Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 9 junho 2015

Berços do Porto de Itajaí ficam fora da rodada de concessões do governo federal

09 de junho de 2015 2
Foto: Marcos Porto/Arquivo

Foto: Marcos Porto/Arquivo

 

O esperado pacote de concessões anunciado nesta terça-feira pelo governo federal deixou de fora a área que corresponde aos berços (atracadouros) 3 e 4 do Porto de Itajaí, que estão em fase de reforma e realinhamento _ uma obra paga pelo próprio governo, ao custo de R$ 117 milhões. A expectativa era que o arrendamento da área pudesse integrar o programa, que prevê a concessão de 29 áreas portuárias no país apenas na primeira fase do pacote.

Foram anunciadas concessões nos blocos 1 e 2, inclusive uma área no Porto de São Francisco do Sul. A área de Itajaí, porém, está no bloco 4 do pacote. Isto significa que não deve ser licitada até o ano que vem.

Os berços 3 e 4 foram usados provisoriamente pela APM Terminals, arrendatária do Porto de Itajaí, durante as obras de recuperação dos atracadouros 1 e 2, que foram danificados nas enchentes de 2008 e 2011. As obras de realinhamento começaram no ano passado e devem ser concluídas até o fim deste ano. Como a autoridade portuária (a superintendência) é proibida de operar cargas por força de lei, e o local está “sem dono”, o interesse em entregá-lo à iniciativa privada é antigo.

A expectativa agora é pela resposta a um questionamento apresentado pela própria APM Terminals à Secretaria Especial de Portos (SEP). A empresa pede para anexar a área dos berços 3 e 4 sem concorrência, sob a alegação de que o tamanho maior dos navios operando na costa brasileira não permite mais que ela atraque duas embarcações ao mesmo tempo em seus berços arrendados _ conforme prevê o contrato.

Caso a resposta da SEP seja negativa, a tendência é que os berços permaneçam inoperantes até o arrendamento, que ainda não tem data para ocorrer.

Terminais privados

O pacote do governo federal inclui Itajaí apenas entre os pedidos de Terminais de Uso Privado (TUPs) que estão em análise. Há solicitação de mudança no modelo de cargas operadas no Terminal Trocadeiro, que pede a inclusão de Granel Líquido e Gasoso, Conteinerizada e Carga Geral, mediante um investimento de R$ 6 milhões. A outra solicitação é de um grupo de empresários catarinenses que pretende criar o Barra do Rio Terminal Portuário S/A, ainda em fase de autorizações na Antaq.

Itajaí também é citada entre os pedidos de prorrogação de prazo de arrendamentos já existentes _ no caso, o da APM Terminals. Em todo o país são 24 pedidos como esse, com investimentos previstos de R$ 10,8 bilhões.

Ministério do Meio Ambiente volta atrás e prorroga prazo para proibir pesca de peixes ameaçados

09 de junho de 2015 0

Foi publicada nesta terça-feira no Diário Oficial da União prorrogação de prazo para parte das espécies de peixes que integram a lista de animais ameaçados de extinção do Ministério do Meio Ambiente. Atendendo à pressão do setor pesqueiro e do Ministério da Pesca e Aquicultura, o documento estende para daqui a um ano a proibição de captura das espécies que integravam a lista e são de interesse comercial. A portaria havia sido publicada em dezembro e a proibição deveria começar a valer no dia 16 de junho.

O texto, assinado pela ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, afirma ainda que durante esse prazo serão “analisadas e recomendadas medidas de prevenção, mitigação de ameaças e monitoramento” para as espécies.

Integram a lista da prorrogação o atum azul, o marlim azul, quatro espécies de cação, quatro de tubarão e oito espécies de raia.

Mais tempo

A decisão do Ministério do Meio Ambiente dá tempo ao setor pesqueiro para realizar os tão necessários levantamentos sobre a relação estoque-captura, que poderá indicar se a necessidade de proteção identificada por especialistas do setor ambiental se mantém.

O fato é que, com déficit em pesquisas e monitoramento, a pesca apresentava basicamente os reflexos econômicos da proibição, contra os argumentos do Ministério Meio Ambiente, que defende a preservação das espécies. O próprio ministro da Pesca, Helder Barbalho, admitiu em visita a Itajaí, que o setor pesqueiro manteve desde a publicação da portaria, no ano passado, postura “passional”, embasada na necessidade de garantir empregos.

 

protesto9

 

A demora do Ministério do Meio Ambiente em atender à solicitação da pesca vinha causando apreensão, inclusive, em outros setores da economia catarinense. Em janeiro, indústrias pesqueiras e trabalhadores da pesca fecharam o canal de acesso aos terminais portuários de Itajaí e Navegantes em um protesto que durou dois dias. Um transatlântico chegou a ser trancado por mais de 30 horas, o que provocou uma enxurrada de processos contra a Pullmantur, operadora do cruzeiro, e o Porto de Itajaí.

O temor de um novo protesto era tanto, que a  Procuradoria Geral do Estado (PGE) e a Advocacia Geral da União (AGU) conseguiram, durante a Volvo Ocean Race, em abril, uma liminar judicial que proibiu o fechamento do canal, sob pena de multas de R$ 500 mil.

Operação da Polícia Federal que investiga médicos respinga em Itajaí

09 de junho de 2015 7

A Operação Onipresença, coordenada pela Polícia Federal de Florianópolis, tem como um dos alvos Itajaí. Embora ainda não tenham sido divulgados detalhes, pelo menos um dos médicos investigados pela operação mantém negócios na cidade.

A Polícia Federal identificou que 27 médicos no Estado possuem vínculos de 60 ou 40 horas de trabalho no Hospital Universitário da capital (HU) não estão cumprindo a carga horária: atendem em clínicas particulares no momento em que deveriam estar prestando serviço público.

Os nomes dos médicos envolvidos ainda não foi divulgado pela PF.

 

Defesa Civil ganha novo site e equipamentos para lidar com produtos perigosos

09 de junho de 2015 1
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

A Defesa Civil de Itajaí lançou ontem um novo layout em seu portal na internet, com a proposta de facilitar o acesso a informações para a comunidade. A principal mudança é em relação ao sistema de telemetria. Gráficos vão ajudar a população a entender a movimentação dos rios e o grau de risco em caso de cheia.

O novo site foi lançado junto com a inauguração da reforma da sede, na Avenida Adolfo Konder, ontem de manhã. O evento faz parte das comemorações pelo aniversário de Itajaí.

Equipamentos

Os agentes de Defesa Civil de Itajaí receberam kits personalizados para atuação em acidentes envolvendo produtos químicos.
Junto com enchentes e deslizamentos de terra, esse tipo de ocorrência é considerado um dos pontos de vulnerabilidade de Itajaí devido à grande movimentação de cargas perigosas. Os kits custaram, juntos, R$ 26,9 mil.

A nova sede da Defesa Civil agora tem uma central telefônica com oito linhas para chamados de emergência, com atendimento 24 horas. O órgão também ganhou, enfim, um gerador: até então, se faltasse luz na cidade a Defesa Civil ficava no escuro também.

Vandalismo custa à prefeitura de Itajaí R$ 300 mil por ano

09 de junho de 2015 0

A prefeitura de Itajaí gasta R$ 25 mil por mês com vandalismo e consertos de estruturas como pontos de ônibus e lixeiras _ um total de R$ 300 mil.

As mais recentes vítimas são as paradas de ônibus ecológicas, com iluminação solar. Em uma delas, na Avenida Adolfo Konder, a Secretaria de Obras desistiu de instalar as placas solares para evitar novos prejuízos.

Deputado pede que registros de veículos da Dalçoquio continuem em Itajaí

09 de junho de 2015 0
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

 

O deputado estadual Leonel Pavan (PSDB) vai pedir oficialmente à nova gestão da Dalçoquio que mantenha o emplacamento dos veículos da transportadora em Itajaí.

Na semana passada o colunista Moacir Pereira, do Grupo RBS, alertou que uma possível transferência dos registros (e por consequência, do IPVA) para São Paulo, onde vive o novo nome à frente da empresa, poderia trazer prejuízo.

Vendida

Tradicional em Itajaí, a Dalçoquio foi vendida a um dos sócios da Tomé Transportes, empresa de São Bernardo do Campo (SP) que é líder no setor no país. O nome do sócio majoritário e dos demais investidores é mantido em sigilo por questão contratual.

Recentemente o novo administrador da empresa, o executivo Cláudio Neto, falou com exclusividade ao blog e disse que não há planos a curto e médio prazo para deixar a cidade. Mas não descartou mudanças no futuro.

Acredite, é na Brava

09 de junho de 2015 3
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

A imagem foi sugerida por moradores do bairro e mostra o descaso com a limpeza na Praia Brava, em Itajaí. Até geladeira velha foi parar na beira da praia com metro quadrado mais caro da cidade.

Empresários da Costa Esmeralda estão em missão em Portugal e Espanha

09 de junho de 2015 0

Um grupo de 23 empresários e autoridades de Itapema, Bombinhas e Porto Belo embarcou para a Europa numa missão organizada pelo Sebrae. Vão visitar iniciativas em Portugal e na Espanha que possam servir de exemplo para fortalecer o turismo de sol e praia na Costa Esmeralda.

No roteiro, que inclui as cidades costeiras dos dois países, estão exemplos bem sucedidos de turismo náutico na terra das grandes navegações, hotelaria, gastronomia, comércio, gestão pública e ambiental.

A escolha do destino faz sentido especialmente para Bombinhas e Porto Belo, que têm uma relação íntima e histórica com as tradições açorianas.

A inspiração em Portugal e Espanha poderá reforçar o que a região tem de melhor: paisagens naturais de tirar o fôlego e um apego às tradições que precisa ser mantido, para garantir um turismo de praia aliado aos ricos roteiros culturais locais.

A começar pela gastronomia: os países ibéricos ganham o turista pelo estômago, e o fazem com maestria. É fundamental que cidades onde ainda se conservam as tradições da pesca artesanal e o cultivo de iguarias como as vieiras saibem “vender seu peixe” da maneira certa.

Entre os empresários, a ideia é estimular o empreendedorismo e o apelo local. Disposto a investir em uma marina pública, o prefeito Evaldo Guerreiro (PT), de Porto Belo, também deve se inspirar em estruturas semelhantes no além-mar.