Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Saída de empresas de importação acende alerta na economia em Itajaí

25 de maio de 2015 5
Foto: Lucas Correia, Especial

Foto: Lucas Correia, Especial

 

A debandada de empresas especializadas em importação tem causado preocupação em Itajaí. Pelo menos 10 deixaram a cidade nos últimos meses, e a maioria não viajou para longe: com exceção de um escritório, que partiu para Recife (PE), os demais se instalaram em Itapoá e passaram a operar pelo porto local.

O principal motivo para a mudança foi a demora na liberação de cargas, em especial as que demandam fiscalização especial. De um lado, há falta de fiscais para dar conta do trabalho na Anvisa e no posto do Ministério da Agricultura. De outro, uma fiscalização mais rigorosa da Receita Federal para as cargas que exigem uma averiguação detalhada do contêiner. Uma adequação à qual todos os portos terão que passar mais cedo ou mais tarde.

O fato é que, para algumas cargas, o prazo de liberação em Itajaí chega a ser até três vezes maior do que no Porto de Itapoá. Numa tentativa de resolver o problema, a Associação Empresarial de Itajaí levou a demanda para Brasília.

Recentemente o Ministério da Agricultura teria anunciado possibilidade de remoção interna, o que abre espaço para preenchimento de vagas por aqui. O setor tem apenas um servidor lotado em Itajaí.

Em relação à Anvisa, a falta de nomeações no alto escalão tem travado a negociação.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (5)

  • RAGE diz: 25 de maio de 2015

    Esse é o “bacil”!! Já passou da hora de uma reforma portuária! Enquando na Europa as mercadorias chegam no porto e saem no caminhão em um tempo médio de 24 horas, aqui no “bácil” é de uma semana!

  • r. da costa diz: 25 de maio de 2015

    Correção: Recife em PE, não no (CE), como está publicado na matéria.

  • Comer diz: 26 de maio de 2015

    Não se pode fechar os olhos para o aumento abusivo das tarifas portuárias em Navegantes e Itajaí nos últimos anos. Isso ninguém comenta. O poder público tem sim a sua parcela de culpa e contribuição, pois ficou provado em administrações anteriores e recentes que épossivel agilizar as liberações, mas essa debandada de empresas importadoras do complexo portuário de Itajaí se deve, em especial, a elevação dos custos portuários. O complexo portuário de Itajaí se equipara hoje as custos portuários de Santos. Várias empresas de São Paulo que há pouco mais de 10 anos atrás vieram para Itajaí atraídas pelo incentivo fiscal do Governo de SC, vieram também atraídas pelo baixo custo da tarifa portuária e atualmente, nem o incentivo fiscal está fazendo a diferença.

  • Atraso nas liberações de carga pode deixar Complexo Portuário fora da migração de cargas para SC | Guarda-sol diz: 29 de maio de 2015

    […] ::: Leia mais sobre a saída de empresas de Itajaí […]

Envie seu Comentário