Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Posts na categoria "Trânsito"

Autopista prevê que mais de 60 mil veículos passem pelo pedágio de Porto Belo sexta-feira

04 de fevereiro de 2016 0

61.194 é o número de veículos que deve passar pelo pedágio de Porto Belo na sexta-feira de Carnaval, conforme estimativa da Autopista Litoral Sul. O dado representa um aumento de 18% no fluxo normal de carros.

Cobrança indevida

27 de junho de 2015 0

Começaram os problemas com a cobrança de R$ 1,47 pelos cartõezinhos do estacionamento rotativo em Balneário Camboriú. Ao invés de arredondarem o valor para baixo, quando não têm troco, os monitores têm cobrado R$ 1,50.

Resta saber em que bolso vão parar os três centavos que sobram. De grão em grão…

Táxi fica mais caro pela segunda vez neste ano em Balneário Camboriú

14 de fevereiro de 2015 0
Foto: Marcos Porto/Agência RBS

Foto: Marcos Porto/Agência RBS

Decreto do prefeito Edson Piriquito autorizou reajuste da tarifa de táxi em Balneário Camboriú semana passada. O aumento é o segundo neste ano. O primeiro foi autorizado em 14 de janeiro. A bandeirada passou de R$ 4,26 para R$ 4,51 e o quilômetro rodado de R$ 3,94 para R$ 4,17 (bandeira 1). Até então custavam R$ 4 e R$ 3,70, respectivamente.

A justificativa para dois reajustes em cerca de um mês seria a tabela defasada da categoria, que até o começo deste ano mantinha os mesmos valores desde 2012, somada ao aumento da gasolina.

BR-101 tem 50 quilômetros de congestionamento na manhã deste sábado

03 de janeiro de 2015 1

A manhã começou com trânsito parado na BR-101. No trecho de pouco mais de 50 quilômetros entre Tijucas e Itajaí, no sentido Norte, fluxo totalmente parado em alguns trechos e com muita lentidão em outros.

O amanhecer nublado pode ter adiantado a volta para casa dos turistas após o feriado de Réveillon. Ainda assim, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) espera movimento muito intenso durante todo o sábado. A situação deve se repetir no domingo.

No trecho coberto pelo posto da PRF em Itapema, que atende algumas das saídas mais complicadas, como Porto Belo, Itapema e Balneário Camboriú, foram registrados três pequenos acidentes desde o início da manhã, t0dos sem gravidade.

Pelo menos cinco motoristas foram multados pelos policiais por tentarem ultrapassar pelo acostamento.

Trecho de 54 km da BR-101 registra 10 acidentes em três horas nesta sexta-feira

02 de janeiro de 2015 1

O movimento já é intenso na BR-101 desde o início da manhã desta sexta-feira. O fluxo é três vezes maior do que o nomal, e para ambos os sentidos _ Norte e Sul. Parte dos motoristas está voltando para casa, e outros circulam entre as praias da região.

O trânsito complicado aumenta o número de acidentes. Foram 10 entre 6h e 9h da manhã somente na região coberta pelo posto de Itapema, entre Tijucas e Balneário Camboriú (um trecho de 54 quilômetros). A maioria colisões traseiras e todos sem gravidade.

A expectativa da Polícia Rodoviária Federal é que o pico de movimento ocorra no domingo, especialmente no sentido Norte. A recomendação é que os motoristas redobrem a atenção quanto à distância de segurança.

Itajaí começa a receber pesquisadores do Plano de Mobilidade Urbana

10 de dezembro de 2014 1

Itajaí começou a receber ontem os pesquisadores que vão elaborar o Plano de Mobilidade Urbana da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (Amfri). O diagnóstico municipal, que a prefeitura tem como indispensável para elaborar o novo edital do transporte coletivo, só deve ficar pronto em junho de 2015.

Até lá a concessão dos ônibus em Itajaí deve continuar na fase de recursos para adiar os prazos da decisão que anulou o atual contrato.

Caminhão derruba três postes em Navegantes e deixa parte da cidade sem luz

21 de novembro de 2014 0
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

Um caminhão enroscou na fiação em frente à Praça Nossa Senhora dos Navegantes, bem em frente ao ferry boat, e derrubou três postes. Parte do Centro de Navegantes está sem luz, inclusive lojas e bancos. Técnicos da Celesc tentam restabelecer o abastecimento de energia elétrica.

O acidente ocorreu pouco antes das 11h. A fiação no local já estaria mais baixa porque, durante a noite, outra carreta já havia enroscado.

Quando o caminhão passou, esta manhã, acabou provocando a queda de dois postes de luz e outro que sustenta uma das câmeras de segurança da via. Um dos postes caiu sobre um táxi que estava parado na praça. O veículo estava vazio e ninguém se feriu. Um transformador pegou fogo.

A Polícia Militar está orientando o trânsito no local. Parte da via está fechada e o fluxo é desviado.

Durante a tarde a prefeitura deve recuperar as images das câmeras de segurança para verificar as imagens do primeiro caminhão que enroscou nos fios, para tentar identificar se estava com altura acima do permitido.

Conselho de Trânsito afirma que lei que proíbe multas em semáforos sem temporizador deveria ser cumprida em Itajaí

28 de outubro de 2014 2
Foto: Marcos Porto / Agência RBS

Foto: Marcos Porto / Agência RBS

Um parecer aprovado nesta terça-feira pelo Conselho Estadual de Trânsito (Cetran) afirma que a lei municipal que limita a instalação de radares a semáforos com temporizador deveria estar sendo cumprida pela prefeitura de Itajaí. A consulta havia sido feita pelo coronel Albanir dos Santos, e pedia um posicionamento do Cetran sobre o assunto polêmico.

No parecer, o conselho afirma que “enquanto a lei não for declarada inoperante, há de se tê-la por válida, eficaz e obrigatória”, alegando que leis prevalecem sobre normas (no caso, a norma nacional que libera a instalação de radares em qualquer sinaleira).

O conselho negou-se a discutir a legitimidade da Câmara de Vereadores para legislar sobre as regras de trânsito e sugeriu ainda que, para evitar os recursos decorrentes de autuações em semáforos sem temporizador, a prefeitura busque a Justiça e questione a lei.

Por meio da assessoria de comunicação, a Codetran informou que o parecer era meramente consultivo e que não deve mudar a posição da prefeitura a respeito. Ou seja: pelo menos por enquanto, as sinaleiras seguem multando independente de marcarem o tempo ou não.

De acordo com a procuradoria jurídica do município, a prefeitura decidiu questionar a validade da lei na Justiça.

"Acidentes ocorrem por comportamentos inseguros" - entrevista com Anaelse Oliveira

17 de outubro de 2014 0

anaelse

A Volvo apresentou aos transportadores catarinenses, em Balneário Camboriú, a proposta de zerar os acidentes envolvendo caminhões através de medidas preventivas. Anaelse Oliveira, resposável pela comunicação da marca, falou ao blog sobre o programa e o lançamento do Atlas de Acidentalidade no país.

Qual a intenção com a criação do Atlas?

Uma média de 10 pessoas morrem em acidentes envolvendo caminhões por dia no país, nas rodovias federais. Se considerarmos o universo das demais rodovias, esse número vai muito além. Usamos os dados da PRF, que tem um banco de dados extremamente confiável, porque segue a mesma metodologia de dados, e com isso foi lançado o Atlas. Nossa intenção é não só atualiza-lo, mas também ampliar a abrangência. Num paso seguinte, também com as rodovias estaduais. Esses dados evidenciam que o setor de transporte rodoviário de cargas demanda uma atenção bastante forte em relação à segurança. Há 27 anos a Volvo tem o Programa Volvo de Segurança no Trânsito, que tem o objetivo de sensibilizar para a busca de soluções relacionadas à segurança de trânsito. Desde o ano passado, o grupo Volvo mundial estabeleceu uma meta extremamente audaciosa, de zero acidentes envolvendo veículos do grupo. Zero acidentes é o ideal de futuro. A Suécia já adota isso como política pública há bastante tempo. Nos últimos 10 anos, eles reduziram em 50% o número de mortes nos acidentes.

Como conseguiram essa redução?

Primeiro o governo estabelece isso como uma política pública, segundo o envolvimento de todos os setores da sociedade _ a Volvo e outras empresas da indústria automotiva foram convidadas a integrar o Zero Acidentes, isso em 1997. Tem também a àrea de educação… é um envolvimento social com todos os setores da economia, da sociedade, e cada um fazendo seu papel. São questões que ajudam a evitar os acidentes e, se acontecem, para que tenham o menor impacto possível. Na Suécia, anualmente 400 pessoas morrem em acidentes. No Brasil, segundo dados do Denatran, 45 mil. Entretanto esses dados contabilizam somente as mortes no local do acidente. Aqueles casos em que a pessoa é hospitalizada e morre, acabam não entrando na estatística do Denatran. Resolvemos direcionar nossos esforços na área de segurança de trânsito no setor de transporte de cargas justamente em razão desses números. Em termos de comparativo entre transporte rodoviário de passageiros e cargas, é um cenário totalmente diferente. Até em termos de relação de trabalho. A lei do descanso tem sido muito discutida, em 2012 foi aprovada e ainda não se estabaleceu. A categoria de motorista profissional de caminhão não é regulamentada, já o motorista de ônibus tem uma regulamentação específica. Uma das coisas que mais pegam é a jornada. Motoristas têm a jornada muito extensa, impacta na fadiga, sono, e o número de acidentes em função de sonolência tem aumentado bastante. E isso tem um viés econômico extremamente grande também, com a falta de motorista profissional.

Acaba sendo uma profissão não muito atrativa?

Não muito atrativa, até pelas dificuldades. São duas situações que acabam caminhando de maneira oposta.

Essas exigências vêm das transportadoras ou o problema maior são os motoristas autônomos, que para aumentar renda acabam estendendo a jornada?

A grande questão são os autônomos. A grande maioria das transportadoras tem acompanhamento de jornada, e o autônomo é o único responsável pelos rendimentos, acaba se estendendo. Mas é uma realidade que existe entre os dois. É preciso treinamento comportamental, não só técnico. As estatísticas indicam que os acidentes ocorrem muito mais por comportamentos inadequados, inseguros. O seminário em SC é o segundo, começamos em Curitiba, e ainda este ano temos mais dois, em MG e RS. A escolha é pelo volume de transportadoras. A ideia é sensibilizar para que adotem essa filosofia do zero acidentes, com planejamento que inclui gerenciamento de risco das rotas, treinamento, jornada adequada, e por aí vai. Outro tema é a ISO 3901, de 2012, norma internacional voltada à segurança viária. Fizemos um resumo indicando um passo a passo, que será disponibilizado para os transportadores.

Por que os dados do Atlas são de 2012?

Começamos o Atlas no ano passado, e quando estávamos com ele praticamente pronto a PRF ainda não tinha consolidado os dados de 2013. Eles disponibilizaram somente em abril. Decidimos, por ser o primeiro, lançar assim até porque a atualização dos dados vai acontecer na sequência.

É possível reduzir de forma significativa os acidentes que envolvem caminhões?

Sim, com um bom planejamento de segurança. Ninguém quer ter perda de vidas, e nem econômica. Queremos sensibilizar a ter esse ideal, e como chegar lá. Tem que ter envolvimento da alta direção, planejamento de longo prazo, olhar atento a todas as rotas que a empresa faz.

Qual a maior dificuldade de adaptação das empresas?

São muitas variáveis, tem a jornada, idade e manutenção da frota, treinamento. É uma somatória de fatores, e avaliando as causas, que estão no Atlas, no maior número de acidentes a causa é o comportamento. Por exemplo, em termos de número, o maior número de acidentes é por falta de atenção _ uso de rádio, celular. Entretanto, os acidentes são mais graves em razão em 1º lugar de ultrapassagem indevida, 2º ingestão de álcool, 3º velocidade incompatível, 4º dormir ao volante, e por aí vai.

Zero acidentes

17 de outubro de 2014 0

A Volvo trouxe aos transportadores catarinenses que participaram de um seminário em Balneário Camboriú na quinta-feira a audaciosa proposta de zerar os acidentes envolvendo o transporte de cargas.

Controle de jornadas, gerenciamento de rotas e manutenção da frota estão na lista de fatores que ajudarim a reduzir as colisões e as mortes.

Os dados coletados pela Volvo, que integram o Atlas da Acidentalidade no Transporte Brasileiro, indicam que a maior causa de acidentes graves está relacionada ao comportamento dos motoristas.

Ultrapassagem perigosa, ingestão de álcool e alta velocidade estão na lista dos comportamentos de risco que estão no topo das causas