Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Porto Belo estuda implantação de pedágio ambiental

07 de janeiro de 2016 4
Foto: Lucas Correia

Foto: Lucas Correia

 

A prefeitura de Porto Belo anunciou uma parceria com a Univali para estudar medidas de compensação ambiental, com possibilidade de instituir um pedágio para quem entrar na cidade.

A ideia é inspirada na vizinha Bombinhas, mas deve ter algumas diferenças _ a principal delas é a possibilidade de abatimento ou isenção para quem utiliza os equipamentos turísticos do município, como hoteis e restaurantes.Um modelo de taxa semelhante é cobrado em Bonito, no Mato Grosso do Sul.

Se aprovado, o pedágio vai integrar uma série de medidas para melhorar a qualidade do turismo e reduzir o impacto. Entre elas, possíveis limitações para construção civil, incentivo para aumentar o número de leitos, e redução da carga turística em áreas de proteção ambiental.

Os números justificam a intenção da prefeitura: com 20 mil habitantes, Porto Belo tem a menor arrecadação entre as cidades da região (este ano o orçamento é de R$ 60 milhões) e recebeu, só na virada do ano, mais de 100 mil visitantes.

Além do próprio movimento, o município também arca com o vaivém de turistas em direção à Bombinhas, e com a passagem das redes de água e energia elétrica para a cidade vizinha _ o que também deve exigir compensação.

O estudo será coordenado pelo professor Marcus Polette, que dirige o Laboratório de Conservação, Gestão e Governança, e seguirá preceitos discutidos na Conferência do Clima de Paris (COP 21).

O debate será aberto em audiências para a comunidade entre fevereiro e abril. Se o pedágio for aprovado, é possível que os turistas que se dirigem a Bombinhas tenham que pagar duas taxas.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (4)

  • Luiz Magalhães diz: 8 de janeiro de 2016

    Imagina ter que pagar duas “taxas” para ir a um mesmo local!! Que Porto Belo e Bombinhas achem uma forma conjunta de divisão do que já restou instituído ou, certamente, muitos irão preferir outro destino.

  • Juliano diz: 8 de janeiro de 2016

    Mais um poço sem fundo, para onde vai o dinheiro e ninguém sabe onde vai parar, que fiquem com Porto Belo para vocês, nem acesso tem, por favor…..

  • Orlando diz: 8 de janeiro de 2016

    Isso só afastará os turistas. Imagina pra quem tem parentes em Bombinhas… Toda vez que for pra lá, pagar duas taxas (Porto Belo e Bombinhas)… Já pensaram se Bombas fosse município e resolvesse cobrar??

    Porto Belo está mais para Porto Feio, pois como o “Juliano” falou, nem um acesso descente o município tem… Ou melhor, nem acesso, nem água de qualidade…

  • clayton diz: 8 de janeiro de 2016

    Olá Dagmara, estou aqui para fazer algumas considerações a respeito da presente matéria mas também da sua falta de imparcialidade como profissional. Toda vez que você se refere a cidade de bombinhas seus comentários são os mais negativos possíveis, sempre criticando e desaprovando as medidas da prefeita, e o pior está nessa matéria sobre porto belo, achar justo porto belo receber uma compensação por permitir a passagem de água e luz para bombinhas, pela sua ótica então itapema deve receber de porto belo por fornecer água e luz pra ela e assim qualquer cidade no brasil tem esse direito (piada né). Você deveria ser um pouco mais profissional no que faz e não diga que não, é só ler seus textos referentes a bombinhas que isso se mostra muito claro. Espero que pelo menos meu texto seja publicado e não censurado.

Envie seu Comentário