Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Obras da bacia de evolução podem impactar no turismo de transatlânticos em Itajaí

27 de dezembro de 2015 1
Foto: Lucas Correia / Agência RBS

Foto: Lucas Correia / Agência RBS

O avanço das obras da nova bacia de evolução para os portos de Itajaí e Navegantes pode impactar no turismo de transatlânticos em Itajaí na próxima temporada. Isto porque a estrutura do píer Guilherme Asseburg terá que dar espaço para a segunda fase da empreitada.

Caso o governo federal garanta os recursos para o ano que vem, é provável que a cidade tenha que abrir mão dos cruzeiros até viabilizar o novo terminal, que ficará junto à Vila da Regata – espaço onde é montada a estrutura de regatas como a Volvo Ocean Race e a Jacques Vabre.

O início da primeira etapa ainda depende da contratação de uma empresa para fiscalização, que está em fase final de licitação. Mas a segunda fase pode ocorrer paralelo às obras da primeira, caso haja recursos.

O píer turístico de Itajaí completa 15 anos em janeiro, e celebra a marca de mais de 300 mil passageiros. A estrutura, que hoje fica junto ao Marco Zero de Itajaí, na Praça Vidal Ramos – onde está a mais antiga igreja da cidade – receberá nesta temporada 16 escalas de cruzeiros.

O movimento já foi maior. Em 2010, com o mercado aquecido no país, o píer chegou a receber navios 34 vezes. A queda atual segue o ritmo do setor, que vem registrando redução no Brasil devido às taxas, burocracia e ao interesse dos armadores em operar em outros destinos como a Ásia, para onde estão migrando muitos dos navios que navegavam pela costa brasileira no verão.

Ponto turístico

O curioso é que, em Itajaí, a proximidade com o porto – que em alguns lugares é vista como desvantagem estética – é destacada como um dos atrativos e diferenciais do píer turístico. Talvez seja esse fato, aliado à agilidade de processos decorrente da proximidade dos órgãos federais, instalados no porto, que tenham feito a fama de Itajaí. De fato, a passagem e as manobras dos imensos cargueiros viraram ponto turístico. Com direito a espectadores e selfies.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (1)

  • JOSÉ EMILIANO REBELO diz: 28 de dezembro de 2015

    Está na hora de parar com essa falácia da concretude deslocada. No mês de fevereiro, embarquei com a família neste navio de cruzeiro da foto. A viagem foi maravilhosa, mas a decepção quanto a divulgação da imagem e destino turístico de Itajaí, a bordo do navio, foi um marketing da ineficiência e da ineficácia da Fundação Municipal de Turismo, tudo porque, a bordo tinha uma agência vendendo pacotes para Beto Carreiro World (US$ 80 por turista), Blumenau e Balneário Camboriú. Então questionei? A empresa já fez 10 desembarques/embarques no Terminal de Itajaí e por quê eles não divulgavam nossas belezas naturais, patrimônio histórico e imaterial? Responderam: Porque o órgão municipal de turismo não participa desta empreitada. Resumo da Ópera: meia dúzia fica andando pela rua Hercílio Luzi enquanto a grande maioria vai para Penha, Blumenau e Balneário Camboriú.

Envie seu Comentário