Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Três cidades brasileiras concorrerão com Itajaí para nova edição da Volvo Ocean Race

07 de abril de 2015 10
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

Itajaí deve enfrentar concorrência forte se quiser emplacar novas edições da Volvo Ocean Race. Pelo menos outras três cidades brasileiras já demonstraram interesse em receber o evento, que por aqui tem previsão de atrair mais de 300 mil pessoas nesta edição.

Uma cláusula de confidencialidade não permite que os nomes das concorrentes sejam divulgados. Mas há boatos de que entre eles estariam Recife (que desistiu na última hora de receber uma parada nesta edição) e o Rio de Janeiro, que já foi sede da regata em outras edições.

Entre junho e dezembro ocorrerão as negociações para definir os próximos destinos. Knut Frostad, CEO da Volvo Ocean Race, diz que a organização está bastante satisfeita com Itajaí e que a cidade continua sendo forte candidata, mas afirma também que a prova está sempre em busca de novas oportunidades – a ideia não é necessariamente mudar de lugar, segundo ele, mas manter a motivação nos portos de chegada.

Estrutura e capacidade de financiamento também entram na conta.

Itajaí, que tem fama de ser a mais receptiva parada de toda a regata e é considerada uma das melhores pelos velejadores (justamente devido ao assédio do público), leva vantagem nesse quesito. Mas a falta de opções de hospedagem 4 e 5 estrelas, que são preferência da organização, ainda é uma dificuldade a ser enfrentada.

Frostad observa que a cidade evoluiu em relação a 2012, quando foi preciso hospedar alguns dos convidados em Florianópolis.
Uma série de fatores será determinante na escolha dos destinos.

Mas é fato que, se quiser sediar mais uma vez a Fórmula 1 dos Mares, Itajaí precisará de investimentos que dependem mais da iniciativa privada do que do setor público.

 

::: Leia mais sobre a Volvo Ocean Race

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (10)

  • Becker diz: 7 de abril de 2015

    Os organizadores estão de sacanagem né.
    Levar para o Rio, que só sabe falar de futebol…seria muito triste, creio que isso é desculpa, lá rola mais din din com certeza, e a prova disso é que a imprensa nacional pouco fala sobre esse maravilhoso evento em nossa região, querem que o sul principalmente SC fique sempre na zona morta, pois não aceitam o potencial que temos, tanto humano como natural.
    Que vão para o Rio navegar no esgoto

  • sandro diz: 7 de abril de 2015

    Concordo com o Becker, o WCT foi retirado de SC, os organizadores com certeza ganharam porem o esporte perdeu, pois acontece em merrecas de ondas que mais parecem uma pororoca. Com certeza vão retirar o Volvo Ocean daqui, pois ja ganharam o que queriam, afinal estamos no pais das “oportunidades” ou dos oportunistas?

  • Vilmar Boni diz: 7 de abril de 2015

    Não há como negar a imperiosa necessidade de Itajaí oferecer hotelaria de melhor qualidade. Já está na hora do empresariado hoteleiro agir. Uma cidade com a pujança de Itajaí não possuir sequer um hotel de qualidade superior pode, realmente, prejudicar a viabilização de grandes projetos esportivos e turísticos. Temos todas as condições de continuar sediando uma etapa desta impressionante regata. Falta apenas visão empresarial estratégica, especialmente na oferta de excelentes serviços de hospedagem.

  • Roberto diz: 7 de abril de 2015

    O pessoal que comenta aqui é inocente, não sabe que para sediar basta apresentar estrutura e pagar $$$ para a empresa que promove o evento, Itajaí só não sedia se não pagar, o governo do estado junto com a prefeitura largam uma baita quantia na mão desses organizadores.

    O prefeito do Rio Eduardo Paes tentou levar esta edição a 2 anos atrás, mas não pagou e preferiu gastar o $$$ em outras coisas, copa e olimpíada.

    Recife também, o Brasil poderia ter duas etapas e Recife também confirmou, seria a segunda parada no Brasil depois de Itajaí mas na hora de assinar e pagar $$$ recuou, direcionou o dinheiro para outras coisas.

    Enfim, a Volvo não esta em Itajaí por que a cidade é boa e sim por que pagaram.

    Se eles estão falando que busca novos portos é por que alguma prefeitura já esta pagando mais do que Itajaí pagou por esta edição e caberá a Itajaí no mínimo empatar o valor do investimento.

  • Venicio diz: 7 de abril de 2015

    A imprensa também ajuda…precisamos acabar com o localismo midiático e divulgar “DE VERDADE” como um evento de Santa Catarina. Somente nesta edição é que o grupo RBS acordou para o evento…No anterior parece que nada estava acontecendo em Itajai… desta vez, no dia da chegada, o DC até publicou o evento na contra capa, já considero isso uma vitória… agora se o evento fosse em Florianópolis seria outra história…gente, pelamordedeus, este é um evento classe mundial, merece mais que isso!

  • Roberto diz: 7 de abril de 2015

    Existe sim hotéis muito bons Entre Itajaí e BC. Citarei dois: Felissimo Exclusive Hotel e Infinity Blue Resort & Spa. E parem de bla bla bla…Esta mania de quererem tirar os eventos do SUL. Foi assim com o Ironman 70.3 de Penha, entre outros eventos…Será que o empresariado daqui não tem força para mantê-los?

  • Quem da mais? diz: 7 de abril de 2015

    a escolha da cidade vai depender do valor a ser pago pra empresa que patrocina a corrida, quem molhar mais a mao, leva…. outras cidades tambem merecem este evento…

  • Ermenegildo diz: 7 de abril de 2015

    GRANA…GRANA…quem pagar mais… $$$$$$$ ….leva. Esse negócio de hotel, blá’,blá,blá..é desculpa para justificar. Quem pagar mais leva. Ou quem sabe é pelos “lindos olhos de Itajaí….

  • Elizabeth dos Santos diz: 7 de abril de 2015

    Estive nas duas Volvo Ocean Race, em 2012 e 2015 e posso falar e que enumerar os diversos problemas que ocorrem em Itajaí: um dos mais graves é o amadorismo, o atendimento é péssimo, para começar na área da cervejaria, faltou luz, o chope estava quente, bom para os europeus, não para os brasileiros que preferem um chope bem gelado, a educação de algumas atendentes deixou-me envergonhada em ser brasileira, cheguei a ser xingada por uma das atendentes pois solicitei água mineral com gaz e entregaram-me água sem gaz e pedi para trocar e as atendentes faram mal criadas por esse simples fato; outro fato gravíssimo são a questão de aceitarem apenas os cartões Visa e Mastercard e não aceitaram os cartões American Express que é internacional e principalmente os cartões Travel Money que é o cartão de viagem, afinal esse evento é internacional. No segundo em uma das cafeterias simplesmente não tinha café, a máquina quebrou, o restaurante da cozinha brasileira me assustou, entre os pratos estava linguiça a R$ 22,00 quinhentas gramas, fora o cardápio era vergonhoso, o Brasil e Santa Catarina tem muito mais que apresentar. Vamos agora ao local da estrutura do evento, na primeira chuva o que mais tinha era poça de água, em uma cidade com dengue. Tinha funcionários com rodo tentando puxar a água, não sei para onde, fiquei até com pena dos funcionários, faltou água no banheiro feminino, não tinha sabão líquido em alguns banheiros e por ai vai a desorganização, Mas vamos ao mais grave: horas antes da chegada as pessoas não sabiam onde os veleiros e velejadores iriam chegar, onde seria a apresentação e premiação, sei que não daria para todos estarem perto, por isso faltou telões em diversas locais de eventos, onde todos que lá estavam pudessem ver, até os próprios repórteres estavam perdidos, como baratas tontas eu só sabia o local exato porque fui atrás de informação, e quando eu estava em um bom local para ver a chegada, apareceu na frente das pessoas que estavam ali esperando a quase uma hora, primeiro a brigada de incêndio, que não tinha necessidade de está ali, simplesmente tiraram uma folguinha e ficaram lá assistindo a chegada dos barcos, portanto se ocorresse um incêndio até reunir esse pessoal pegar o equipamento para apagar o fogo, nós estaríamos perdidos, por último foi a falta de educação e preparo dos escoteiros de Itajaí, que não é culpa deles e sim que comanda, que estão bem despreparados, pois bem melhor parar por aqui eu garanto que tem bem mais motivos da regata sair de Itajaí para outras cidades, pois realmente o amadorismo é gritante.

  • Zezinho da Maré diz: 8 de abril de 2015

    Olha, acabou a VOR. Vamos aos fatos: Os gringos já estão sabendo através da CIA que em Itajaí existe uma epidemia de 1.200 mosquitos da dengue, escorpiões, falta de médicos psiquiatras para 1.800 doentes mentais, não existe o Centro Integrado de Saúde do São Vicente, falta de medicamentos nos postos de saúde de são joão, são judas e CODIN; e finalmente, ao lado da Stop Over, existe um Mercado Público Municipal Abandonado. Ah! E a Marina que virou privada com concessão do Porto de Itajaí de um bem público de domínio da união. Tchau: a Volvo Ocean Race já foi para o Recife.

Envie seu Comentário