Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Vereador quer redução de 30% no salário do prefeito em Balneário Camboriú

05 de outubro de 2015 3

Há cerca de um mês o prefeito Edson Piriquito (PMDB) pediu aos secretários que apresentassem uma proposta de redução de custos para a prefeitura de Balneário Camboriú. Enquanto o pacote de medidas oficiais não sai, o vereador Claudier Maciel (PPS) resolveu se adiantar e encaminhou ao Executivo sugestão para reduzir em 30% os salários do prefeito, vice e cargos do primeiro escalão. Os vencimentos de Piriquito, hoje, são de R$ 20 mil.

A mesma proposta foi enviada ao presidente da Câmara, vereador Nilson Probst (PMDB). Como a redução de salários não pode vir de projeto de lei de um parlamentar, o pedido tem caráter apenas de provocação. O fato é que, entre as cidades da região, Balneário é uma das que mais lentamente se adequa à nova realidade, com menos retorno de impostos estaduais e federais. Criou, inclusive, duas novas secretarias nos últimos meses.

O que a Câmara pode fazer em relação ao custo do município são emendas à lei orgânica para “enxugar a máquina”. Isso foi feito, nos últimos dias, com uma proposta assinada pela bancada de oposição (composta por Moacir Schmidt (PSDB), Marisa Zanoni (PT) e Pedro Francez (PSD), além do próprio Claudir) para que a prefeitura limite a três o número de membros em comissões. Em algumas delas a participação dos servidores é remunerada, e há até 18 membros atuando em apenas uma comissão.

A prefeitura de Balneário Camboriú emprega, hoje, mais de cinco mil funcionários.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (3)

  • Jackson diz: 5 de outubro de 2015

    queria mesmo ver um projeto excluindo a figura do vereador/secretário, na qual proíbe cargos eletivos e mesmo candidatos ao legislativo, irem para qualquer atividade no executivo ? E que tal reduzir o repasse do executivo para o legislativo ?

  • Renato diz: 5 de outubro de 2015

    Reduzir o número de vereadores e a penca de cargos de confiança que estão pendurados em cada vereador, além da redução de salário desses mesmos representantes do povo o legislativo não se empenha em debater.
    Está na hora de todos (Legislativo – Executivo e Judiciário) pararem de pensar no próprio umbigo, assumirem que o Estado não é deles e sim eles que são representantes do Estado, e tratarem que cuidar seriamente dos despesas, seja com cortes de salários, redução de custos de custeio, obras mais racionais etc etc…

  • mari diz: 5 de outubro de 2015

    Isso tudo é proselitismo. Claudir é uma decepção, e já pulou demais de galho em galho. O cidadão gostaria de ver 100% de redução na roubalheira e negociatas, seja em que órgão ou poder for. Enquanto se fazem ( ou deixam encalhadas) obras faraônicas, BC abre concurso com salários ridículos. Não se divulga plano de cargos e salários. Desta forma, não se atraem bons médicos, bons profissionais do Direito, etc, porque os salários são ridículos até para principiantes, recém formados. Um serviço público de qualidade é direito dos cidadãos. Tem que remunerar! As pessoas se esforçam, pagam caro para obter uma formação, aperfeiçoar-se constantemente. Daí se oferece UM PILA OU DOIS de salário, de forma que o sujeito não vai poder sequer pagar suas contas básicas, ou um aluguel em BC. No mínimo, os profissionais universitários deveriam ter salários como os de vereador, sendo que alguns dos edis nem têm o ensino fundamental, e não procuraram obtê-lo nos anos de mamata. Qualquer faxineira ou vigilante ganha mais que a maioria dos cargos públicos, que ainda por cima têm que se submeter a exigências e restrições.

Envie seu Comentário