Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Resultados da pesquisa por "UO-Sul"

Fechamento da UO-Sul da Petrobras completa dois meses e nenhum avanço

06 de julho de 2015 1

O governador Raimundo Colombo (PSD) disse que ainda está aguardando uma resposta da presidência da Petrobras sobre o pedido de audiência para tratar do fechamento da UO-Sul, em Itajaí.

Já faz dois meses que a unidade passou para a categoria de Ativo de Produção (sem atividades de pesquisa e exploração), boa parte dos funcionários já foi transferida para a unidade de Santos, e até agora nem uma resposta decente sobre o pedido de permanência em Itajaí foi dada.

A julgar pela falta de urgência das autoridades, devem ter esquecido do assunto.

::: Leia mais sobre o fechamento da UO-Sul

Petroleiros cobram resposta da Petrobras sobre fechamento da UO-Sul

02 de junho de 2015 0
Foto: Lucas Correia, Especial

Foto: Lucas Correia, Especial

 

Representantes da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e do Sindicato dos Petroleiros de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul têm reunião marcada hoje no Rio de Janeiro com a Gerência de Exploração e Produção da Petrobras para tratar do fechamento da UO-Sul em Itajaí.

Os trabalhadores reclamam que, até agora, não obtiveram respostas convincentes sobre os motivos que levaram à extinção da unidade um mês atrás – a única especializada em pesquisa por novos campos de trabalho no Sul do país, e a de melhor relação entre o número de funcionários e a produtividade.

Em Itajaí as transferências dos trabalhadores para Santos já começaram e devem ser concluídas até o fim de julho. Segundo informações que chegaram ao deputado estadual Leonel Pavan (PSDB), que tomou a frente da luta pró-UO-Sul na Alesc, parte dos trabalhadores já vê a situação como irreversível e colocou à venda imóveis que mantinha em Itajaí.

::: Leia mais sobre o fechamento da UO-Sul

O fechamento da UO-Sul provocou movimentação do empresariado, mas a mobilização política, que deveria ser capitaneada pelo governador Raimundo Colombo (PSD), ainda não teve resultado.

Recentemente chegou ao sindicato a informação extraoficial de que os embarques para as plataformas que hoje são feitos via Aeroporto de Navegantes também serão transferidos para o Aeroporto de Itanhaém (SP), que é hoje o ponto de embarque para quem atua em Santos. A Petrobras mantém uma área em Navegantes mediante concessão.

Surpreso

No último encontro do Sindicato dos Petroleiros com o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, na semana passada, os sindicalistas apresentaram um relatório mostrando o que é a UO-Sul e o impacto do fechamento para o Sul do país.

O presidente teria ficado “admirado” com a repercussão da saída da unidade. Mas não manifestou indicação de que poderia voltar atrás.

Senador Paulo Bauer pede audiência para tratar do fechamento da UO-Sul

30 de maio de 2015 0

O senador Paulo Bauer ( PSDB) enviou a pedido do deputado estadual Leonel Pavan ( PSDB) ofício ao presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, com questionamentos sobre o fechamento da Unidade de Exploração e Produção Sul ( UO-Sul), em Itajaí.

Pediu para que, ao menos, seja recebido para tratar do assunto.

Há cerca de duas semanas os trabalhadores da UO-Sul, que chegaram a entrar em greve para evitar as transferências para Santos, começaram a fazer a ambientação em São Paulo.

::: Leia mais sobre a UO-Sul

Ainda em abril o governador Raimundo Colombi (PSD) prometeu discutir o assunto com a presidência da Petrobras, mas, até agora, não houve movimentação.

A UO-Sul era a única unidade de exploração e produção da Petrobras no Sul do país.

 

 

Funcionários da UO-Sul decidem manter greve em Itajaí

04 de maio de 2015 0
Lucas Correia/Especial

Lucas Correia/Especial

 

Os funcionários da Unidade de Exploração e Produção Sul (UO-Sul) da Petrobras voltaram a se reunir em assembleia no fim da tarde desta segunda-feira, em Itajaí. O objetivo do encontro foi definir as estratégias do movimento grevista, conforme o representante da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Silvaney Bernardi.

No encontro, que durou cerca 40 minutos, os funcionários decidiram por unanimidade continuar a paralisação. Segundo Bernardi, os trabalhadores acreditam que o caminho é continuar buscando a ajuda de políticos da região.

_ A nossa expectativa é que a reunião que o governador (Raimundo Colombo) ficou de agendar com a Petrobras reverta a situação _ afirma.

O representante da FUP também informou que a Petrobras já iniciou a desativação da unidade, conforme foi anunciado anteriormente.

_ A tendência é ficar apenas o pessoal ligado a área de produção no campo de Baúna. Os funcionários ligados ao desenvolvimento de exploração de petróleo em novas áreas está sendo transferido daqui _ disse.

(Camila Guerra)

Petrobras adia transferência de funcionários da UO-Sul para Santos

04 de maio de 2015 0
Foto: Lucas Correia

Foto: Lucas Correia

 

Depois de os funcionários da Unidade de Exploração e Produção Sul da Petrobras (UO-Sul) em Itajaí terem anunciado greve, na semana passada, a empresa adiou para semana que vem a transferência dos empregados para Santos (SP).

Os trabalhadores da UO-Sul compareceram hoje à unidade, mas estão se recusando a executar trabalhos que digam respeito à unidade de Santos. Desde 1º de maio a UO-Sul passou a ser um Ativo de Produção subordinado à unidade santista.

A expectativa agora é pela reunião que o governador Raimundo Colombo (PSD) prometeu marcar com a presidência da Petrobras, no Rio de Janeiro, para pedir a permanência das atividades de pesquisa e exploração no Sul do país.

Na quinta-feira, véspera do feriado, o senador Dário Berger (PMDB) manifestou-se no Senado a favor da UO-Sul. Disse que a notícia da extinção da unidade foi recebida em SC com “surpresa, indignação e revolta” e classificou a medida da empresa como “intempestiva e inconsequente”.

O senador afirmou acreditar que se trata de um primeiro passo para desativação de todas as atividades exploratórias no Estado e destacou que a permanência da UO-Sul é “vital para desenvolvimento de SC”.

::: Leia mais sobre o fechamento da UO-Sul

 

Trabalhadores da UO-Sul enviam carta aos governadores: "Não há futuro para a Petrobras no Sul"

30 de abril de 2015 1
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

Trabalhadores da Unidade de Exploração e Produção Sul da Petrobras (UO-Sul), em Itajaí, que será desativada nesta sexta-feira, enviaram uma carta aberta aos governadores dos três estados do Sul, Raimundo Colombo (PSD), Beto Richa (PSDB-PR) e José Ivo Sartori (PMDB-RS) explicando as consequências da subordinação das atividades a Santos (SP) e pedindo apoio na luta pela permanência em Itajaí. Na quarta-feira eles decidiram entrar em greve por tempo indeterminado para protelar as transferências.

No texto, encaminhado nesta quinta-feira, dizem que foram pegos de surpresa com o fechamento, e que os funcionários transferidos correspondem a dois terços do total de trabalhadores da unidade, especializados em exploração, engenharia, contratação, planejamento, recursos humanos e licenciamento ambiental.

“O futuro da operação de Itajaí é sucumbir junto com a queda natural da produção dos campos operados pelo tal Ativo Sul. Sem esses profissionais, que são responsáveis por encontrar petróleo, desenvolver novos projetos de produção, e mobilizar pessoas, não há futuro para a Petrobras no sul. Restará a região aguardar o fim da operação dos campos de Baúna e Piracaba, e ver o escritório de Itajaí ser fechado de vez, já enfraquecido, com número reduzido de pessoas e sem nenhuma visão de futuro” _ descrevem.

::: Leia a carta completa:

 

 

Completam falando dos bons resultados conquistados pela unidade, da folha de pagamento enxuta e completam o texto falando da possibilidade de novas operações que poderiam ser capitaneadas pela UO-Sul: “Nós, funcionários, não queremos perder a chance de desenvolver a bacia do Paraná, campos em terra no norte do estado do Paraná, sob nossa responsabilidade. Queremos poder atuar na bacia de Pelotas, que demonstra grande potencial de exploração de gás no mar do Rio Grande do Sul. Queremos explorar mais campos em mar no sul da Bacia de Santos, que se estende até Florianópolis. Queremos crescer no sul do Brasil”.

Ainda na quarta-feira o governador Raimundo Colombo confirmou apoio à causa em reunião com o prefeito de Itajaí, Jandir Bellini (PP), o presidente da Associação Empresarial de Itajaí, Eclésio da Silva, e o deputado estadual Leonel Pavan (PSDB). Colombo deve agendar uma reunião com o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, nos próximos dias.

Governador articula negociação com a presidência da Petrobras para manter a UO-Sul

30 de abril de 2015 1
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Na quarta-feira o governador Raimundo Colombo (PSD) recebeu o prefeito de Itajaí, Jandir Bellini (PP), o presidente da Associação Empresarial de Itajaí (ACII), Eclésio da Silva, e o deputado estadual Leonel Pavan (PSDB) para falar do fechamento da Unidade de Exploração e Produção Sul (UO-Sul) em Itajaí.

Também na quarta-feira os trabalhadores da UO-Sul decidiram entrar em greve depois que a Petrobras enviou passagens, ordenando que os empregados que serão transferidos a Santos viagem já a partir de terça-feira _ a unidade é declarada extinta a partir desta sexta.

Colombo se mostrou receptivo à causa e prometeu tratar pessoalmente de uma reunião com o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine. A expectativa é que a comitiva catarinense possa ser recebida na semana que vem.

_ A presença da Petrobras é muito importante para Santa Catarina e vamos dialogar para garantir sua permanência no Estado. Esperamos sensibilidade para que a manutenção do quadro atual seja confirmada _ disse o governador, que  já adiantou o assunto com a presidente Dilma esta semana e deve reforçar o pedido.

Sem vitória

Na terça-feira, ao responder questionamento do deputado federal Décio Lima (PT), o presidente da Petrobras minimizou o fechamento da UO-Sul com o discurso da continuidade das operações, agora subordinadas a Santos.

A resposta foi bem aceita tanto por Décio quanto por Mauro Mariani (PMDB), que saíram da audiência no Senado acreditando em uma vitória para Santa Catarina – o que, de fato, não ocorreu.

Na quarta-feira, logo após o encontro com o governador, a comitiva itajaiense buscava meios de reconquistar o apoio dos representantes do Estado no Congresso.

Presidente da Petrobras minimiza fechamento da UO-Sul

29 de abril de 2015 2
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

Questionado durante audiência no Senado pelo deputado federal Décio Lima (PT), o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, minimizou o fechamento da Unidade de Exploração e Produção Sul (UO-Sul). Classificou a subordinação da unidade a Santos como “reorganização administrativa” e negou que se trate de desinvestimento: chamou de “ato administrativo de redução de alguns custos”.

A resposta foi muito semelhante aos argumentos que o gerente-geral da Unidade de Exploração e Produção da Bacia de Santos, Osvaldo Kawakami, apresentou na audiência pública segunda-feira em Itajaí. Ambos garantiram que as operações nos campos de Baúna e Piracaba, que hoje estão sob responsabilidade da UO-Sul em Itajaí, não deixarão de acontecer. Mas reiteraram que a unidade será rebaixada para um Ativo de Produção.

A resposta de Bendini, em Brasília, foi bem aceita pelos deputados federais Décio Lima (PT) e Mauro Mariani (PMDB), que saíram da audiência no Senado acreditando em uma vitória para Santa Catarina _ o que, de fato, não ocorreu. Basta ouvir o pronunciamento do presidente da Petrobras: nada mudou.

 

 

Talvez tenha faltado entendimento de que a UO-Sul não é a única atividade da Petrobras em Itajaí, mas a mais importante em termos estratégicos. E não apenas para os catarinenses, mas para o Sul do país.

A unidade, que passa a ser Ativo de Produção nesta sexta-feira, deixa de fazer pesquisa e exploração de novos poços nos três estados do Sul para apenas controlar, sob o comando da unidade de Santos, as atividades já existentes em Baúna e Piracaba.

Nesta quarta-feira, o muro da atual sede da Petrobras em Itajaí amanheceu repleto de cartazes pedindo a manutenção da unidade (foto). O movimento no Estado não defende apenas a permanência dos funcionários que serão transferidos para Santos, mas manter em Itajaí a unidade de melhor relação custo por funcionário no país e a 5ª em produção, empatada ou à frente de unidades como Amazonas, Sergipe-Alagoas, Rio Grande do Norte-Ceará e Bahia. (sim, esses são os números).

Nesta quarta-feira o prefeito Jandir Bellini (PP) e o presidente da Associação Empresarial de Itajaí (ACII) reúnem-se com o governador Raimundo Colombo (PSD) para traçar o plano de abordagem da presidência da Petrobras. A ideia é tentar um encontro ainda nesta quinta, um dia antes da extinção da UO-Sul.

A falta de coerência de discursos entre as autoridades locais e os deputados catarinenses pode ser para Itajaí um tiro no pé. Mais uma consequência da falta de representatividade política nas esferas estadual e federal que assola a cidade desde as últimas eleições.

Fechamento da UO-Sul em Itajaí pode indicar paralisação definitiva das atividades de exploração da Petrobras no Sul do país

26 de abril de 2015 9
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

Está marcada para segunda-feira à tarde na Câmara de Vereadores de Itajaí, a partir das 16h, a audiência pública que vai discutir as estratégias do movimento que pede a permanência da UO-Sul na cidade.

Feita em parceria entre o Legislativo municipal e estadual, a reunião já tem presença confirmada de autoridades de todo o Estado e é possível que o governador Raimundo Colombo (PSD) também compareça.

A expectativa é que algum representante da Petrobras esteja presente para esclarecer a saída da companhia de Itajaí. Desde a confirmação oficial, há pouco mais de uma semana, a campanha pró-UO-Sul ganhou o apoio do Sindicato dos Petroleiros do Paraná e Santa Catarina (Sindipetro), e uma página no Facebook que leva o nome SOS UO-Sul faz campanha pela permanência.

A página, criada por funcionários e terceirizados que devem ser dispensados com a saída da unidade, tem apoio de sindicatos e universitários da região e já tinha mais de duas mil curtidas nas primeiras 24 horas no ar. 

Fechamento definitivo

Existe nas entidades que participam das discussões a sensação de que a subordinação da unidade de Itajaí a Santos e a mudança na qualificação, de unidade de exploração para Ativo de Produção, seria o prenúncio de um fechamento definitivo. Isto porque, sem exploração, não haverá busca por novas frentes de trabalho, e a tendência é que a operação dos poços atuais na região esgote naturalmente com o tempo.

Esse esgotamento poderá representar o temido impacto às atividades que envolvem a movimentação de embarcações e de aeronaves na região de Itajaí e Navegantes.

O fato é que além da perda de autonomia a região também deve ter uma redução sensível nos programas sociais, que hoje beneficiam um bom número de entidades na região. O buraco do prejuízo, portanto, é mais fundo do que parece.

 

Reprodução Facebook, SOS UO-Sul

Reprodução Facebook, SOS UO-Sul

 

Há tempos a categoria reclama da falta de investimentos no Sul do país, que culmina agora com o fechamento da UO-Sul. Vale lembrar que a unidade é a 5ª em produção no país, responsável por um negócio de R$ 7,5 milhões por dia, e que tem a melhor relação entre produtividade e número de funcionários _ já é uma unidade enxuta.

 

Tem que haver pressa

 

O movimento pró-UO-Sul é apartidário e legítimo para brigar por uma bandeira que já mobilizou a região com sucesso em outra oportunidade. Mas a essa altura já deveria ter sido formado um grupo de trabalho para negociar com a empresa no Rio de Janeiro. A audiência é importante para que Santa Catarina e a região Sul se posicionem pela permanência da unidade. Mas será preciso articulação para que tenha resultado prático.

::: Leia mais sobre a Petrobras em Itajaí

Acordo com Petrobras: Univali vai coordenar monitoramento de animais na costa Sul e Sudeste do país

27 de julho de 2015 1
Foto: Projeto Tamar

Foto: Projeto Tamar

 

A Univali e a Petrobrás assinam nesta terça-feira convênio para monitoramento de aves e animais marinhos nas áreas onde há atividades de produção e escoamento de petróleo e gás natural. A universidade coordenará as atividades, que também terão apoio de outras instituições no Sul e Sudeste do país.

O convênio é condicionante do licenciamento ambiental para produção de Petróleo no pré-sal para a Bacia de Santos. O acordo já havia sido previamente anunciado pelo gerente-geral da Unidade de Exploração e Produção da Bacia de Santos, Osvaldo Kawakami, durante a audiência pública que discutiu o fechamento da UO-Sul em Itajaí, no mês de abril.

Monitoramento

A rede fará monitoramento diário de 800 quilômetros da costa brasileira, de Ubatuba (SP), até Laguna. As atividades incluem resgate, atendimento veterinário e reabilitação de aves, tartarugas, baleias e golfinhos.

Serão disponibilizados pela estatal 50 carros, e cinco unidades de estabilização serão construídas nas cidades de São Sebastião, Baixada Santista (SP), São Francisco do Sul, Penha e Laguna. Além de cinco unidades de reabilitação, nas cidades de Ubatuba, Guarujá, Ilha Comprida (SP), Pontal do Paraná (PR) e Florianópolis, e de três bases de apoio em Praia Grande (SP), Ilha do Superagui (PR) e Imbituba. 400 profissionais atuarão nas atividades.

Doze instituições estão envolvidas no projeto: Associação R3 Animal, Instituto Argonauta, Instituto Gremar, Instituto de Pesquisas Cananeia (Ipec), Universidade da Região de Joinville (Univille), Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Projeto Baleia Franca, Projeto Biopesca, e Projeto Tamar de SC e de SP. A expectativa é de que as atividades de monitoramento de campo tenham inicio no final de agosto.