Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "operação"

Auditoria e sindicância apuram prejuízos aos cofres públicos na Operação Parada Obrigatória

14 de julho de 2016 0
Foto: Lucas Correia, Arquivo

Foto: Lucas Correia, Arquivo

 

Há exatamente um ano o Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) deflagrou a Operação Parada Obrigatória 2, que levou à prisão e à perda de cargo do então vereador José Alvercino Ferreira (PP), mudou o comando no órgão de trânsito de Itajaí e serviu como fio condutor para uma série de escândalos que balançariam a cidade nos meses seguintes.

É possível dizer que entre todas as operações do Gaeco que ocorreram na região nos últimos anos (e não foram poucas), a Parada Obrigatória 2 teve o reflexo prático mais rápido. Resultou em processo na comissão de ética do Legislativo e na CPI da Codetran, que terminou em abril com a aprovação de um decreto legislativo em que a Câmara pede à prefeitura uma auditoria no contrato com o pátio de veículos apreendidos, a retomada de sindicâncias relacionadas ao caso e a aplicação de medidas para reparar os prejuízos aos cofres públicos.

A auditoria está sob responsabilidade da Controladoria Geral do Município. Foram pedidos dados de apreensões de veículos aos órgãos de segurança, e agora será feito o cruzamento das informações com os registros do pátio. Duas sindicâncias estão a cargo da procuradoria, e o município ainda estuda as maneiras de fazer o ressarcimento.

No Judiciário o processo, com oito réus, está em fase final. A Justiça aguarda apenas o cumprimento de pedidos feitos pela defesa para então pedir a alegação final do Ministério Público e julgar o caso.

A investigação resultou em três processos diferentes _ um para apurar denúncias de relacionadas à Codetran, outro voltado a uma suposta relação entre o ex-vereador e a empresa que instalou radares em Itajaí, e ainda uma investigação sobre dois policiais civis que seriam proprietários de uma empresa de segurança, o que é proibido.

Alvercino, que passou quatro meses detido quando foi deflagrada a operação, voltou à prisão este ano com outros dois suspeitos sob a acusação de falsidade ideológica, por tentar liberar veículos apreendidos durante a investigação usando documentos que, segundo o Ministério Público, são frios.

APM Terminals aposta em novas cargas para recuperar movimentação

23 de fevereiro de 2016 0
Foto: Lucas Correia | O navio BBC Congo foi o primeiro a atracar no berço 1 da APM Terminals, sábado, vindo da Antuérpia para descarregar 1,1 mil estacas-prancha. Ontem, chegou o BBC Ohio (foto) que está sendo carregado no berço 2 com 600 bobinas para a Argentina

Foto: Lucas Correia | O navio BBC Congo foi o primeiro a atracar no berço 1 da APM Terminals, sábado, vindo da Antuérpia para descarregar 1,1 mil estacas-prancha. Ontem, chegou o BBC Ohio (foto) que está sendo carregado no berço 2 com 600 bobinas para a Argentina

A APM Terminals está recebendo desde sábado duas operações de carga-geral nos berços 1 e 2 do Porto de Itajaí – essas são as primeiras cargas do tipo em 2016 e não envolvem contêineres. Os navios vão movimentar, até quarta-feira, mais de 13 mil toneladas de estacas-prancha e bobinas, além de envolver cerca de 800 trabalhadores portuários avulsos, que estariam ociosos no período.

Desde o ano passado, quando perdeu 40% de sua movimentação com a saída da linha asiática, a empresa busca diversificar os serviços e alavancar novos negócios. O gerente comercial da APM Terminals, Felipe Fioravanti, explica que a conquista destas cargas fortalece a posição da empresa em estar aberta para novas operações.

– Esse tipo de operação nos possibilita usar a ociosidade para novas cargas, sem ter impacto na movimentação de contêineres. Temos outra operação do tipo prevista para o fim de fevereiro, início de março – afirma.

Apesar de esporádicas, as cargas movimentam a economia e criam postos extras de trabalho. Para a APM, as 13 mil toneladas de carga-geral representariam cerca de 500 contêineres. Para os trabalhadores portuários, esses dias de atividades geram uma renda de aproximadamente R$ 640 mil, considerando encargos sociais, segundo estimativa do Órgão Gestor de Mão de Obra do Porto de Itajaí (OGMO).

Em janeiro, a APM Terminals movimentou 15.730 TEUs (unidade internacional equivalente a um contêiner de 20 pés), 48% a menos que no mesmo período de 2015.

Juíza pede para recolher documento na Secretaria de Segurança de Itajaí

18 de fevereiro de 2016 0

Durante audiência da Operação Parada Obrigatória 2, ontem, a juíza da 1ª Vara Criminal, Sonia Moroso Terres, solicitou que um oficial de justiça acompanhasse uma funcionária da Secretaria de Segurança de Itajaí para buscar um documento no órgão público. Em depoimento, a mulher teria mencionado uma relação de veículos apreendidos do pátio que presta serviço para a prefeitura.

Como o documento não havia sido adicionado ao processo pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), a juíza pediu para que ele fosse recolhido.

Juíza ouve nesta semana testemunhas da Operação Para Obrigatória 2

15 de fevereiro de 2016 0

A juíza Sônia Maria Mazzetto Moroso Terres, da 1ª Vara Cível de Itajaí, ouve nesta quarta-feira testemunhas de defesa e de acusação dos réus do processo originado pela Operação Parada Obrigatória 2, que investigou supostos crimes de corrupção envolvendo a Codetran e o pátio de veículos que presta serviço no município.

Porto de Itajaí terá operação de cargas a granel

12 de fevereiro de 2016 5
Foto: Divulgação / Porto de Itajaí

Foto: Divulgação / Porto de Itajaí

O berço 3 do Porto de Itajaí, que está em obras de reforço e alinhamento, deve começar a receber em maio a operação de cargas a granel de soja orgânica. A alternativa deve dar novo fôlego à economia do município e ao porto, que perdeu no ano passado 40% de sua movimentação de cargas com a saída da linha asiática.

O superintendente do Porto de Itajaí, Antonio Ayres dos Santos Júnior, diz que a opção foi natural, pois era necessário aumentar o mix de serviços oferecidos. De acordo com Ayres, a nova operação vai melhorar a saúde financeira do porto, além de movimentar a cadeia logística, garantindo trabalho para a mão de obra avulsa e um aumento no Imposto Sobre Serviços (ISS) da cidade.

— A previsão é que essa operação agregue em torno de 55 caminhões por dia para carregar os navios com soja orgânica. Isso representa um acréscimo de 8% na movimentação global do Complexo Portuário e 38% de aumento para a margem direita em relação a janeiro deste ano — afirma.

Inicialmente as operações de granéis somarão cerca de 60 mil toneladas de soja por mês. As cargas virão de caminhão pela rodovia BR-101, onde será instalado um pátio de triagem, e depois serão acondicionadas em um pátio coberto na área portuária.

Em janeiro, o Complexo Portuário do Itajaí-Açu movimentou 874 mil toneladas em cargas e a margem direita, que pertence a Itajaí, foi responsável por 161 mil toneladas. Com a operação a granel, esse número passará para cerca de 220 mil toneladas ao mês — uma boa recuperação se considerarmos que em janeiro de 2015, quando a linha asiática ainda operava no porto, a movimentação era de 300 mil toneladas.

Preocupação com a limpeza

Para discutir a nova operação, representantes do porto, da comunidade portuária e da empresa ZMW, que deve atuar como operador dessas cargas, se reuniram com o prefeito Jandir Bellini (PP) nesta semana. Uma das preocupações do encontro foi com relação à limpeza da cidade.  No entanto, o superintendente do Porto de Itajaí, Antonio Ayres dos Santos Júnior, garantiu que o volume da cargas é pequeno e a operação mais limpa, porque se trata de soja orgânica. Mesmo assim, será feito um acompanhamento diário dos impactos e a Coordenadoria de Trânsito de Itajaí irá estudar uma rota específica para estes caminhões.

Prefeitura de Itapema emite nota oficial sobre operação que levou vice à prisão

01 de dezembro de 2015 1

A prefeitura de Itapema emitiu, nesta terça-feira à tarde, uma nota oficial sobre a Operação Garoupa, deflagrada de manhã pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). No texto, nenhuma menção à prisão do vice-prefeito, Gilliard Reis (PMDB). A prefeitura afirma apenas que está auxiliando as investigações e colaborando com o que é solicitada.

Confira:

 

O Município de Itapema recebeu na manhã desta terça-feira (01/12), a visita do Grupo de Atuação Especial ao Crime Organizado (GAECO). O Grupo cumpriu mandatos de busca e apreensão de documentos em empresas da cidade e no gabinete do vice-prefeito.

No mesmo instante a administração municipal colocou servidores a disposição dos policiais e toda a documentação solicitada foi disponibilizada de imediato. Também foram feitas coletadas de documentos no Setor de Protocolo e na Secretaria de Planejamento Urbano.

Segundo o Gaeco também foram realizadas 11 prisões preventivas, 30 mandados de busca e apreensão e sequestro de bens, além de 10 mandados de condução coercitiva e outras medidas cautelares. Nenhum nome de envolvido foi confirmado pelo Gaeco que segue com a operação.

 

Vice-prefeito de Itapema é preso em operação do Gaeco

01 de dezembro de 2015 4

Uma operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) levou à prisão, na manhã desta terça-feira, o vice-prefeito de Itapema, Gilliard Reis (PMDB). Estão sendo cumpridos ao todo 11 mandados de prisão preventiva, 10 de Itapema e 1 em Balneário Camboriú.

A maior parte dos alvos são agentes particulares, possivelmente empresários.

Segundo informações preliminares, a operação tem como foco crimes relacionados à construção civil em Itapema.

Draga volta a operar no canal de acesso aos portos

03 de novembro de 2015 1
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

A draga Catarina, que estava parada há dois meses por falta de recursos da autoridade portuária para a dragagem de manutenção, voltou ontem à ativa. A embarcação não tem capacidade para aliviar todo o sedimento que se depositou na foz do Itajaí-açu neste período de chuvas, mas será usada para evitar que a situação se agrave. O porto continua pleiteando uma dragagem de emergência com o governo federal.

Justiça ouve testemunhas de acusação da Operação Parada Obrigatória

29 de outubro de 2015 0

A primeira audiência de instrução da Operação Parada Obrigatória estendeu-se até o início da noite de ontem no fórum de Itajaí. Ao todo, 17 testemunhas de acusação e um informante foram ouvidos.

Entre os fatos apontados na audiência está a informação de que a coordenação de trânsito não fiscaliza o contrato com o pátio de veículos apreendidos, e que isso está a cargo da secretária de Segurança.

O Ministério Público pediu que Susi Bellini (PP) também seja ouvida.

Com enxurrada de denúncias, Dupla Face se torna uma das maiores operações ja feitas pelo Gaeco em SC

07 de outubro de 2015 0
Foto: Maikeli Alves

Foto: Maikeli Alves

 

A terceira fase da Operação Dupla Face, deflagrada na segunda-feira pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado ( Gaeco), elevou para 15 o número de pessoas detidas em razão das investigações e colocou a ação no posto de maior já feita pelo Gaeco Itajaí, responsável por cidades de toda a região.

Um grande número de denúncias e informações apresentadas espontaneamente ao Ministério Público e à polícia trouxe à tona uma nova leva de fatos a serem investigados. O resultado é que, um mês e meio após ter sido deflagrada a primeira fase da Dupla Face, ainda não há previsão de quando a apuração vai terminar.

– Esta foi uma diferença da Dupla Face em relação a outras operações, a colaboração muito grande de pessoas.
Talvez seja o momento que o país vive, é difícil dizer o por quê – afirma o promotor Jean Forest, coordenador do Gaeco Itajaí.

::: “Tudo é diferente”, diz promotor do Gaeco

Nas últimas semanas foram ouvidas na investigação mais de cem pessoas e um grande volume de documentos foi apreendido.
A documentação e os depoimentos ainda estão em fase de análise, e esse foi um dos motivos para que o delegado Daniel Garcia, membro do Gaeco, solicitasse à Justiça mais 15 dias de prazo para concluir o inquérito – a previsão inicial era que a entrega ocorresse na última sexta-feira.

O último movimento da operação, nesta segunda-feira, levou à prisão, em caráter temporário, o empresário Marcelo Arruda, que recebeu ordem de soltura na terça, e o construtor Flávio Mussi.

Marcelo é irmão do vereador licenciado Afonso Arruda – também detido em decorrência da mesma operação no dia 14 de setembro. Mussi, por sua vez, além de empresário foi secretário de Urbanismo de Itajaí quando Volnei Morastoni ( PMDB, na época no PT) esteve à frente da prefeitura, entre 2004 e 2008.

Mais mandados de busca e apreensão

A prisão temporária do empresário seria relacionada a fatos que remontam à época em que foi secretário. Apesar disso, por enquanto não é possível afirmar se os esquemas investigados ultrapassariam a atual gestão municipal.

Com a investigaçãoainda em aberto, o Gaeco não se manifesta sobre detalhes da apuração. Além das últimas prisões, em caráter temporário, também foram cumpridos nesta terceira fase da operação nove mandados de busca e apreensão em empresas e residências, todas em Itajaí. Novas ações podem ocorrer nos próximos dias.

A Operação Dupla Face foi deflagrada em 24 de agosto e envolveria um amplo esquema de solicitação de vantagens, por parte de agentes públicos da prefeitura de Itajaí, em troca de favores no serviço público – a ação envolveria, por exemplo, pedidos de propina para obtenção de alvarás e isenção indevida de impostos.

As prisões, no decorrer da operação, incluíram o exprocurador-geral do município, Rogério Nassif Ribas; o ex-secretário de Planejamento, Douglas Cristino da Silva; o exsecretário de Habitação e atual vereador, Sadi Pires ( PMDB); e o advogado André Antônio Xavier. Até a prisão de Mussi e Marcelo Arruda, na segundafeira, apenas o vereador licenciado Afonso Arruda ( PMDB) permanecia atrás das grades.

O inquérito da 0peração Dupla Face soma mais de 2 mil páginas