Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Parada Obrigatória: Ausência de coordenador interrompe tramitação de recursos de multas em Itajaí

14 de agosto de 2015 0
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

A presidência das Juntas Administrativas de Recursos de Infrações de Itajaí ( Jari) oficializou ao prefeito Jandir Bellini ( PP) a ausência de Willian Gervasi nas últimas semanas. O consultor da Codetran, indiciado no inquérito da Operação Parada Obrigatória, é também o coordenador das duas Jaris e responsável pela distribuição dos processos – mas, desde que foi deflagrada a operação, no mês passado, o envio dos recursos de multas que chegam à Codetran está suspenso.

A interrupção só não fez pararem de vez os trabalhos das Jaris porque a demanda é tão grande que há ainda recursos à espera de apreciação. Mas, caso a situação não seja resolvida, é possível que nas próximas semanas ocorra a retenção de fluxo dos processos.

As opções, para a prefeitura, são a nomeação de um novo coordenador ou de um interino enquanto Willian não volta ao trabalho. Ele está afastado por motivos de saúde e deve se apresentar à prefeitura na segunda-feira. Extraoficialmente, porém, a informação é de que a secretária de Segurança, Susi Bellini ( PP), já teria um novo nome mapeado dentro da Codetran para assumir o posto.

Hoje os presidentes das Jaris são Manoel Rodrigues Conceição, que representa o gabinete do prefeito, e Nelson Abrão de Souza ( também indiciado na Operação Parada Obrigatória).

Tramitam nas duas Jaris de Itajaí nada menos que 700 processos por mês. O número de recursos aumentou bastante depois da polêmica com as multas emitidas por radar em sinaleiras sem temporizador, até hoje a principal demanda.

O resultado do excesso de recursos é que ainda estão sendo julgados processos de agosto de 2014, e há mais de quatro mil na fila. Há multas de motoristas de todo o Estado em tramitação.

Comente e compartilhe

comentários

Envie seu Comentário