Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Debandada: PMDB de Itajaí recebe mais de 900 pedidos de desfiliação

08 de março de 2016 1
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

 

A ex-dama de ferro do PMDB de Itajaí, Eliane Rebello, entregou no fim da tarde de segunda-feira ao atual presidente da comissão de intervenção do partido, Gaspar Laus, cerca de 900 pedidos de desfiliação de correligionários que decidiram acompanhá-la na decisão de deixar a sigla. A debandada peemedebista promete esquentar a disputa eleitoral pela prefeitura: até o fim desta semana, os dissidentes decidem se migrarão para o PP do prefeito Jandir Bellini, o PSD ou o PDT.

A própria Eliane já havia se desfiliado do partido há cerca de um mês _ mas os desentendimentos haviam começado muito antes disso, em setembro, quando Volnei Morastoni deixou o PT para integrar o PMDB com status de pré-candidato a prefeito. As relações entre os dois estavam estremecidas desde que protagonizaram o comando da prefeitura, entre 2004 e 2008, ele como prefeito, ela como vice. Dividir o partido com o adversário foi, para Eliane, a gota d`água.

Some-se a isso o fato de parte dos membros do partido estar descontente com a intervenção do diretório estadual, ocorrida no ano passado, e está feito o cenário da disputa interna por poder. A última cartada foi a substituição de Eliane, que ocupava o posto de secretária de Desenvolvimento Regional, por Aquiles da Costa.

Sem candidatura

Nesta terça-feira, Eliane Rebello afirmou que o PMDB agiu de forma antidemocrática e que vai filiar-se a uma nova sigla, com outros dissidentes, sem pretensões de candidatura.

Para Gaspar Laus a debandada não enfraquece o PMDB, que está em busca de novas filiações _ e acredita, inclusive, que terá nomes suficientes para suprir os que deixaram o partido. Até a saída em massa, a sigla tinha cerca de 5 mil filiados em Itajaí. Com o nome de Volnei Morastoni como pré-candidato, o partido tem conversado com PSDB, PR e Solidariedade em busca de alianças para as próximas eleições.

Filiação

O vereador Thiago Morastoni assinou também na segunda-feira sua transferência definitiva para o PMDB. Eleito pelo PT, o parlamentar já havia anunciado a troca de partido na época em que o pai, Volnei, decidiu integrar a sigla.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (1)

  • cleber diz: 9 de março de 2016

    Assim Volnei devera ficar sozinho se Deus quiser porque ele prefeito de nossa Itajaí novamente não devera ser, depois do que fez com Itajaí nos seus pífios quatro anos de mandato.

Envie seu Comentário