Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Ministério da Justiça emite nota de pesar por morte de haitiano em Navegantes e oferece apoio da Polícia Federal nas investigações

21 de outubro de 2015 3
Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

A repercussão da morte do haitiano Fetiere Sterlin, 33 anos, em Navegantes, que é tratada pela polícia como um possível crime de ódio, levou o Ministério da Justiça a emitir nota oficial na noite de terça-feira. O ministro José Eduardo Cardozo determinou que a Polícia Federal auxilie as investigações, que estão a cargo da Polícia Civil.

::: Polícia busca imagens para tentar solucionar morte

Na manhã desta quarta-feira a Delegacia da Polícia Federal em Itajaí informou que ainda não havia recebido a requisição oficial para entrar no caso.

Na nota oficial, o Ministério afirma que o episódio “ofende nossa histórica tradição de acolhida e respeito aos imigrantes que vêm ao Brasil construir suas vidas e que ajudaram, e ajudam, no desenvolvimento socioeconômico do País”.

Suspeitos já foram ouvidos pela polícia mas, até agora, ninguém foi preso.

 

Leia a nota oficial:

“O Ministério da Justiça lamenta com pesar a morte do haitiano Fetiere Sterlin, de 33 anos. Morador da cidade de Navegantes (SC), ele foi atacado e morto a facadas por um grupo de cerca de 10 pessoas no último sábado (17). Sterlin chegou a ser socorrido, mas morreu antes de dar entrada no hospital.

A autoridades policiais de Santa Catarina informaram que o caso está sendo investigado. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou à Polícia Federal, nesta terça-feira (20), que sejam tomadas providências cabíveis para auxiliar e apoiar a polícia estadual nas investigações.

Além de criminoso, o episódio ofende nossa histórica tradição de acolhida e respeito aos imigrantes que vêm ao Brasil construir suas vidas e que ajudaram, e ajudam, no desenvolvimento socioeconômico do País.

O Ministério da Justiça continuará a implementar políticas que respeitem a integração dos estrangeiros em nossa sociedade”.

 

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (3)

  • Ana diz: 21 de outubro de 2015

    É preciso que a justiça seja feita com rigor para que casos como esse não se repitam.Felizmente os bandidos são minoria, a maioria das pessoas são do bem, convivem e respeitam seus semelhantes, mas o estragos que o mal produz repercutem muito.A sensação de impunidade, as leis fracas principalmente contra adolescentes bandidos precisam ser revistas.Se tem capacidade para tirar a vida de outra pessoa por motivo fútil, tem que pagar.Só assim poderemos reconstruir novos valores.Como sociedade devemos pedir perdão ao Fetiere e a tantos outros que nossas leis não conseguiram proteger.

  • simone diz: 21 de outubro de 2015

    Triste notícia! Repudio totalmente esse bando de covardes e vermes que fizeram isso com esse rapaz.Que Deus console seus familiares e que seja feita justiça, pois somos todos seres humanos e temos o direito de viver aonde quisermos, afinal onde está escrito que a terra é de alguém? Não somos donos de terra nenhuma, nem mesmo a do cemitério, pois lá somos todos comidos pelas traças. Nossa polícia é muito competente, que eles encontrem e prendam esses MARGINAIS.

  • joao diz: 21 de outubro de 2015

    Em Santa Catarina, no ano de 2014, foram 762 assassinatos. Se esse número se mantiver para 2015, por que o Ministério também não se manifesta acerca das outras 761 vítimas?

Envie seu Comentário