Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Resultados da pesquisa por "nas alturas"

Nas alturas

01 de novembro de 2014 0
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

Um morador do Bairro Cidade Nova, em Itajaí, parece ter descoberto uma maneira de ficar livre dos prejuízos causados pelas enchentes na região. Usando uma tecnologia construtiva nem tão nova assim, conseguiu deixar a casa “nas alturas”.

Corrida nas alturas

01 de julho de 2014 55
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

O gosto dos construtores de Balneário Camboriú pelas alturas não é de hoje. Foi o que rendeu à cidade o inconfundível skyline, facilmente identificável por quem passa pela BR-101, e a fama de praia com hora marcada para se tomar sol. É mais recente, porém, a corrida para alcançar as nuvens . Admitida como estratégia de marketing por algumas das empresas e negada por outras, a aposta em prédios cada vez maiores colocou Balneário na lista dos maiores edifícios do país. São da cidade oito dos 10 projetos das futuras torres mais altas no Brasil, de acordo com o Council on Tall Buildings and Urban Habitat (Conselho de Edifícios Altos e Habitat Urbano). E o céu é o limite.

Duas construtoras disputam o topo e das oito empreitadas, apenas três ainda não foram iniciadas. As demais têm previsões de entrega a partir do ano que vem. A FG, dona de seis dos projetos mais altos do país _ inclusive o One Tower, maior do Brasil _ , prefere não falar sobre o assunto. Através da assessoria de imprensa, informou que o foco das obras não é a altura.

Já a Pasqualotto, que tem duas torres no ranking, admite o desejo de chegar mais alto. As obras da construtora que aparecem na lista são os dois edifícios do condomínio Yachthouse, em 3º e 4º lugar, com 227 metros de altura. Mas a engenharia da empresa informou que conseguiu autorização do município para acrescentar andares. As torres vão chegar a 264 metros, o que deve lhes render em breve o segundo lugar.

Campeão brasileiro no momento, é o edifício One Tower, da construtora FG, está sendo erguido na Avenida Atlântica de frente para o mar. Com 280 metros, ultrapassará o Infinity Coast, também obra da empresa, que até então era apontada como a maior do país, com previsão de chegar aos 237 metros de altura.
Todos os prédios do ranking ainda estão no canteiro de obras ou nas maquetes. Mas Balneário já ostenta o maior residencial do país. O Villa Serena, da construtora Embraed, tem 164 metros de altura.

Para o alto e avante

A escassez de terrenos em Balneário Camboriú é a principal motivadora das alturas vertiginosas. O plano diretor aprovado em 2007 não limita o tamanho das construções, o único condicionante é a metragem do terreno. Ainda assim, as empresas podem aumentar o número de andares em troca de solo criado, transferência de potencial construtivo ou o mais recente Icon/Icad, índices que trocam o pagamento de dívidas antigas do município  com desapropriações por aumento no volume das construções.

Com a mudança nas técnicas construtivas, que permitiram aumentar a altura dos edifícios, a possibilidade de erguer prédios ainda maiores na cidade beira o infinito.

Imensos e vazios

Os gigantes à beira do mar não chegam a causar impacto na quantidade de moradores em Balneário. Perto de 80% dos apartamentos de luxo dos grandes empreendimentos não são usados como moradia, mas como investimento ou segundo imóvel, para a temporada de verão.

Recentemente, lei aprovada na cidade exige que os grandalhões tenham o próprio sistema de tratamento de esgoto.Os gigantes também não chegam a fazer diferença nos números da saúde e educação, por exemplo _ mas não há dúvidas de que provocam o sombreamento da praia e dos edifícios ao redor.

Auri Pavoni, secretário de Planejamento da cidade, diz que essa é uma conta que o município terá que fazer agora, quando vai rediscutir o plano diretor. As primeiras audiências nos bairros ocorrem ainda este mês.

Tecnologia nas alturas

24 de abril de 2014 0
Foto: Rafaela Martins

Foto: Rafaela Martins

Uma plataforma cheia de modernidades será usada pela PM no Encontro de Gideões, em Camboriú, que começa no fim de semana. Além de poder elevar até oito metros, a estrutura tem faróis e quatro câmeras que viram 360º.
Esta é a terceira vez que a plataforma é usada pela polícia e a primeira na região. O equipamento, que suporta até 200 quilos, já foi empregado na Festa do Divino e na ocupação do Morro do Mocotó, em Florianópolis.

Nas alturas

04 de novembro de 2013 0
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

Verticalização muda a paisagem no Centro de Itajaí. Vista de cima, a zona histórica, que inclui a Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento e o Palácio Marcos Konder, se confunde com os edifícios cada vez mais altos.

Polêmica nas alturas

15 de outubro de 2013 0
Foto: Marcos Porto/Arquivo

Foto: Marcos Porto/Arquivo

A expectativa de quebra do recorde brasileiro de highline, em Balneário Camboriú, terminou com uma saia-justa entre a organização do desafio e a prefeitura. O evento foi cancelado depois que o Ministério Público recomendou à Polícia Militar que verificasse se os atletas tinham toda a documentação necessária para fazer a travessia, incluindo o aval do Corpo de Bombeiros.

Para resumir a história, alguns documentos não haviam sido providenciados e o desafio terá que ser transferido para outra data, ainda não escolhida. O problema é que, de acordo com nota oficial da construtora Embraed, que patrocinava o evento, a documentação estava sob responsabilidade da Secretaria de Turismo.

O secretário Ademar Schneider nega que a Sectur estivesse responsável por autorizações de outros órgãos, já que se trata de um evento particular.

O promotor Rosan da Rocha, que fez a recomendação à PM, diz que a intenção era garantir a segurança dos atletas e dos espectadores. A organização afirma que o desafio vai ocorrer nas próximas semanas _ desta vez, com a documentação em dia.

Desafio nas alturas

09 de outubro de 2013 0
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

Atletas cheios de coragem escolheram Balneário Camboriú para tentar quebrar o recorde no highline _ esporte que consiste em atravessar de um ponto a outro usando uma estreita fita. É como o slackline, praticado com frequência na região, só que nas alturas.

A travessia está marcada para domingo, mas a montagem dos equipamentos e os treinos iniciam amanhã.

Rafael Zugno Bridi, Caio Salomão Amador e Vinícius Goulart são os corajosos que irão atravessar os 80 metros que separam os edifícios Alexandria e Four Seasons, na Barra Sul, a 130 metros de altura.

A instalação da fita de nylon promete ser um show à parte, já que o equipamento, que servirá como passarela para os atletas, é colocado com um tiro de arco e flecha.

Desafio nas alturas

02 de agosto de 2013 0

Foto: Divulgação Bombeiros

Dependurados em uma corda, a 50 metros de altura, alunos-soldados do Corpo de Bombeiros atravessaram de um prédio a outro esta semana, como parte do programa de treinamento. Na foto, a aluno-soldado Masuco, que enfrentou o medo entre os 25 alunos estão sendo formados em Itajaí. De acordo com o comandante da 1ª Companhia do 7º Batalhão, Anderson Ciotta, nenhum deles vai ficar na cidade.

Procura por reservas de hotéis em Balneário Camboriú cai neste feriado

21 de abril de 2016 0
Foto: Lucas Correia / Agência RBS

Foto: Lucas Correia / Agência RBS

O turismo de Balneário Camboriú começa a sentir os primeiros sinais da retração econômica e da instabilidade política no país. A constatação é da vice-presidente do sindicato dos hoteleiros, Dirce Fistarol, ao comparar as reservas para o feriadão de Tiradentes com as que foram feitas no ano passado.

Em 2015, apesar do feriado ter caído numa terça-feira e a temperatura estar mais baixa do que agora, a ocupação chegou a 76%. Desta vez, apesar do calorão das últimas semanas e do recesso na sexta-feira, não passou de 68%.

O perfil médio dos hotéis de Balneário pode explicar a queda na demanda – a maioria tem como público-alvo a classe média, a mais afetada pela retração econômica no país. E a instabilidade política pós-aprovação do processo de impeachment não ajuda a melhorar o cenário. No fim das contas, saiu-se melhor quem conseguiu oferecer condições melhores aos hóspedes.

Entre os turistas que escolheram os hotéis para o feriado prolongado em Balneário, a maioria é do Paraná ou do interior do Estado. A expectativa é que, com o sol forte e as temperaturas nas alturas, mais gente se anime para vir ao Litoral e movimente as reservas de última hora. É essa a aposta do Convention & Visitors Bureau. Para o presidente, João Francisco Barão, as reservas de última hora são de praxe.

Apesar da queda no feriado, o mês ainda deverá terminar bem graças ao Congresso dos Gideões. O encontro de missionários evangélicos ocorre em Camboriú, mas é Balneário que tem reflexo na hotelaria. Esta semana as reservas para o evento chegaram perto dos 90%.

Hoteis de Balneário Camboriú têm 95% de ocupação para a Páscoa

24 de março de 2016 1
Foto: Lucas Correia

Foto: Lucas Correia

 

O setor hoteleiro de Balneário Camboriú comemora 95% de ocupação para o feriado de Páscoa, um percentual que ultrapassa o movimento do ano passado e surpreendeu os empresários do setor. A maior parte das reservas é de brasileiros, mas os argentinos _ que voltaram a desembarcar em peso na cidade _ também são esperados.

Aliás, com o dólar nas alturas, os hermanos garantiram a melhor temporada dos últimos anos em Balneário e estenderam o período de permanência: em pleno mês de março, ainda há reservas de turistas argentinos.

Dirce Fistarol, presidente do Sindisol (o Sindicato dos Hoteis), diz que com o feriado de Tiradentes próximo, em abril, seguido do Encontro de Gideões (evento missionário da igreja Assembleia de Deus), a tendência é que os bons ventos sigam até o mês de maio. A avaliação dela é otimista: “estamos num oásis”, afirma.

Preço salgado

06 de abril de 2015 2

Atualizada 7/4/15, às 11h12min

 

O restaurante internacional que funciona na Vila da Regata informou que vai atualizar os cardápios, que trazem água mineral a R$ 8.

Foi um erro de impressão. O preço cobrado, na verdade, é R$ 5.

Os preços do restaurante internacional da Itajaí Stopover fizeram muita gente torcer o nariz no primeiro fim de semana do evento. A água mineral, por exemplo, custa R$ 8 – um precinho à la Europa.

Tudo bem que a vista é privilegiada. Mas os valores nas alturas em plena crise podem afastar a clientela.