Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 3 junho 2015

Adolescente de Itajaí escreve carta ao governador Raimundo Colombo pedindo solução para a greve dos professores

03 de junho de 2015 5
Foto: Reprodução Facebook

Foto: Reprodução Facebook

 

Uma aluna do Ensino Médio da escola Professor Henrique da Silva Fontes, em Itajaí, escreveu uma carta ao governador Raimundo Colombo (PSD) pedindo que entre em acordo com os professores estaduais que seguem em greve.

No texto, Carolynne Machado, 16 anos, diz apoiar a luta dos professores e afirma preocupação com a indecisão. Ela está no terceiro ano e, em breve, tentará entrar na universidade.

Os professores reúnem-se nesta sexta-feira para avaliar a proposta feita pelo governo e a expectativa é que a paralisação, que já dura mais de dois meses, esteja perto de terminar.

Leia a carta:

“Vossa Excelência Governador Raimundo Colombo. Sou concluinte do ensino médio da Escola de Educação Básica Professor Henrique da Silva Fontes, em Itajaí. Fiquei sem aula cerca de dois meses e há cerca de um mês, estou tendo aula com apenas sete professores. Apoio totalmente à causa que os professores estão lutando, eles nos ensinam a lutar por nossos direitos e é isso que estão fazendo. Venho, por meio desta carta, relatar minha preocupação com o que está ocorrendo. Ouvi boatos que se o senhor não entrar em acordo com os grevistas, iremos perder o ano letivo. Atualmente, somos onze turmas de formandos e quase mil e cem alunos ao total nesta unidade escolar, todos na mesma situação que eu me encontro, sem saber o que fazer caso percam o ano. Sempre estudei em escolas públicas da região, e há dois anos, quando comecei meu ensino médio, frequento uma instituição de ensino do estado. Conheço meus direitos como aluna, tenho direito a educação de qualidade e estou pedindo isso.

Até quando iremos para a escola ter apenas três, duas ou até mesmo uma aula por dia? Temos o direito de aprender, pois estamos no último ano e precisamos de conhecimentos básicos para prestar vestibular e tentar ingressar em uma universidade federal. Como iremos ingressar numa universidade no próximo ano, se não estamos tendo o conhecimento devido à ausência de professores? Já fiz minha inscrição no Enem e já estou estudando bastante para conseguir uma boa nota. Repetir os alunos de ano irá ser desgastante para todos nós, que iremos frequentar a escola por mais um ano e cancelar todos nossos planos para o ano seguinte. A greve está nos afetando e precisamos colocar um ponto final nisso.

Gostaria de pedir sua colaboração e que repense sobre o que está acontecendo, aliás, estamos falando de jovens, estamos falando do futuro no nosso país.

Atenciosamente Carol Machado”

 

Cultura e isenção

03 de junho de 2015 0

A Gincana de Rua Cidade de Itajaí teve um projeto aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura para a realização de Saraus Literários nas escolas municipais uma Maratona Fotográfica. Empresários interessados em apoiar o evento poderão abater o investimento nos impostos.

Prédio restaurado pode dar lugar à nova sede da Fundação Genésio Miranda Lins

03 de junho de 2015 0
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

A prefeitura de Itajaí vai lançar na terça-feira o Anuário 2014, e escolheu um local icônico para a apresentação: o recém-restaurado prédio da Antiga Fiscalização dos Portos, que será oficialmente entregue na mesma data.

Oferecido inicialmente à Polícia Federal, o prédio poderá ser a nova sede da Fundação Genésio Miranda Lins, o órgão responsável pela manutenção do patrimônio histórico da cidade.

Uma bela combinação.

Polícia na rodovia

03 de junho de 2015 0

A Câmara de Vereadores de Itajaí aprovou um requerimento do vereador Afonso Arruda (PMDB) que pede a instalação de um posto da Polícia Rodoviária Estadual na Rodovia Antônio Heil, entre Itajaí e Brusque. A reivindicação é da comunidade que vive às margens da rodovia e que convive com os abusos dos motoristas.

Falta de efetivo impacta trabalho da Receita Federal em Itajaí

03 de junho de 2015 4
Foto: Luiz Carlos Souza

Foto: Luiz Carlos Souza

 

A falta de efetivo e o alto volume de trabalho em Itajaí levou o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal a emitir uma reclamação oficial. De acordo com o texto, a fiscalização está se tornando “inviável” devido aos limites operacionais da equipe e dos prazos previstos na legislação.

O fato é que o volume de declarações de importação cresceu exponencialmente em Itajaí. Passou de 32 mil, em 2006, para 141 mil no ano passado. Na prática, quadruplicou – mas o efetivo continuou o mesmo.

A Receita não divulga o número de fiscais que atuam na fiscalização aduaneira, mas é consenso no setor que seria necessário um reforço de pelo menos 50% para agilizar a liberação de cargas.

No mês passado a Delegacia Sindical e o Comando Local de Mobilização chegaram a entregar à chefia local e regional um manifesto em que relatam alta carga de trabalho e “desapontamento”.

A Receita não é o único órgão de fiscalização a enfrentar o problema em Itajaí. Anvisa e Ministério da Agricultura, que também têm alta demanda de liberação de cargas, sofrem com os mesmos entraves.

Além da sobrecarga para os servidores, a situação impacta diretamente – e negativamente – na agilidade da liberação das cargas. Recentemente 10 empresas de importação deixaram Itajaí e migraram para locais onde os portos liberam mais rapidamente.

A superintendência do Porto de Itajaí vê a situação com total atenção. A agilidade foi uma marca-registrada do Complexo Portuário e determinante para o crescimento na movimentação nos últimos anos.