Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Obras da bacia de evolução deverão iniciar esta semana

30 de maio de 2016 1
Foto: Marcos Porto, Arquivo

Foto: Marcos Porto, Arquivo

 

A empresa Prosul, de Florianópolis, venceu a licitação aberta pela Secretaria de Estado da Infraestrutura para contratar uma empresa de fiscalização, para as obras da nova bacia de evolução dos portos de Itajaí e Navegantes. A definição era o que faltava para dar início aos trabalhos da primeira etapa. A expectativa é de que o contrato seja assinado ainda esta semana pelo governo do Estado.

O preço oferecido pela Prosul foi de R$ 4 milhões. A contratação de uma fiscalizadora externa foi uma exigência da Fatma, quando a obra estava em fase final de licenciamento.

No fim de março o governador Raimundo Colombo (PSD) autorizou a Triunfo, empresa que ganhou a licitação para executar a empreitada, a mobilizar o canteiro de obras. Desde então o Molhe Norte, em Navegantes, foi fechado para carros e pedestres e parte do maquinário foi transferido para o local, por onde a obra vai iniciar.

O projeto começará pela retirada dos molhes transversais e pela redução na extensão do Molhe Norte, que depois terá a angulação levemente alterada. Todo o trabalho será feito sem interromper a movimentação portuária – um desafio de logística.

A nova bacia de evolução é ansiosamente aguardada pelo trade portuário local. A primeira fase da obra é custeada pelo governo do Estado, que vai investir R$ 103 milhões. Vai abrir espaço para manobrar navios de até 335 metros de comprimento – hoje, o limite é de 306 metros –, uma vantagem estratégica para manter a competitividade dos terminais portuários de Itajaí e Navegantes.

Segunda fase

A mobilização do trade e do governo do Estado será agora pelo envio de R$ 200 milhões do governo federal para a segunda fase da bacia de evolução, que elevará a capacidade de manobras para navios de até 366 metros de comprimento. A verba havia sido garantida em orçamento pela presidente afastada Dilma Rousseff (PT), apesar dos cortes.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (1)

  • JOSÉ EMILIANO REBELO diz: 30 de maio de 2016

    A bacia de evolução vai contribuir para o crescimento da Portonave, privado com elevados índices de eficiência e eficácia. Além desta realidade adversa, o Porto de Itajaí vai retornar ao governo federal deixando de ser municipalizado, virtualmente, com a concorrência desvantajosa dos portos de Itapoã (15 metros de calado natural) e de Imbituba (17 metros de calado natural) ambos privados como a Portonave. Só resta ao Porto de Itajaí se habilitar na Navegação de Cabotagem.

Envie seu Comentário