Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Governo do Estado propõe restringir a gratuidade do ferry boat para economizar

31 de outubro de 2015 1
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

Um projeto de lei enviado pelo governador Raimundo Colombo ( PSD) à Alesc propõe restringir a gratuidade da travessia do Itajaí-Açu entre Itajaí e Navegantes pelo ferry boat a quem recebe até dois salários mínimos.

Uma lei estadual de 1991 prevê que trabalhadores e estudantes que precisam se movimentar entre as duas cidades tenham passe livre – a pé, de bicicleta ou moto. Hoje 4,8 mil pessoas utilizam o benefício, que é único em Santa Catarina e subsidiado pelo Estado.

O governo acredita que as mudanças possam reduzir em 36% o valor pago mensalmente à Empresa de Navegação Santa Catarina, que opera o serviço, e gerar uma economia anual de R$ 900 mil aos cofres públicos.

A proposta deu entrada nesta semana e está no gabinete do deputado Valdir Cobalchini ( PMDB) para análise. Não é a primeira vez que vem à tona a possibilidade de novas regras, mas o provável desgaste político decorrente da medida, considerada impopular, evitou que a ideia fosse à frente.
Agora, a queda na arrecadação poderá justificar o avanço.

Com um custo mensal que hoje chega a R$ 240 mil, o Deter, que repassa o subsídio à Empresa de Navegação Santa Catarina, tem atrasado os pagamentos.
O fato é que o Estado tem subsidiado, com dinheiro público, passes que poderiam ser incluídos no vale-transporte dos trabalhadores pelas empresas ou mesmo cobrados como contrapartida à empresa que opera o serviço por meio de permissão.

O problema histórico – e a solução pouco simpática – sobraram para o governador.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (1)

  • Bruno diz: 1 de novembro de 2015

    Um absurdo, colocar um projeto de lei para tirar o benefício isso o governo faz, agora desenvolver uma alternativa para eliminar o ferry boat isso não acontece, o valor do da travessia é a mais alta do país principalmente se levarmos a distância percorrida, o péssimo serviço prestado, na chuva a água vem de cima e das possas que ficam no ferry boat, além do cheiro insuportável de fumaça dos motores então ao invés de colocar este projeto de lei ele desenvolve algo como uma ponte para traz dos portos onde não teria que ser tão alta e teria espaço para as cabeceiras.
    Ao ver uma notícia como essa fico muito triste pois como trabalhador que utiliza no mínimo 2 vezes ao dia este serviço e cada passada perco no mínimo 30 minutos de um péssimo serviço, e como morador de Navegantes mais triste ainda com os políticos da cidade pela apática gestão e prometo para desenvolver essa alternativa para esta travessia, agora o governador além de não fazer nada para ajudar quer PREJUDICAR A POPULAÇÃO.

Envie seu Comentário