Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Mergulhador entra na boca de filhote de baleia para salvá-lo em Penha

18 de junho de 2015 6
Foto: Gilberto Manzoni, Divulgação Univali

Foto: Gilberto Manzoni, Divulgação Univali

 

O resgate do filhote de baleia que ficou preso na área de cultivo de mariscos em Penha, esta semana, teve um personagem essencial: o mergulhador uruguaio Alejandro Melo, conhecido como Gringo. Ao ver o bebê preso na marisqueira pelo segundo dia consecutivo, ele deixou de lado o frio, entrou na água e retirou a rede em que o animal havia se enroscado e que o prendia às cordas do cultivo.

Para conseguir desenroscar a rede, que chegava a garganta da baleia e podia matá-la, Alejandro fez uma opção arriscada _ muito embora o animal fosse dócil: entrou dentro da boca do filhote.

 

 

 

Veja a entrevista:

Como foi o resgate?

Eu cheguei perto, vi que ela ficou quietinha e pensei _ ela vai deixar. Ela ficou na beira da água, abriu a boca, eu entrei e sentei. Fui tirando a rede, que estava até na garganta. É um bicho sossegado.

 

Acha que ela sabia que você estava tentando ajudar?

Acho que sabia, tanto que ficou quietinha.

 

De que tamanho é a boca dela aberta?

É grande, tem mais ou menos um metro de largura e, aberta, mais um metro de altura. Deu para entrar.

 

Foi a primeira vez que você ficou tão perto de uma baleia?

Não, já tinha chegado perto e tocado numa baleia. Mas assim, presa em rede, foi a primeira vez.

 

E como foi depois que você retirou a rede?

Ela saiu nadando rápido, como faz um filhote.

 

 

É uma jubarte, diz especialista

De acordo com o pesquisador Gilberto Manzoni, professor da Univali, a baleia era da espécie jubarte e tinha cerca de seis metros de comprimento. Não é comum que a espécie esteja por aqui nesta época do ano _ geralmente, elas vão à costa do Nordeste no inverno.

Na segunda-feira pescadores artesanais já haviam soltado a baleia, que havia se prendido na marisqueira, e na terça um cerco foi feito para tentar evitar que ela voltasse, mas sem sucesso.

Depois que ela teve as redes removidas pelo mergulhador, pesquisadores da Univali a guiaram para alto-mar com o auxílio de embarcações, como mostra o vídeo.

A expectativa é que o filhote tenha encontrado a mãe. Segundo Manzoni, há relatos de pescadores que avistaram duas baleias longe da costa nesta quarta e quinta-feira _ sinal de que os dois podem, de fato, estar enfim juntos e a salvo.

A rede na qual a baleia se enroscou era do tipo feiticeira, que havia sido instalada muito perto da marisqueira. Esse tipo de captura é proibido por lei.

 

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (6)

  • Jair Guimarães Júnior diz: 18 de junho de 2015

    A natureza agradece ao Alejandro

  • Sergio diz: 18 de junho de 2015

    Fantástico, pena não haver um registro disso em vídeo. Parabéns Alejandro, carecemos de bons exemplos como o seu.

  • Mauricio diz: 18 de junho de 2015

    Tente não “entrar dentro” da boca de ninguém outra vez!!!!! Hah hah hah hah!!!!!

  • Brianne diz: 18 de junho de 2015

    Parabéns Alejandro. Mas uma pena que o cultivo de marisco ainda seja desta forma… E que as redes ainda estejam no mar. Neste verão resgatamos duas tartarugas em Bombinhas presas em redes – proibidas – de pesca. Lamentável

  • SALVIANO diz: 18 de junho de 2015

    Bah! Guri, que coragem. Queria um desses pra entar na boca da minha sogra, mas para calá-la. kkkkkkk. Brincadeiras a parte, parabéns ao Alejandro pela atitude exemplo.

  • Maicon Carvalho diz: 19 de junho de 2015

    INCRÍVEL. Que atitude nobre.
    Muitos Parabéns !!

Envie seu Comentário