficiais corresponde de 5 a 6% do total da PM, hoje.

    Quem estará motivado a assumir um posto para administrar falta de efetivo, falta de recursos, escalada da criminalidade, falta de amparo governamental, bombardeio da imprensa e desmotivação da tropa, que prende o mesmo criminoso 30 vezes em um ano (assaltante que fica preso um ano e sai beneficiado por ter cumprido 1/6 da pena)… para ganhar 500 reais a mais??

    Não paga o stress e os remédios que virão no caminho.

    Fernando, oq sistema não está ultrapassado. Não adianta nada fazermos nosso trabalho se menores de idade podem fazer o que querem e se juízes garantistas (lobotomizados pela idelogia acadêmica dos direitos humanos) estão mais preocupados com os criminosos do que com a sociedade vítima desses “marginalizados”.

    A GRANDE VERDADE É QUE NINGUÉM AGUENTA MAIS TRABALHAR EM VÃO.

    E o problema está fora de nossas mãos, prezado ELEITOR!

  • Verdade diz: 4 de março de 2015

    Diego Silva…
    Você tem certeza de que sabe do que você está falando????
    Acho que não sabe.
    O efetivo da PM hoje tem a seguinte distribuição: 94% são Praças e 6% são Oficiais.
    Você acha que é muito cacique para pouco índio????
    Este índice está dentro dos parâmetros ideais previstos nas melhores práticas de administração.

  • Aloisio diz: 4 de março de 2015

    Ganhando no minimo 12 mil é pouco para assumir uma chefia, ainda mais agora que falta efetivo e os oficiais tem que começar a pensar e articular escalas de serviço, antes era fácil escalar e pronto, hoje as coisas mudaram e não são mais assim, aí falam em falta de incentivo? 2º Ten com 3 anos de serviço ganhando hoje 12 mil, então troque com o soldado na linha de frente e ganhe menos mas…

  • Valder diz: 4 de março de 2015

    Há uma desconstrução crescente da polícia catarinense desestimulando a atividade policial de forma generaliza. E quando isso ocorre junto com a debandada dentro de um efetivo já insuficiente, o povo corre mesmo. Não é só falta de incentivo, como aponta a postagem da Dagmara: o assédio moral de políticos ligados ao governo está abalando a tropa. Qualquer um que tenha o celular do governador ou de um deputado forte da base está fazendo comandante dançar chula, tango e balé a hora que quiser. Não se respeita mais a farda de um oficial ou o distintivo de um delegado. Por isso ninguém quer o posto…

  • Luana diz: 4 de março de 2015

    Se para eles está difícil, imagina para os praças que estão todo dia na rua, vendo e vivendo a coisa, sentindo na pele as dificuldades da briosa, se para quem normalmente fica no ar condicionado, já está ruim, imagina para quem tem que ir pra rua, faça chuva ou faça sol, com farda, colete balístico, coturno e mais cinto e armamento? Pra esses sim falta incentivo, treinamento adequado e VALORIZAÇÃO.
    Obs.: não sou policial não, antes que já venham criticar, só acho justo que quem merece, seja defendido.

  • Pensador diz: 4 de março de 2015

    A coisa tá bem pior, se para oficiais tá ruim,imagina para os praças.
    Até para pedir uma farda eles perguntam para que você quer uma farda nova.
    Os destacamentos no Estado na maioria vive de ajuda da sociedade, ou seja, de esmola, quando estraga ou precisa-se comprar algo.E por aí vai.

  • João Carlos Feliz diz: 4 de março de 2015

    Ei gente vamos parar com esse pensamento negativo…tá tudo muito bem, o Brasil tá uma maravilha…tudo é muito lindo.. as cadeias são maravilhosas… os policiais militares são muito valorizados e respeitados por essa sociedade educada e respeitadora…. FELICIDADES A TODOS… O QUE IMPORTA É SER FELIZ!!!!!

  • João Carlos Feliz diz: 4 de março de 2015

    Ei, vamos olhar as coisas com bons olhos… tá tudo muito bem… a economia está uma maravilha e nossos policiais são valorizados e respeitados por esta sociedade educada e cumpridora de leis e obrigações…FELICIDADES A TODOS!!! O IMPORTANTE É SER FELIZ!!!

  • Filipe diz: 4 de março de 2015

    É meus amigos, não está fácil encontrar corajoso que queira “chupar esta manga”. Falta de efetivo, uma lei que engessou completamente as escalas, fim de horas extras, falta de ferramental, cortes cada vez maiores nos orçamentos, contingenciamento…tudo isso aliado à inoperância do sistema judiciário, bombardeio da imprensa…ser Comandante não és estar na linha de frente, mas assumir a responsabilidade muitas vezes de forma solidária por tudo o que acontece, e ter que proporcionar condições para que o serviço não pare, siga na normalidade, perante todo este caos, sem direito de reclamar e falar nada. É não ter descanso 24, é telefone o tempo todo ativo e muita separação, pois está difícil achar mulher que divide o marido com o trabalho deste jeito. Como dizia um conhecido meu, ser Comandante é “comprar rifa de pica: um dia você ganha”. Uma pena.

  • Mari Huanna diz: 4 de março de 2015

    é assim que os bandidos e traficantes gostam: poucos policiais, policia sem comando e leis frouxas que nao deixam o bandido preso… quem vai pegar este abacaxi? quem poderá nos defender? eu, xatolin colorado…. cada morador deve se mexer e contratar vigilancia privada, viveremos num caos… agora, se fosse pra pegar um cargo aspone na prefeitura pra ganhar 20 mil, dai eles queriam….

  • Maicon Ferreira diz: 4 de março de 2015

    Delegados e oficiais ganhando cerca de 20.000 reais e agentes e soldados ganhando 3.800 reais…se ta ruim pra eles imagina pros agentes e soldados…

  • Mauro Silva diz: 4 de março de 2015

    Aos que comentaram que praça e agente estão mal e os oficiais e delegados estão bem na questão salarial: O CONCURSO ESTÁ ABERTO PARCEIRO!!! Ridículo quererem subir na vida na base do grito. VÃO ESTUDAR CAMBADA DE VAGABUNDO. Nunca vi oficial de justiça ou analista do judiciário insinuarem em tomar o lugar do juiz. E eles sim fazem todo o trabalho.

    O PROBLEMA É A PREGUIÇA NO CORPO DOS PRAÇAS E AGENTES!

  • Janaina Ferreira diz: 5 de março de 2015

    Falta de incentivo, 17.000,00 é pouco? Pouco é o coitado do praça que fica lá correndo atrás do ladrão, levando tiro suando a camisa por 3.500,00… Oficiais, munição da mídia não mata, sabiam?

Envie seu Comentário