Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 8 julho 2015

Tribunal mantém Tomé como administrador da Dalçoquio

08 de julho de 2015 0

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) negou liminar pedida por Milton Rodrigues Junior para que Laércio Tomé e Cláudio Ribeiro da Silva Neto, atual administrador da Dalçoquio, fossem impedidos de entrar nas unidades mantidas pela empresa em todo o país e de praticar qualquer ato em nome da transportadora. A decisão, estabelece, em contrapartida, que Tomé está proibido de impedir a entrada de Milton na Dalçoquio.

O advogado Marco Antônio Cachel, que representa Rodrigues, afirmou que irá recorrer.

::: Sócios que brigam pela Dalçoquio entram em acordo para pagar salários

O desembargador Luiz Zanelato, relator do agravo de instrumento, afirma na decisão que o contrato assinado que estabelecia 60% das ações para Tomé, 30% para Milton Rodrigues e 10% para Claudio Neto tem teor de “contrato definitivo” e o fato de não estar registrado na Junta Comercial não extingue o acordo entre eles “nem constitui causa de nulidade”.

O texto da decisão também  chama atenção para o fato de três pagamentos feitos por Laércio Tomé a Augusto Dalçoquio coincidirem “com o valor das três primeiras parcelas de R$ 500 mil cada que Milton Rodrigues Junior obrigou-se a pagar” pela compra da empresa, em março.

“Não há de se falar que Laércio Tomé estaria exercendo a administração da sociedade sem poderes para tanto, porquanto é sócio majoritário, titular de 60% das quotas e exerce isoladamente a gerência e administração da sociedade” _ afirma o desembargador.

 

 

Sócios que brigam pela Dalçoquio entram em acordo para pagar salários

08 de julho de 2015 1
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

Terminou em conciliação a audiência que discutiu o atraso no pagamento dos trabalhadores da Dalçoquio na 1ª Vara da Justiça do Trabalho de Itajaí, nesta quarta-feira. A empresa tem até quinta-feira para pagar os salários dos 1.200 funcionários, que deveria ter sido depositado no 1º dia útil do mês.

Outras demandas do Sindicato dos Motoristas de Itajaí e Região (Sitraroit), autor da ação, deverão ser avaliadas no decorrer do processo _ entre elas a exigência de multa pelo atraso, que de acordo com a convenção coletiva é estabelecida em um salário mínimo para cada trabalhador.

::: Tribunal mantém Tomé como administrador da Dalçoquio

A audiência, presidida pelo juiz Daniel Lisboa, foi feita a portas fechadas porque parte do processo está em segredo de Justiça. Laércio Tomé e Milton Rodrigues Junior, representado pelo advogado Marco Antônio Cachel, que brigam pelo controle das ações da empresa, firmaram o acordo para o pagamento.

O magistrado fez questão de deixar fora da discussão a briga pela posse da Dalçoquio. De acordo com o juiz, a concordância por parte dos dois, nesse caso, elimina o risco jurídico da conciliação _ ou seja, evita que um dos dois recorra após uma futura decisão sobre a sociedade.

Para o Sitraroit, o acordo foi visto como uma vitória parcial. O pagamento dos trabalhadores soma perto de R$ 4 milhões.

Pressa

Logo após a audiência, quem ficou com a responsabilidade de ir ao banco para liberar o pagamento dos salários foram os advogados de Laércio Tomé. A intenção era efetuar os pagamentos ainda nesta quarta-feira.

 

 

Vereador quer respostas da prefeitura sobre contratação de OS para manter hospital de Navegantes

08 de julho de 2015 0

A Câmara de Vereadores de Navegantes vai avaliar nesta quinta-feira um requerimento do vereador Fredolino Bento(PMDB), que pediu acesso a todos os trâmites que envolveram a contratação emergencial da Associação Proteção e Saúde para gerir o hospital da cidade. A organização foi alvo de uma denúncia no Fantástico no dia 31 de maio, sobre um contrato feito com uma prefeitura de Goiás. A direção da empresa nega as acusações (leia mais aqui).

Na manhã desta quarta vereadores reuniram-se com o secretário de Saúde do município, Jeferson Belotto, para debater a situação do hospital. A unidade ameaçava fechar depois que a ex-mantenedora decidiu não renovar contrato com a prefeitura.

Segundo Belotto o histórico da empresa está em avaliação, conforme recomendado pela procuradoria jurídica do município. Ele afirmou, entretanto, que um possível cancelamento do acordo deixaria o hospital desassistido.

A Secretaria de Saúde de Navegantes informou que está providenciando inclusão da Associação Proteção e Saúde nos convênios do município para garantir os repasses do SUS.

 

Encontro Empresarial da Acibalc terá foco em sustentabilidade

08 de julho de 2015 0

 

Mauro Passos, presidente do Instituto Ideal, que trabalha com energias renováveis na América Latina, abre nesta quinta-feira a programação do 4º Encontro Empresarial da Associação Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú (Acibalc). A sustentabilidade será o tema central do evento, que celebrará os 13 anos da entidade.

O encontro terá troca de experiências e apresentação de cases de sucesso que envolvem desenvolvimento sustentável. Entre os convidados especiais estão o Grupo Malwee, Aurora Alimentos e Kollvik Recycling SL.

Durante o evento, na sexta-feira, a Acibalc lançará o programa BC Criativo, que pretende usar as potencialidades artísticas e culturais de Balneário para um upgrade na economia. A associação também entregará a Medalha Baltazar Pinto Correa, que reconhece ações de destaque social e de empreendedorismo. Haroldo Shultz e Manoel da Silva serão os homenageados.

 

Câmeras na Univali

08 de julho de 2015 1

O vereador Zé Ferreira (PP) apresentou um requerimento ao secretário de Estado de Segurança Pública, César Grubba, para que sejam instaladas câmeras de segurança no entorno da Univali em Itajaí. O motivo é o crescimento alarmante no número de assaltos a estudantes ao redor da universidade.

A situação foi mostrada em uma reportagem do Sol Diário mês passado. Assinada pela repórter Camila Guerra, a matéria diz que os alunos mudaram a rotina por insegurança. Evitam, inclusive, ficar sozinhos nos pontos de ônibus.

O pedido é justo e necessário. Mas convenhamos que a Univali também poderia dar uma forcinha na compra das câmeras.

Caso Dalçoquio: pagamento dos salários atrasados será decidido na Justiça

08 de julho de 2015 0
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

Está marcada para hoje à tarde uma audiência na Justiça do Trabalho para decidir sobre os pagamentos dos mais de mil funcionários da Dalçoquio, que estão com os salários atrasados em razão da disputa pela posse da empresa.

Os pagamentos, que deveriam ter sido feitos há uma semana, de acordo com a convenção coletiva dos trabalhadores, até terça-feira (7) não haviam caído na conta.

Representantes de Milton Rodrigues Junior e Laercio Tomé – que brigam pelas ações – vão participar da negociação.

A audiência da Dalçoquio é resultado de uma ação movida pelo Sindicato dos Motoristas de Itajaí e Região ( Sitraroit).

Caso as duas partes não entrem em acordo, o sindicato deve pedir à Justiça que a gestão da empresa passe a ser responsabilidade de um interventor até que a situação se resolva.

A disputa pela Dalçoquio virou caso de polícia e chegou na semana passada a um ponto crítico depois que os trabalhadores foram chamados pela atual administração em Itajaí e informados de que R$ 4 milhões que deveriam ser usados nos pagamentos haviam sido transferidos de uma conta da empresa. As contas estão bloqueadas porque Milton Rodrigues Junior e Laércio Tomé brigam pelas ações da empresa.

A direção atual alega que a compra foi efetuada pelo empresário Laércio Tomé, que teria se mantido anônimo. O registro da empresa teria ficado em nome de Rodrigues, que passaria a ser sócio minoritário. De acordo com a advogada Samira Monayari Silva, Rodrigues não teria cumprido o acordo que previa devolução da maior parte das ações.

Já a defesa de Rodrigues, representada pela advogada Ketrin Schubert, afirma que ele adquiriu a empresa sozinho e que Tomé teria demonstrado interesse em comprá-la dele mais tarde. Uma equipe do Grupo Tomé veio de São Paulo para comandar a Dalçoquio e Rodrigues deixou a direção, mas os pagamentos não teriam sido efetuados, e o negócio não foi adiante.

::: Leia mais sobre o caso