Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Itajaí tem 200 presos da Grande Florianópolis

01 de julho de 2015 0
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

O anúncio da ampliação do projeto das salas de audiência por videoconferência para a Capital (a primeira do Estado foi inaugurada nesta terça no Complexo da Canhanduba) não deve aliviar o principal problema enfrentado hoje no sistema prisional em Itajaí: o envio de presos de Florianópolis para o Presídio da Canhanduba. A situação ocorre desde o fechamento do Cadeião do Estreito, em Florianópolis, e atingiu níveis alarmantes: já são 200 presos da Capital e de São José em Itajaí.

Além de ocuparem vagas que deveriam ser destinadas a presos da região (o Complexo da Canhanduba fica em terreno adquirido em um convênio entre as prefeituras de Itajaí, Camboriú e Balneário Camboriú), os detentos demandam transporte constante para audiências em outras regiões do Estado, que demandam custos e aparato de segurança.

Segundo informações extraoficiais, em casos menos graves os presos estariam inclusive sendo liberados pela Justiça para evitar maiores transtornos no sistema prisional.

A Vara de Execuções Penais de Itajaí não pode intervir porque a situação não é considerada insalubre – por enquanto, há espaço no presídio para todo mundo. Mas o juiz Pedro Walicoski Carvalho alerta para a necessidade de uma solução urgente:

_ A prefeitura de São José precisa se conscientizar e liberar o alvará para construção da unidade lá. Esta situação está gerando um custo muito alto para a sociedade, inclusive de segurança pública _ afirma.

Comente e compartilhe

comentários

Envie seu Comentário