Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Ministério da Aviação busca alternativas para ampliação do Aeroporto de Navegantes

05 de março de 2015 17
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

O prefeito de Navegantes Roberto Carlos de Souza (PSDB) se encontrou na quarta-feira com o ministro-chefe da Aviação Civil, Eliseu Padilha, para tratar da ampliação do Aeroporto de Navegantes. Voltou para casa com o mesmo parecer que tinha ouvido em julho do ano passado: a Infraero não tem recursos para pagar pelas desapropriações dos terrenos que ainda faltam para complementar a área necessária ao projeto, avaliadas em mais de R$ 100 milhões.

O ministro ficou de estudar outras possibilidades para garantir que a obra saia do papel. Uma delas é a entrega da estrutura à iniciativa privada (possível mas pouco provável, já que o investimento a ser feito em Navegantes é bastante elevado).

Outra solução seria um novo projeto, com uma pista menor, que coubesse na área já desapropriada – o que não resolveria a demanda da região por um aeroporto maior.

Assim como o ministro anterior, Eliseu Padilha sugeriu que, para agilizar o processo, a prefeitura busque o recurso em outras fontes, como o governo do Estado. O prefeito Roberto Carlos desconsidera a hipótese por acreditar que dificilmente a proposta seria aceita.

O único passo à frente foi em relação à transferência dos terrenos indenizados. A Infraero deverá agilizar o levantamento topográfico para que as terras sejam cedidas pelo município à União. Há temor de que as áreas possam ser alvo de invasão, o que atrasaria ainda mais o processo.

O prefeito de Brusque, Paulo Eccel, acompanhou a reunião. A comitiva de Navegantes também incluiu o vice-presidente da Associação Empresarial (Acin) para assuntos aeroportuários, Vinício Bortolatto, o vereador Murilo Cordeiro (PT), o secretário de governo, Cassiano Weiss e o deputado federal Décio Lima (PT), que intermediou o encontro.

Sem decretos

Em janeiro o prefeito Roberto Carlos decidiu não renovar os decretos que declaravam de utilidade pública a área de interesse da Infraero que ainda precisa ser indenizada. Sem os documentos, os proprietários ficam autorizados a fazerem uso das áreas da forma que bem entenderem.

A diretoria de Planejamento e Gestão Estratégica da Infraero em Brasília enviou um ofício a Roberto Carlos afirmando que a indisponibilidade das áreas inviabilizará a expansão do aeroporto. O prefeito insiste que não há previsão legal para prorrogação dos decretos.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (17)

  • MARCELO IVO MELO VANDERLINDE diz: 5 de março de 2015

    “Eliseu Padilha sugeriu que, para agilizar o processo, a prefeitura busque o recurso em outras fontes, como o governo do Estado. O prefeito Roberto Carlos desconsidera a hipótese por acreditar que dificilmente a proposta seria aceita”.

    O prefeito está com preguiça de pedir auxílio ao Governo do Estado?

  • Paulo Roberto diz: 5 de março de 2015

    Fato, esse prefeito de Navegantes tem preguiça de buscar outras alternativas e fica esperando as coisas cairem do céu como se todos tem obrigação de oferecer ajuda.
    Se pelo governo federal não há recursos, ele que busque outras formas, afinal de contas tem o Governo do Estado que pode ajudar.
    Mas acredito que a principal falta de vontade politica parte justamente do “dono” da casa.

  • Anderson diz: 5 de março de 2015

    Que pisada! Navegantes tem tudo para ser uma potência, poxa, que falta de atitude desse prefeito! Por isso a cidade é raquítica, não desenvolve assim como outras aqui na região por descaso, por não se mexer para fazer algo em benefício da cidade, e dele mesmo, porque geral ganha com isso!

  • Fugazza diz: 5 de março de 2015

    Na minha opinião, deveriam construir um novo aeroporto no lado de cá da vala, em Itajai, ou nas arozeiras da Itapema. Vão ficar de blablabla mais uns 10 anos, e nada vai mudar. Derruba tudo e deixa a área para invasão mesmo. Pra que aeroporto em Navegantes?

  • Schell diz: 5 de março de 2015

    Funciona assim: os terrenos, cujos proprietários já foram notificados da ação de desapropriação, a partir de tal, ficam proibidos de os venderem e, mais, sabem o quanto receberão pelos mesmos; como o dito prefeito não renovou as ações de desapropriações, os agora proprietários ficam disponíveis (apenas) para novos valores: restaria saber quantos daqueles terrenos foram comprados após a ação de desapropriação, e por quem, pois, esses é que ganharão fortunas pela não renovação… Bando é pouco.

  • Osmar Nunes Filho diz: 5 de março de 2015

    A solução e a privatização, assim vai andar rápido quando privatizar.
    Com a situação do momento sera difícil vamos ter que ficar como esta.

  • Ademilson diz: 5 de março de 2015

    Comprem outro terreno lá para Ilhota e façam um aeroporto de grande porte, capaz de atender Itajaí, BC e Blumenau. Depois, vendam o terreno de Navegantes e façam um bom dinheiro.

  • José Weber diz: 5 de março de 2015

    Deveria ser iniciado as obras do Aeroporto no terreno adquirido peara esse fim pelo governo do Estado em Piçarras/Barras velha e desativar o de navegantes/SC.

  • Dagoberto Blaese Jr diz: 5 de março de 2015

    Enquanto prefeitos de Itajai, Baln Camboriu, Penha, Ilhota , Gaspar , Blumenau , Pomerode, Indaial , Rio do Sul entre outros que compõem o Litoral Norte Catarinensr e o Verde Vale do Itajai e seus afluentes não se engajarem neste luta não vai acontecer NADA. Infelizmente o aerop Min Victor Konder esta para ser engessado e tomado por posseiros evitando para sempre o seu desenvolvimento a altura da “pujante” região de SC onde se localiza.Triste realidade num aeroporto que movimenta quase 1,5 milhão de usuários ano .

  • roberto diz: 5 de março de 2015

    Esse prefeito de Navegantes é muito tapado mesmo, será que ele não percebe que a ampliação do aeroporto é do interesse de toda região. Deveria ter formado uma ampla comitiva com os prefeitos de Itajaí, Brusque, Blumenau, Balneário, Gaspar, Itapema, Penha, etc.

  • cesar diz: 5 de março de 2015

    Meu Deus do céu! O Roberto Carlos está perdendo a maior chance de sua vida e não vê que esse assunto deveria ser prioridade de seu governo. A cidade de Navegantes iria dar outro salto de desenvolvimento que seria maior que a foi o de implantação da Portonave. Imagine um terminal de cargas para competir com o de Vira Copos em Campinas em pleno Vale do Itajaí? Ele tem que mobilizar os demais prefeitos e ir para Floripa e exigir ajuda do Estado e dos municípios da região. LARGA DE SER PREGUIÇOSO PREFEITO!!!

  • Carlos diz: 5 de março de 2015

    Fugazza, deveriam mesmo fazer em Itapema, no meio do teu CU. Vai estudar geografia que sabera porque esta na melhor opcao.

  • Ricardo F diz: 6 de março de 2015

    O governo federal e estadual não tem nem verba pra duplicar a BR 470, quem dirá terminar essa obra no cronograma previsto, agora imaginem ampliação de aeroporto. Não é questão de buscar ou não recursos, fato é que há interesses políticos e pessoais nesse negócio. Como se não bastasse, vivemos em país atrasadíssimo, em infra, em população, e nação. Não percam tempo com bobagem como essa, levara anos. E quem vai se ferrar nessa história toda seremos nós. Somente nós. Infelizmente.

  • Silveira diz: 6 de março de 2015

    As passagens para embarque em Navegantes sempre são mais caras que em Floripa, não consigo entender porque ? Alguém sabe me explicar ?

  • Marco diz: 6 de março de 2015

    Ouvi falar da existência de um projeto de implantação de um mega aeroporto entre Guaramirim e a BR101. Seria ótimo pois, atenderia Joinville, Jaraguá do Sul, Blumenau com uma maior oferta de vôos tendo em vista a demanda.
    A área é rural e as desapropriações mais fáceis e baratas

  • Rafael Fernando Silveira diz: 9 de março de 2015

    De novo essa novela ? Eh possivel isso ? Ano passado fizemos a mesma ladainha. Identica. Culpa tua, culpa minha, culpa de fulano e culpa de ciclano. O ano passou e nada. Nem previsao de solucao desta vez. E o prefeito ?

  • jardel diz: 7 de setembro de 2015

    vamo vender navegante e o melhor a fazer .

Envie seu Comentário