Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Falta de efetivo impacta trabalho da Receita Federal em Itajaí

03 de junho de 2015 4
Foto: Luiz Carlos Souza

Foto: Luiz Carlos Souza

 

A falta de efetivo e o alto volume de trabalho em Itajaí levou o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal a emitir uma reclamação oficial. De acordo com o texto, a fiscalização está se tornando “inviável” devido aos limites operacionais da equipe e dos prazos previstos na legislação.

O fato é que o volume de declarações de importação cresceu exponencialmente em Itajaí. Passou de 32 mil, em 2006, para 141 mil no ano passado. Na prática, quadruplicou – mas o efetivo continuou o mesmo.

A Receita não divulga o número de fiscais que atuam na fiscalização aduaneira, mas é consenso no setor que seria necessário um reforço de pelo menos 50% para agilizar a liberação de cargas.

No mês passado a Delegacia Sindical e o Comando Local de Mobilização chegaram a entregar à chefia local e regional um manifesto em que relatam alta carga de trabalho e “desapontamento”.

A Receita não é o único órgão de fiscalização a enfrentar o problema em Itajaí. Anvisa e Ministério da Agricultura, que também têm alta demanda de liberação de cargas, sofrem com os mesmos entraves.

Além da sobrecarga para os servidores, a situação impacta diretamente – e negativamente – na agilidade da liberação das cargas. Recentemente 10 empresas de importação deixaram Itajaí e migraram para locais onde os portos liberam mais rapidamente.

A superintendência do Porto de Itajaí vê a situação com total atenção. A agilidade foi uma marca-registrada do Complexo Portuário e determinante para o crescimento na movimentação nos últimos anos.

 

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (4)

  • Dillma Land diz: 3 de junho de 2015

    Enquanto isso, sobram assessores aspones na dilmalandia….

  • Elisabeth diz: 3 de junho de 2015

    Prezado Sr. Samuel e Sr. Marco li seus comentários e viram umas perguntas:
    1) como afirmam que não fazem as suas jornadas?
    2) não estão tão mal falados os políticos e alguns administradores da Petrobrás por terem deixado passar muitas operações ilegais e hoje vejo os Srs insinuar este tipo de comportá menti na RF de Itajai. ..julgam q seria correto?
    3) Os srs dizem q ganham bem…pois o concurso está direcionado a todos os brasileiros que preencham os requisitos e mais ainda…nos seus comentários novamente insinuam para liberar rápido com grande margem de erro só pq , segundo os Srs eles ganham bem?
    Finalizando:
    N podemos ter 2 pesos e 2 medidas na vida cfe do qual lado estamos ainda mais hoje com toda a informação saltando a olhos visto de tantas falcatruas no Brasil.

  • Elisabeth diz: 3 de junho de 2015

    Prezado Sr. Samuel e Sr. Marco li seus comentários e vieram algumas perguntas:
    1) como afirmam que os funcionários da RF não fazem as suas jornadas?
    2) não estão tão mal falados os políticos e alguns administradores da Petrobrás por terem deixado passar muitas operações ilegais e hoje vejo os Srs insinuam esse tipo de comportamento na RF de Itajai. ..julgam q seria correto?
    3) Os srs dizem q ganham bem…pois o concurso está direcionado a todos os brasileiros que preencham os requisitos e mais ainda…nos seus comentários novamente insinuam para liberar rápido com grande margem de erro só pq , segundo os Srs eles ganham bem? Justifica ganhar bem e trabalhar contra o seu patrão? Nesse caso o governo federal?
    Finalizando:
    N podemos ter 2 pesos e 2 medidas na vida cfe do qual lado estamos ainda mais hoje com toda a informação saltando aos olhos da nação visto a tantas falcatruas no Brasil que enumera-las é totalmente descartável haja vista a enxurrada das notícias sobre esses temas.

  • Veronica diz: 4 de junho de 2015

    Em entrevista à TV RBS o Inspetor da Receita de Itajaí declarou que 95% das cargas são liberadas no tal de canal verde, sem fiscalização da receita. E dizem que a liberação está ‘ atrasada’??

Envie seu Comentário