Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Praias Agrestes de Balneário Camboriú só terão água encanada no fim do ano

27 de junho de 2016 0
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto, Arquivo

 

Dois reservatórios fabricados nos Estados Unidos e comprados pela Empresa Municipal de Água e Saneamento de Balneário Camboriú (Emasa) estão sendo trazidos de navio para o Brasil.

As estruturas, que chegam nos próximos dias, integram o projeto de instalação de rede de abastecimento nas praias agrestes, a Interpraias. A região tem cerca de 5 mil moradores e possui algumas das mais conhecidas pousadas e beach clubs da região _ mas, até hoje, o abastecimento é feito precariamente com caminhões-pipa.

As obras da rede de água, estimadas em R$ 6 milhões, deveriam ter sido concluídas em março do ano passado, mas uma série de impasses atrasou os trabalhos. Por equívoco, a Emasa não comprou as junções junto com a tubulação. Assim, não havia como interligar a rede.

Agora, a previsão é de que os trabalhos terminem até a próxima temporada e a comunidade dê adeus aos caminhões-pipa no verão. Mas isso, se tudo ocorrer como o previsto.

Por determinação da Fatma, a Emasa precisou enviar ofício ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) informando sobre os locais escolhidos para a instalação dos reservatórios. Isto porque já foram encontrados na região da Interpraias sambaquis de alto valor arqueológico _ “morros” formados por resquícios de povos primitivos, como conchas, ossadas de mamíferos marinhos que eram consumidos pelas aldeias e artefatos indígenas.

A instalação ficará distante dessas áreas, mas era necessário comprovar isso. A empresa inda aguarda resposta do Iphan.

Os sucessivos atrasos no projeto de instalação de rede coletora de esgoto nas praias agrestes levaram a Emasa a perder a garantia de recursos da Caixa Econômica Federal para o projeto. A intenção, agora, é fazer a obra com verba municipal _ ainda não estimada.

Parte do entrave se deve às mudanças de projeto. A ideia era que o encanamento passasse pela BR-101, mas a obra não foi autorizada pela ANTT. Então, a proposta foi alterada para que a tubulação passasse pelo Morro do Boi. Mas ainda faltava o aval federal.

Com a mudança, as praias agrestes passarão mais uma temporada sem coleta nem tratamento de esgoto.

Comente e compartilhe

comentários

Envie seu Comentário