Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Os bastidores da aprovação da CPI da Codetran

22 de agosto de 2015 1
Foto: Marcos Porto / Agencia RBS

Foto: Marcos Porto / Agencia RBS

 

A Câmara de Vereadores de Itajaí emitiu nota oficial na sexta-feira afirmando que “ não age sob pressão de ninguém” e que os motivos para trazer de volta à tona a CPI da Codetran, rejeitada na terça-feira e aprovada na quinta, foram as “ condições jurídicas constitucionais”.

No entender da presidência, foi possível votar a comissão porque o Legislativo enfim teve acesso oficialmente à denúncia apresentada pelo Ministério Público sobre as investigações da Operação Parada Obrigatória.

O fato é que, enquanto o plenário lotado aguardava um posicionamento, nos bastidores a discussão esquentou. Foram três conversas internas durante a sessão.

Na primeira, o presidente da Casa, Luiz Carlos Pissetti ( DEM), informou sobre o recebimento do ofício da Justiça e indicou que o caminho para instaurar a CPI estava aberto. Horas antes o prefeito Jandir Bellini ( PP) havia telefonado para Pissetti e afirmado, formalmente, que não tinha ressalvas à instauração da CPI e que a Câmara deveria tomar o caminho que achasse adequado.

Ainda seriam necessárias mais duas interrupções na sessão para que os vereadores entrassem em consenso. Havia resistência de uma parte dos parlamentares da base do governo, e o argumento que enfim convenceu os dissidentes veio do próprio Pissetti: era preciso “ dar uma resposta”.

A previsão é que a instauração ocorra oficialmente na terça-feira, depois que a procuradoria jurídica da Câmara avaliar a legalidade do pedido – se há fatos a apurar e provas que sustentem o pedido, por exemplo.

Formação 

A presidência da Câmara recomendou que os partidos entrem em consenso e apresentem a formação da CPI já pronta e discutida. Pissetti, Anna Carolina (PRB), Rafael Dezideiro ( PRP) e Neuza Geraldi ( PMDB) estão fora, por fazerem parte da mesa diretora.

A tendência é que PT, PMDB, PSD e PP ( o partido do governo) apresentem um nome cada. A minoria, composta por PSDB, PR, SDD e PPS deverão indicar juntos um membro também.

Sessões abertas

A decisão sobre manter as sessões da CPI abertas ou fechadas é da própria comissão.
Mas o presidente da Casa já se manifestou a favor de mantê-las públicas, como são as investigações no Congresso Nacional.
Alguém duvida que serão sucesso absoluto de audiência?

 

 

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (1)

  • PRESSAO PERMANENTE diz: 23 de agosto de 2015

    MESMO NAO ADMITINDO, O QUE FEZ A CPI SER ABERTA FOI A PRESSAO POPULAR… AS VEZES PARECE QUE O PREFEITO MANDA NA CAMARA… SOH ASSIM QUE AS COISAS MUDAM – VOTAR E FISCALIZAR, SEM PARAR…

Envie seu Comentário