Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Saúde e segurança baixam índice de competitividade de Itajaí e região

15 de julho de 2016 0
Foto: Marcos Porto, Arquivo

Foto: Marcos Porto, Arquivo

 

Dois fatores empurraram para baixo o Índice de Competitividade Regional (ICR) da Amfri, que integra os 11 municípios da região de Itajaí. Apesar de ter a terceira maior economia do Estado, com a maior renda per capita (R$ 43 mil ao ano) e a maior receita tributária por habitante (R$ 857), a região é a 28ª das 36 regiões administrativas de Santa Catarina em saúde, e a última em segurança pública.

É a sexta região em competitividade no Estado, atrás de Florianópolis, Blumenau, Jaraguá do Sul e Concórdia.

Na saúde, um dos piores indicadores é o número de leitos hospitalares: 1,74 para cada mil habitantes. Bem menos do que a média estadual, que é de 2,36. O número é ainda mais grave porque a região é a terceira mais populosa e SC, e tem o maior índice de crescimento – 2,68%, praticamente o dobro da média catarinense.

A região é também a que contabiliza o maior índice de anos de vida perdidos por morte prematura em razão de doenças como diabetes problemas cardiovasculares, câncer ou doenças transmissíveis.

A situação da saúde só não é mais grave do que a da segurança. Para alcançar o pior índice do Estado, a região somou o segundo pior resultado em furtos, assaltos, tráfico e uso de drogas, além de ser a 31ª em índice de assassinatos para cada 100 mil habitantes.

Os números comprovam os principais pontos a serem atacados para melhorar, inclusive, o potencial de atração de novos investimentos.

Esta é a primeira vez que a Secretaria da Fazenda de Santa Catarina faz o cruzamento de dados, que servirá para definição de políticas públicas. Além de saúde e segurança, foram analisados índices de educação básica e superior, mercado de trabalho, sustentabilidade social e ambiental, infraestrutura, economia e solidez fiscal.

Comente e compartilhe

comentários

Envie seu Comentário