Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Escalas de cruzeiros mostram falta de coerência entre números e investimento

25 de maio de 2015 1
Foto: Marcos Porto, Arquivo

Foto: Marcos Porto, Arquivo

 

Que o número de escalas de transatlânticos vem caindo ano a ano, não é novidade. Mas o curioso dessa história toda é que enquanto Itajaí terminou a temporada de cruzeiros com 27 atracações, os terminais do Nordeste do país, onde é forte o apelo turístico, somaram juntos 91 escalas –75 delas em Salvador. Fortaleza (CE), por exemplo, não passou de três.

Sinal de que não estamos tão mal assim.

Os terminais nordestinos estiveram entre os principais beneficiados do PAC-Copa, programa do governo federal que pegou carona com a Copa do Mundo para desenvolvimento. Salvador recebeu R$ 40,7 milhões. Recife, que teve só sete escalas na temporada, R$ 28,8 milhões. Fortaleza, com suas três escalas, recebeu investimento de R$ 205 milhões.

Em Itajaí, o Terminal de Passageiros é mantido exclusivamente pela Superintendência do Porto de Itajaí, que foi municipalizado.
Os recursos vêm da arrecadação da tarifa portuária decorrente da atracação de transatlânticos.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (1)

  • agnaldo hilton dos santos diz: 26 de maio de 2015

    Bom dia, com referencia aos transatlantico gostei da matéria, poderíamos cada vez mais aumentar as escalas. Claro que estamos trabalhando no limite em função do atraso das obras da bacia de evolução, em tambem no futuro complexo do novo píer, quem sabe lá nos próximos anos possamos cada vez mais. Ainda estamos trabalhando para somar ou seja aumentar as escalas de 2015/2016. Obrigado

Envie seu Comentário