Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Novo atentado à Delegacia do Monte Alegre expõe crise na Polícia Civil

31 de agosto de 2015 1

A predileção dos bandidos aos ataques à Delegacia do Monte Alegre, em Camboriú, é o retrato dos problemas que cercam a segurança pública em Santa Catarina. A base está em “território inimigo” _ fica em zona violenta, com áreas dominadas pelo tráfico de drogas. Tanto, que foi a primeira no Estado a ter janelas e portas blindadas. Ainda assim, insuficientes para frear os atentados.

::: Delegacia sofre novo atentado na noite de domingo

Nenhum dos três ataques contra a delegacia ocorridos nos últimos três meses teve resposta efetiva. Simplesmente porque a Polícia Civil não tem estrutura nem efetivo para esse tipo de ação. No momento do atentado só um policial estava de plantão, exposto à ação dos criminosos.

Falta gente para atuar nas delegacias e os policiais sofrem sobrecarga de trabalho. A investigação, que é a função primordial da Polícia Civil, está hoje limitada às DICs por falta de gente para efetuar as apurações nas DPs.

A promessa do Governo do Estado era que a situação seria aliviada com a contratação dos concursados da Civil até o fim de setembro. Extraoficialmente, porém, a informação é de que isso será protelado para o fim do ano.

Ao deixar desamparadas as delegacias, o governo expõe a vida dos policiais e relega a população ao descaso. Afinal, sem um trabalho efetivo de investigação e coleta de provas, uma imensidão de crimes permanecerá impune.

Quando o Estado se deixa atacar e nada faz a respeito, atesta sua incapacidade para lidar com a crise que se permitiu instalar.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (1)

  • Augusto diz: 31 de agosto de 2015

    Isso é só uma amostra do que o governo faz com a Polícia Civil… Descaso total! Não surpreende, pois o próprio governador disse desconhecer a situação da Polícia Civil. Afinal, é mais fácil ludibriar o povo colocando apenas policiais militares nas ruas, enquanto os crimes ficam sempre solução e a impunidade só aumenta. É a política do voto, JAMAIS da segurança pública de verdade!

Envie seu Comentário