Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Itajaí tem dois casos suspeitos de febre chikungunya autóctone

15 de março de 2016 0

A Secretaria de Saúde de Itajaí investiga dois casos de febre chikungunya que podem ter sido contraídos na cidade. As vítimas são moradores da zona rural, uma do Bairro Espinheiros e outra da localidade do Brilhante. Uma segunda amostra de sangue dos pacientes será enviada ao Laboratório Central (Lacen), em Florianópolis, para confirmar que se trata da febre.

A diretora de Vigilância Epidemiológica de Itajaí, Rachel Marchetti, disse que as suspeitas não mudam as estratégias de combate ao mosquito aedes aegypti na cidade. Mas podem intensificar as ações na zona rural, que até então não estava entre os pontos de maior atenção.

Além desses casos, outros dois já foram confirmados em Itajaí nos últimos dias. A diferença é que estes, de acordo com a Secretaria de Saúde, são “importados” _ os pacientes contraíram a doença em outros municípios.

São os primeiros casos de febre chikungunya em Itajaí este ano. No ano passado a cidade registrou apenas um _ o primeiro autóctone (de transmissão local) no Estado.

Transmitida pelo aedes aegypti _ o mosquito da dengue _ , a febre se caracteriza por causar sintomas nas vítimas por mais tempo do que a dengue. Em especial as dores articulares, que podem perdurar por meses ou anos.

No Estado, além de Itajaí, há casos confirmados em Penha, Blumenau, Brusque, Descanso, Joinville e Porto União. Todos, até agora, importados.

Saiba mais sobre a febre:

O que é?
É uma infecção viral causada pelo CHIKV e que pode se apresentar sob a forma aguda (com sintomas abruptos de febre alta, dor articular intensa, dor de cabeça e dor muscular, podendo ocorrer erupções cutâneas) e evoluir para as fases: subaguda (com persistência de dor articular) e crônica (com persistência de dor articular por meses ou anos). O nome da doença deriva de uma expressão usada na Tanzânia que significa “aquele que se curva”.

Como se transmite?
A doença é transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectada pelo vírus.

Diagnóstico
O diagnóstico é realizado por exames laboratoriais ou pela avaliação dos sinais e sintomas apresentados e pela presença da pessoa em áreas com detecção do mosquito transmissor ou com casos de dengue nos 14 dias anteriores ao ínicio do quadro.

Tratamento
Não existe medicamento específico contra a chikungunya, mas os sintomas podem ser aliviados com o uso de remédios para dor ou febre, prescritos pelo médico.
Não devem ser usados medicamentos à base de ácido acetilsalicílico (Aspirina, Melhoral, AAS) e anti-inflamatórios, pois podem aumentar o risco de hemorragias.

(Fonte: DIVE)

 

Comente e compartilhe

comentários

Envie seu Comentário