Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Juíza afirma em documento que atos investigados pelo Gaeco esvaziavam os cofres públicos em Itajaí

21 de setembro de 2015 6

“ Esvaziados”.  É assim que a juíza Sônia Maria Mazzeto Moroso Terres se refere aos cofres de Itajaí em uma informação prestada na última semana ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina explicando por que negou – mais uma vez – habeas corpus ao vereador José Alvercino Ferreira ( PP), preso desde julho por fatos investigados durante a Operação Parada Obrigatória.

No documento, a magistrada contextualiza ao desembargador Moacyr de Moraes Lima Filho a situação que Itajaí vivia antes das duas ações do Gaeco deflagradas em pouco mais de um mês.

“ Em Itajaí estava acontecendo o esvaziamento dos cofres públicos das formas mais variadas possíveis, inclusive contra empresários que desejavam se estabelecer nesta cidade de forma correta (…).

Em relação aos investigados da Operação Dupla Face, afirma a juíza que eles ” buscavam se tornar “ sócios” dos empresários locais, sem o correspondente potencial integralizador, afugentando vários empreendimentos para outros municípios, em um prejuízo ainda imensurável (…)”.

A magistrada afirma ainda que as prisões tiveram “efeito moralizador que se estendeu por toda a comunidade de Itajaí”, e descreve: “Os esquemas de corrupção existentes na Prefeitura Municipal de Itajaí, com a participação de integrantes da Câmera de Vereadores eram de conhecimento público e voz recorrente em quase todos os ambientes deste Município, em especial, dentro da própria Prefeitura Municipal e no meio empresarial diretamente ligado à construção civil”.

“A prisão cautelar daqueles que há anos vinham “administrando” o Município, segundo seus interesses próprios, neste momento histórico, é, portanto,
fundamental para a garantia da integridade das instituições, da sua credibilidade social e para o aumento da confiança da população nos mecanismos oficiais de repressão a este tipo de crime que sempre foi sinônimo de impunidade”, completa.

A Operação Parada Obrigatória 2 investigou crimes relacionados ao setor de trânsito em Itajaí levou em julho quatro pessoas à prisão _ inclusive o vereador licenciado Zé Ferreira (PP), que continua preso. Dois empresários tiveram a denúncia aceita pela Justiça, duas servidoras terão direito a transação penal para não serem processadas e a Justiça deve se manifestar nos próximos dias sobre a denúncia apresentada contra outras cinco pessoas.

A Operação Dupla Face investiga “criação de dificuldades para vender facilidades”, num esquema que envolveria de isenção de impostos a liberação de alvarás. Na primeira fase quatro membros do alto escalão da prefeitura foram detidos. Semana passada, uma nova etapa foi deflagrada com mais prisões _ inclusive a do vereador Afonso Arruda (PMDB).

(Colaborou Larissa Guerra)

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (6)

  • carlos e Alhadeff diz: 21 de setembro de 2015

    excelente juizá !!pena que tenha migrado para Itajaí , quando em Balneario Camboriú faz falta . me lembro a prisão na avião da Azul A juíza Sônia Moroso Terres, da 1ª Vara Criminal de Itajaí, reconheceu o homem condenado ao embarcar no avião – com destino a NAVEGANTES no ano 2011
    nada e por acaso ……Juiz Aldo Moro …. juiza Sonia Moro.so
    Parabens Exma .
    Carlos E Alhadeff

  • Ney Petroski diz: 21 de setembro de 2015

    Uma coisa que fico triste é quando pessoas apontam o dedo acusando outros e ainda conseguem colocar a cabeça no travesseiro como se fosse santos. Dizer que políticos são corruptos, é fácil. Dizer que Itajaí só tem sonegadores, é fácil. Dizer que Itajaí está refém do crime, é fácil. Difícil é assumir que você faz parte disso. Faz parte quando compra mercadoria contrabandeada no camelô ou no mercado formal e não pede nota fiscal, sonegando imposto para cidade. Faz parte quando conhece ou usam substancia proibida e não denuncia. Quando dá um “jeitinho” com amigos para conseguir algum benefício, aí você se chama de esperto e não de corrupto. Fica fácil exigir direitos quando não se cumpre se quer seus deveres. Deveria ser um processo natural sermos um pouco de Joaquim Barbosa, Sonia Moroso, Sergio Moro mas infelizmente ficamos boquiabertos com o que vimos na TV e não mudamos nossos hábitos. Imagina quanta coisa mais não existe nessa prefeitura, imagina que legal se todos os funcionários abrisse a boca e falassem o que sabe. Utopia?

  • Luiz Cordova diz: 21 de setembro de 2015

    A Dr. Sonia Moroso me faz ter esperança no Brasil.

  • pedro paulo diz: 21 de setembro de 2015

    Se fosse alguem do pt,o Moacir ja viria com um texto dqueles de dar inveja,porém como é um dos amigos do Amin,ficara quieto e a noticia não passara da divisa.
    Pedro

  • Esperançoso diz: 21 de setembro de 2015

    Mais Moro e Moroso para nosso Judiciário!

  • Sandro Becker diz: 21 de setembro de 2015

    É bom saber que existem pessoas que tem poder e o usam da forma correta, ao contrario do que a gente tem visto em nosso País, parabéns a Dra Sônia, exemplos a serem seguidos por nossos futuros magistrados.

Envie seu Comentário