Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Protesto contra alta na tarifa de água reúne cerca de 100 pessoas em Itapema

30 de janeiro de 2016 1
Foto: Lucas Correia / Agência RBS

Foto: Lucas Correia / Agência RBS

Por Camila Iara
camila.iara@santa.com.br

Um protesto contra o reajuste na tarifa de água reuniu cerca de cem pessoas no Centro de Itapema na tarde de sexta-feira. Segundo Rafael Bach, 32 anos, organizador da passeata, os manifestantes saíram da região central da cidade, próximo à Praça da Paz, por volta das 13h30min. Eles seguiram até a prefeitura e depois até a Companhia Águas de Itapema (Conasa). Bach explica que a proposta foi tentar contato para que baixassem o valor cobrado, mas não houve diálogo. Ele adianta que dia 15 de fevereiro haverá uma audiência pública na Câmara de Vereadores em conjunto com a Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (Aris), Conasa e o prefeito Rodrigo Bolinha (PSDB).

— Temos uma tarifa onde há uma cobrança de 200% em cima, quem pagava R$ 50 na água agora está pagando R$ 500. É um absurdo e não podemos deixar assim — afirma.

A advogada Tatiana Aparecida de Oliveira, 31 anos, participou do protesto. Segundo ela, que diz acompanhar supostas irregularidades no sistema de água de Itapema, existe uma discrepância no que determina a lei e no que está sendo aplicado pelo poder público em relação à cobrança de água na cidade:

— Enquanto todo mundo só se preocupa com o esgoto, eles estão quebrando contrato há pelo menos 10 anos. Por que o prefeito não cumpre o que foi determinado pelo Tribunal de Contas? Isso tudo é um reflexo de uma ilegalidade que está ocorrendo há muito tempo— alega.

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Conasa afirmou que em janeiro a Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (Aris), a pedido da Prefeitura de Itapema, fez a revisão do contrato de concessão da Conasa com o objetivo de inserir os investimentos do Plano Municipal de Saneamento Básico, de cerca de R$ 600 milhões — o que demandou a alteração da matriz tarifária. De acordo com a assessoria, a instituição que regula as tarifas e os serviços das concessionárias no município é a Aris — a Conasa não faz alterações tarifárias de forma independente —, e as informações da matriz tarifária completa juntamente ao Plano Municipal de Saneamento Básico podem ser acessados no site aguasdeitapema.com.br.

Reversão

À noite, a prefeitura de Itapema informou que reverteu a nova forma de cobrança em uma reunião em Florianópolis com a Aris na sexta-feira. De acordo com o prefeito Rodrigo Bolinha (PSDB), a partir de segunda-feira a taxa sazonal cobrada sobre a conta de água está suspensa — esta tarifa, de cerca de 25%, estava sendo aplicada nos casos em que os consumidores utilizavam mais que 10 metros cúbicos de água durante a temporada, o que provocou um aumento expressivo nas contas.

— Em relação aos consumidores que já pagaram a conta desse mês a Aris ainda está avaliando como ficará a situação. Essa taxa sazonal foi criada para que os investimentos do Plano de Saneamento Básico não pesassem na tarifa básica. Ela acabava beneficiando quem consome menos — comenta o prefeito.

Foto: Lucas Correia / Agência RBS

Foto: Lucas Correia / Agência RBS

Protesto com espuma

Manifestantes que participaram do protesto contra a nova tarifa resolveram deixar um “brinde” para a Conasa: colocaram sabão na fonte em frente à companhia.

 

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (1)

  • Jackson Gilberto Trindade Fávero diz: 1 de fevereiro de 2016

    Muito mais que racional, uma vez que o recurso natural é definido por lei que é finito, o justo é quem consome menos paga menos, a questão é falta de planejamento na área de saneamento básico principalmente em nosso Estado, aonde o Rio mais poluído é o mais próximo da sua casa, se não cuidamos do recurso como queremos pagar menos ? A cada dia custa mais caro para tratar a água

Envie seu Comentário