Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Disputa judicial pode atrasar obra do Centro de Eventos

23 de julho de 2015 2

 

Uma liminar concedida pela 2ª Vara da Fazenda da Capital garantiu ao Consórcio Santa Catarina Forte, formado por duas empresas paranaenses, participar da abertura de propostas para a construção do Centro de Eventos de Balneário Camboriú. Com isto, quatro envelopes foram abertos ontem pela Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, com valores que variaram de R$ 89,8 a 105,9 milhões. A construtora Salver foi a que apresentou o menor preço.

Entretanto, o resultado da disputa _ que leva em conta, além do preço, a capacidade técnica da empresa_, não deve ser homologado tão cedo devido à guerra judicial que se instalou entre as concorrentes. Além do Consórcio Santa Catarina Forte, a própria Salver participou do processo graças a uma liminar concedida pela Justiça.

Ontem à noite o secretário de Estado de Turismo, Esporte e Cultura, Filipe Mello, confirmou que a comissão de licitação vai aguardar o trâmite dos processos judiciais, até a análise do mérito, antes de declarar a vencedora. As outras participantes são as empresas Viseu e Jota Ele.

O problema é que, como não há prazo para os julgamentos, a homologação passa a também não ter prazo para ocorrer _ o que acende o alerta em relação ao recurso de R$ 55 milhões que virá do governo federal. A verba foi garantida com a condição de que a primeira medição da obra ocorra até 31 de agosto. Sem data para anunciar a vencedora da licitação, o Estado dificilmente conseguirá honrar o prazo.

De acordo com o secretário Filipe Mello, o governador Raimundo Colombo (PSD) já vinha tratando do assunto com a presidente Dilma Rousseff (PT) e o Ministério do Planejamento, que é o responsável pela suspensão de verbas para obras não iniciadas. Caso não consiga correr contra o tempo, o Estado dependerá de representação política para garantir a obra. (Com Hyury Potter, do Diário Catarinense)

Veja quais foram as propostas de cada concorrente:

Jota Ele: R$ 105.959.374,24

Viseu: R$ 99.998.956,67

Salver: R$ 89.888.888,88

Consórcio Santa Catarina Forte: R$ 96.836.208,16

 

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (2)

  • MARCELO IVO MELO VANDERLINDE diz: 24 de julho de 2015

    Se o Poder Judiciário tiver um pouco de bom senso e apego à realidade, os processos serão resolvidos rapidamente.
    Numa rápida pesquisa online é possível observar que todas as empresas possuem experiência em grandes obras, mas sem sombra de dúvidas a Viseu é aquela com maior know-how (inclusive com obras na nossa região).

  • MAIS DINHEIRO QUEIMADO diz: 24 de julho de 2015

    PRA QUE ESSA OBRA? 100 MILHOES DA PRA ARRUMAR ESTRADAS , FAZER ESCOLAS, CRECHES, CONTRATAR MAIS MEDICOS,.. PRIVATIZA ISSO AI…

Envie seu Comentário