Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Prefeito Bolinha é investigado na Operação Garoupa e processo vai parar no TJSC

11 de dezembro de 2015 0
Foto: Lucas Correia / Agência RBS

Foto: Lucas Correia / Agência RBS

O inquérito da Operação Garoupa, deflagrada no dia 1º de dezembro em Itapema, foi remetido ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC). O motivo foram indícios de possível participação do prefeito Rodrigo Bolinha (PSDB) nos fatos investigados. Como o prefeito tem foro privilegiado, a investigação deve ser conduzida por instância superior.

A operação é a mesma que levou à prisão o vice-prefeito da cidade, Giliard Reis (PMDB). O nome de Bolinha teria aparecido durante um dos depoimentos coletados pelo Gaeco. Até agora, 30 pessoas foram ouvidas.

Até sexta-feira seis pessoas permaneciam presas: além de Giliard, o pai dele, José Francisco Reis Filho, Carlos Eduardo Vieira, Carlos Humberto Cruz e Wesley Carlos da Silva.

O empresário Francisco de Assis Hasckel, que também esteve detido, foi solto nesta sexta-feira. De acordo com o advogado Márcio André Sachet, seu cliente foi uma vítima do sistema de aprovação de projetos construtivos implantado na prefeitura de Itapema. Ele prestou depoimento na quarta-feira e foi liberado, segundo o advogado, por colaborar com as investigações.

Foram cumpridos 10 mandados de prisão preventiva e um dos investigados permanece foragido. O advogado do prefeito Bolinha, Giancarlo Castelan, não foi localizado na tarde desta sexta-feira para comentar o caso.

Comente e compartilhe

comentários

Envie seu Comentário