Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Mudança na cobrança de condomínios turbina arrecadação da Emasa em Balneário Camboriú

04 de julho de 2016 2
Foto: Marcos Porto, Arquivo

Foto: Marcos Porto, Arquivo

 

A decisão judicial que alterou o modelo de cobrança da conta de água nos edifícios que não têm hidrômetro individual por apartamento turbinou as contas da Empresa Municipal de Água e Saneamento de Balneário Camboriú (Emasa). A arrecadação passou de R$ 56 para R$ 70 milhões ao ano.

Até então, a autarquia cobrava o valor mínimo do metro cúbico, e o total era dividido por apartamento. Ocorre que o volume de consumo dos prédios, contabilizados em apenas um hidrômetro, demanda cobrança diferenciada – na prática, o metro cúbico onde se consome mais fica três vezes mais caro.

Diante das queixas dos consumidores, técnicos da Emasa têm se reunido com a agência reguladora, a Agesan, para definir o custo da água e qual a tarifa ideal.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (2)

  • Renato diz: 4 de julho de 2016

    Isso é uma vergonha!!! (citando Boris Casoi). Governo – Federal – Estadual – Municipal e suas autarquias e órgãos afins, trabalham apenas para arrumar formas de aumentar a cobrança de taxas, tarifas, impostos etc etc. Em contra partida temos um serviço de péssima qualidade.
    De forma geral falta gestão, educação, zelo pela coisa pública… sobra descaso, irresponsabilidade…
    E o custo… o custo nós pagamos… e caro!!!

  • edu diz: 4 de julho de 2016

    Roubo com aval jurídico, maioria dos condomínios vazios fora da temporada, cobre-se pelo volume consumido, mesma pratica para taxa de lixo e limpeza publica.

Envie seu Comentário