Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 9 janeiro 2016

Coletores encontram R$ 18 mil no lixo e devolvem aos donos em Navegantes

09 de janeiro de 2016 3

Um casal de argentinos foi presenteado com a honestidade de trabalhadores da empresa de coleta de lixo de Navegantes neste início de ano. Receberam de volta R$ 18 mil e US$ 60 dólares que haviam jogado, sem querer, no lixo. O dinheiro era a economia que mantinham desde que se mudaram para o Brasil.

Eder Bodenmuller, gerente da empresa de coleta Recicle, em Navegantes, conta que o casal abordou o caminhão de lixo em desespero, no dia 3 de janeiro. Pediram para ver o conteúdo do que havia sido recolhido e disseram que haviam perdido documentos. O motorista, Laucimar Moreira, respondeu que era impossível abrir a carga, mas prometeu que olharia o conteúdo quando fosse descarregá-lo _ e seguiu viagem.

Mais tarde, encontrou de novo com o casal e algo lhe incomodou:

_ Ele resolveu parar e perguntar como era o que eles haviam perdido, e o casal então disse que eram suas economias. O dinheiro estava no fundo falso de uma bolsa, e eles acabaram jogando fora sem querer, quando limpavam a casa _ conta Eder.

Sensibilizado, o motorista decidiu que faria o que estivesse ao seu alcance para encontrar a bolsa. Junto com os colegas de coleta, Carlos Duarte, Kervin de Souza, Gilberto Fabiano e Jailson Moreno, arregaçou as mangas. O grupo revirou as sacolas em busca da bolsa perdida, e a encontrou.

O dinheiro foi contado e devolvido em casa para o casal de argentinos, que os pagou uma recompensa.

Cada um dos funcionários da coleta de lixo recebe cerca de mil reais por mês.

Três anos depois, dano ambiental em Itapema e Porto Belo continua sem punição

09 de janeiro de 2016 3
Foto: Rafaela Martins, Arquivo

Foto: Rafaela Martins, Arquivo

 

Três anos após um derramamento de esgoto ter causado a morte de peixes e a interdição de praias em Itapema e Porto Belo, a multa emitida pela Fatma, de R$ 6,5 milhões, ainda não foi paga pela concessionária Águas de Itapema. Segundo informações do órgão estadual, a autuação está tramitando na Justiça e não há data para o término do processo.

Na época, a empresa creditou a poluição a 73 ligações de esgoto clandestinas nos rios da Fita e Perequê. O desastre ambiental recebeu a classificação de Grave 1, em uma escala que vai de Leve a Gravíssimo. Técnicos da Fatma levaram em consideração que o impacto só seria reversível a médio prazo.

De lá para cá, as prefeituras de Itapema e Porto Belo não divulgaram análises sobre a fauna dos dois rios, que foi diretamente prejudicada pelo derramamento.
A Fundação Ambiental Área Costeira de Itapema (Faaci) chegou a aplicar também uma multa de R$ 500 mil. No ano passado propôs à empresa uma conversão da penalidade em prestação de serviço _ mas não houve acordo. O processo segue correndo e aguarda julgamento.

Procurada, a Águas de Itapema não se manifestou sobre o caso na sexta-feira.

::: Leia mais sobre o caso