Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Vereadores abandonam sessão em protesto após Sadi Pires assumir vaga no Legislativo em Itajaí

29 de setembro de 2015 1
Foto: Davi Spuldaro, Divulgação

Foto: Davi Spuldaro, Divulgação

 

Atualizada

 

Vereadores que participavam da sessão da Câmara em Itajaí nesta terça-feira deixaram o plenário em protesto após o ex-secretário de Habitação de Itajaí, Sadi Pires (PMDB), tomar posse de uma das cadeiras do Legislativo. Apenas as vereadoras Anna Carolina (PRB), que presidia a sessão, e Neusa Geraldi (PMDB) permaneceram após o juramento do novo parlamentar. Sem quórum mínimo de sete pessoas, os trabalhos foram suspensos e só serão retomados na quinta-feira.

O ato simbólico uniu situação e oposição _ um fato inédito na Câmara de Itajaí. Aderiram ao protesto os vereadores Thiago Morastoni, Rafael Dezideiro (PRP), Laudelino Lamin (PMDB), Acácio da Rocha (PSDB), Maurílio Moraes (PDT), Calinho Mecânico (PP), Giovani Felix (PT), Vanderley Dalmolin (PP), Osvaldo Mafra (SD) Tonho da Grade (PP), e Márcio Dedé (PSDB).

Sadi foi um dos presos da Operação Dupla Face, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) no dia 24 de agosto, e acabou exonerado do cargo de secretário. Liberado dias depois, foi beneficiado na Câmara pela prisão do vereador Afonso Arruda (PMDB), de quem era suplente. Arruda, que segue preso, também está entre os detidos da mesma operação.

Nesta terça-feira à tarde, um pouco antes da sessão, a assessoria de Sadi Pires encaminhou nota à imprensa dizendo que, como não foi indiciado (o inquérito segue em andamento), não responde judicialmente por atos relacionados à operação. Adiantou, porém, que como os inquéritos das operações Dupla Face e Parada Obrigatória (na qual aparece em uma das ligações interceptadas pelo Gaeco) estão em segredo de Justiça, não vai se pronunciar sobre nenhuma das investigações.

“Sei que muitos estão fazendo politicagem, alegando varias situações sem provas, distorcendo fatos e prejudicando o andamento do inquérito (…). Assumo tranquilo, certo que a verdade prevalecera e que tudo será esclarecido no seu tempo”, afirma na nota.

A impossibilidade legal de falar a respeito das operações foi o argumento usado na segunda-feira por Sadi para esquivar-se de depor à CPI da Codetran. Será intimado novamente a comparecer na próxima segunda-feira, o que trará aos membros da comissão a inusitada tarefa de inquirir um de seus pares.

Denunciado

Sadi assume o cargo com um “pé” na Comissão de Ética. Terminada a sessão a vereadora Anna Carolina apresentou à comissão uma denúncia contra ele, por ter sido citado entre os investigados.

A assessoria de Sadi Pires disse que ele só se manifestará a respeito na quinta-feira.

Vale dizer que o próprio PMDB estava reticente quanto à posse de Sadi. Logo após a prisão de Afonso Arruda, a presidente do partido em Itajaí, Eliane Rebello, disse que tentaria demovê-lo da ideia de assumir o posto até o fim das investigações.

Correção: Até 21h17min de terça-feira o blog informou que a denúncia contra Sadi Pires na Comissão de Ética havia ocorrido durante a tarde. Na verdade, foi protocolada após a sessão.

 

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (1)

  • Marcos diz: 30 de setembro de 2015

    Que exemplo de legislativo temos em Itajai. É coisa de novela. Esses são os nossos representantes. São o espelho da Sociedade. Grande parte dos eleitores que os colocaram lá nem se lembram que votaram neles, infelizmente pensam que não tem nada a ver com isso.

Envie seu Comentário