Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Petrobras"

Parceria entre Univali e Petrobras reativa monitoramento da pesca em Santa Catarina

03 de julho de 2016 1
Foto: Patrick Rodrigues

Foto: Patrick Rodrigues

 

Uma parceria entre a Univali, em Itajaí, e a Petrobras, vai retomar o monitoramento da pesca industrial em Santa Catarina e, pela primeira vez, acompanhará também a pesca industrial. O contrato, que será formalizado na terça-feira, prevê dois anos de pesquisas e divulgação de dados estatísticos, além de um senso específico para os pescadores artesanais.

O acordo faz parte de uma condicionante determinada pelo Ibama em um dos licenciamentos ambientais para exploração de petróleo e gás na Bacia de Santos. Além de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro também terão atividades de monitoramento de pesca, com metodologias adaptadas à cultura pesqueira de cada um dos estados.

Em Itajaí, o projeto retoma um acompanhamento da pesca industrial que estava suspenso desde 2013, quando acabou o convênio que a universidade mantinha com o governo federal. A Univali chegou a manter o monitoramento por um tempo com recurso próprio, mas não conseguiu mais consolidar as informações.

De acordo com o professor e pesquisador da Univali, Paulo Ricardo Pezzuto, o Projeto de Monitoramento da Atividade Pesqueira em Santa Catarina (PMAP-SC) ocorrerá de duas maneiras: uma equipe fará o levantamento de dados pesqueiros por espécie _ são 150 da pesca industrial, e uma quantidade ainda não estimada da pesca artesanal. Outra percorrerá toda a costa identificando quantos pescadores e embarcações atuam (são estimadas 15 mil pessoas e 10 mil barcos), e onde estão os serviços de apoio, como peixarias, estaleiros e fábricas de gelo.

O objetivo principal do projeto é identificar possíveis interferências da exploração de petróleo e gás na atividade pesqueira. Mas a expectativa é que os dados estatísticos, que serão públicos e disponibilizados em um portal na internet, auxiliem também na gestão e no manejo da pesca.

Em todo o Litoral

O projeto de monitoramento da pesca terá 10 bases em Santa Catarina. Além de Itajaí, de onde os trabalhos serão coordenados, também haverá pontos em Joinville, São Francisco do Sul, Bombinhas, Biguaçu, Florianópolis, Imbituba, Laguna, Araranguá e Passo de Torres. O levantamento será feito, a partir desses polos, em 36 cidades no Litoral.

Trinta pessoas foram contratadas pelo projeto para auxiliar na coleta de dados da pesca, que também tem 13 professores e técnicos da Univali envolvidos. Ao todo, 43 pessoas participam dos trabalhos.

Monitoramento inédito de animais marinhos começa nesta segunda-feira em SC

23 de agosto de 2015 1
Enrique Litman/Divulgação

Enrique Litman/Divulgação

 

Começa hoje a primeira fase do maior projeto de estudo ambiental da fauna marinha já feito no Brasil, financiado pela Petrobras e capitaneado pela Univali. As atividades iniciam com o monitoramento de 1.100 quilômetros de praias entre Laguna, no Sul do Estado, e Ubatuba (SP).

A ideia é coletar dados sobre o aparecimento e morte de animais na costa _ em especial os tetrápodes marinhos (aves, tartarugas e mamíferos) _ e identificar se a produção e exploração de petróleo e gás tem algum reflexo sobre as espécies.

::: Leia mais sobre o projeto

O projeto foi exigência do Ibama, condição para o licenciamento ambiental de uma nova operação no pré-sal da Bacia de Santos, que deve compor 23 Unidades Estacionárias de Produção até o final de 2022 _ o equivalente a mais 1,7 milhão de barris de petróleo por dia. O investimento da Petrobras no monitoramento é de R$ 140 milhões.

 

Fotos: Marcos Porto

Fotos: Marcos Porto

Neste primeiro momento, além de patrulhamento das praias serão construídos centros de Triagem e Reabilitação de Animaise e também de Estabilização de animais nas regiões Sul e Sudeste. Em SC, Penha e Florianópolis serão contempladas.

Acordo com Petrobras: Univali vai coordenar monitoramento de animais na costa Sul e Sudeste do país

27 de julho de 2015 1
Foto: Projeto Tamar

Foto: Projeto Tamar

 

A Univali e a Petrobrás assinam nesta terça-feira convênio para monitoramento de aves e animais marinhos nas áreas onde há atividades de produção e escoamento de petróleo e gás natural. A universidade coordenará as atividades, que também terão apoio de outras instituições no Sul e Sudeste do país.

O convênio é condicionante do licenciamento ambiental para produção de Petróleo no pré-sal para a Bacia de Santos. O acordo já havia sido previamente anunciado pelo gerente-geral da Unidade de Exploração e Produção da Bacia de Santos, Osvaldo Kawakami, durante a audiência pública que discutiu o fechamento da UO-Sul em Itajaí, no mês de abril.

Monitoramento

A rede fará monitoramento diário de 800 quilômetros da costa brasileira, de Ubatuba (SP), até Laguna. As atividades incluem resgate, atendimento veterinário e reabilitação de aves, tartarugas, baleias e golfinhos.

Serão disponibilizados pela estatal 50 carros, e cinco unidades de estabilização serão construídas nas cidades de São Sebastião, Baixada Santista (SP), São Francisco do Sul, Penha e Laguna. Além de cinco unidades de reabilitação, nas cidades de Ubatuba, Guarujá, Ilha Comprida (SP), Pontal do Paraná (PR) e Florianópolis, e de três bases de apoio em Praia Grande (SP), Ilha do Superagui (PR) e Imbituba. 400 profissionais atuarão nas atividades.

Doze instituições estão envolvidas no projeto: Associação R3 Animal, Instituto Argonauta, Instituto Gremar, Instituto de Pesquisas Cananeia (Ipec), Universidade da Região de Joinville (Univille), Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Projeto Baleia Franca, Projeto Biopesca, e Projeto Tamar de SC e de SP. A expectativa é de que as atividades de monitoramento de campo tenham inicio no final de agosto.

Petroleiros fazem paralisação contra desinventimentos da Petrobras em SC

24 de julho de 2015 0
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

Trabalhadores da Petrobras estão paralisados em frente à Transpetro em Itajaí desde o início da manhã desta sexta-feira. A greve de 24 horas é em protesto contra os planos de desinventimento da empresa estatal, que em Itajaí já provocaram redução de estrutura e a transformação da Unidade de Exploração e Produção (UO-Sul) em Ativo de Produção.  O temor da categoria é a Transpetro seja a próxima vítima.

O protesto dos trabalhadores é contra  o novo Plano de Gestão e Negócios aprovado pelo Conselho de Administração da Petrobrás no mês passado. A categoria entende que novo plano é uma ameaça à sobrevivência da empresa como estatal, na medida em que prevê cortes de US$ 89 bilhões em investimentos e despesas, além da venda de ativos de patrimônio da ordem de US$ 57 bilhões. Há risco de perda de empregos, especialmente entre terceirizados e subsidiárias.

Segundo informações da categoria, o plano prevê que entre 2015 e 2019 a carteira de investimentos terá redução de 37% em relação ao planejamento anterior e priorizará projetos de exploração e produção (E&P) de petróleo no Brasil, com ênfase no pré-sal. Do total (US$ 130,3 bilhões), 83% serão destinados à área de Exploração e Produção. O setor de abastecimento receberá 10% dos recursos previstos e o de gás e energia 5%. As demais áreas terão apenas 2% do orçamento.

Pré-sal

Também está na pauta da paralisação luta contra o Projeto de Lei do Senado 131/2015, do senador José Serra (PSDB/SP), que retira da Petrobrás o direito de ser operadora única do pré-sal.

A greve dos petroleiros desta sexta-feira faz parte da campanha “Defender a Petrobrás é Defender o Brasil”.

Além de Itajaí, há paralisação nos terminais Transpetro de Biguaçu (Teguaçu), Guaramirim (Temirim) e São Francisco do Sul (Tefran).

Em resposta a senador, Petrobras minimiza fechamento de unidade em Itajaí

13 de julho de 2015 2
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

O senador Paulo Bauer (PSDB) recebeu agora em julho a resposta da Petrobras aos questionamentos que fez, ainda em maio, sobre o fechamento da UO-Sul em Itajaí. No ofício, assinado por André Francis, gerente de Demandas de Órgãos de Controle, a companhia reconhece o “reajuste na estrutura organizacional”, reitera que não haverá prejuízo à redução das atividades operacionais nos campos de Baúna e Piracaba, e diz que “quase a totalidade” da equipe de Itajaí permanecerá na cidade (embora a transferência tenha atingido dois terços dos servidores, segundo dados do sindicato da categoria).

O documento também afirma que “grandes feitos construídos pela Petrobras na região Sul” ocorreram entre 2005 e 2010 _ época em que Itajaí ficou sem um escritório da empresa, o que levou a Associação Empresarial (ACII) a uma campanha pela volta da estatal.

Por fim, garante que as operações aéreas e logísticas continuarão sendo feitas por aqui.

Sobre a solicitação de uma audiência com a presidência da empresa, nem sequer uma linha. O ofício de Paulo Bauer foi feito a pedido do deputado estadual Leonel Pavan (PSDB).

Fechamento da UO-Sul da Petrobras completa dois meses e nenhum avanço

06 de julho de 2015 1

O governador Raimundo Colombo (PSD) disse que ainda está aguardando uma resposta da presidência da Petrobras sobre o pedido de audiência para tratar do fechamento da UO-Sul, em Itajaí.

Já faz dois meses que a unidade passou para a categoria de Ativo de Produção (sem atividades de pesquisa e exploração), boa parte dos funcionários já foi transferida para a unidade de Santos, e até agora nem uma resposta decente sobre o pedido de permanência em Itajaí foi dada.

A julgar pela falta de urgência das autoridades, devem ter esquecido do assunto.

::: Leia mais sobre o fechamento da UO-Sul

Petroleiros cobram resposta da Petrobras sobre fechamento da UO-Sul

02 de junho de 2015 0
Foto: Lucas Correia, Especial

Foto: Lucas Correia, Especial

 

Representantes da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e do Sindicato dos Petroleiros de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul têm reunião marcada hoje no Rio de Janeiro com a Gerência de Exploração e Produção da Petrobras para tratar do fechamento da UO-Sul em Itajaí.

Os trabalhadores reclamam que, até agora, não obtiveram respostas convincentes sobre os motivos que levaram à extinção da unidade um mês atrás – a única especializada em pesquisa por novos campos de trabalho no Sul do país, e a de melhor relação entre o número de funcionários e a produtividade.

Em Itajaí as transferências dos trabalhadores para Santos já começaram e devem ser concluídas até o fim de julho. Segundo informações que chegaram ao deputado estadual Leonel Pavan (PSDB), que tomou a frente da luta pró-UO-Sul na Alesc, parte dos trabalhadores já vê a situação como irreversível e colocou à venda imóveis que mantinha em Itajaí.

::: Leia mais sobre o fechamento da UO-Sul

O fechamento da UO-Sul provocou movimentação do empresariado, mas a mobilização política, que deveria ser capitaneada pelo governador Raimundo Colombo (PSD), ainda não teve resultado.

Recentemente chegou ao sindicato a informação extraoficial de que os embarques para as plataformas que hoje são feitos via Aeroporto de Navegantes também serão transferidos para o Aeroporto de Itanhaém (SP), que é hoje o ponto de embarque para quem atua em Santos. A Petrobras mantém uma área em Navegantes mediante concessão.

Surpreso

No último encontro do Sindicato dos Petroleiros com o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, na semana passada, os sindicalistas apresentaram um relatório mostrando o que é a UO-Sul e o impacto do fechamento para o Sul do país.

O presidente teria ficado “admirado” com a repercussão da saída da unidade. Mas não manifestou indicação de que poderia voltar atrás.

Senador Paulo Bauer pede audiência para tratar do fechamento da UO-Sul

30 de maio de 2015 0

O senador Paulo Bauer ( PSDB) enviou a pedido do deputado estadual Leonel Pavan ( PSDB) ofício ao presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, com questionamentos sobre o fechamento da Unidade de Exploração e Produção Sul ( UO-Sul), em Itajaí.

Pediu para que, ao menos, seja recebido para tratar do assunto.

Há cerca de duas semanas os trabalhadores da UO-Sul, que chegaram a entrar em greve para evitar as transferências para Santos, começaram a fazer a ambientação em São Paulo.

::: Leia mais sobre a UO-Sul

Ainda em abril o governador Raimundo Colombi (PSD) prometeu discutir o assunto com a presidência da Petrobras, mas, até agora, não houve movimentação.

A UO-Sul era a única unidade de exploração e produção da Petrobras no Sul do país.

 

 

Risco de queda na hotelaria

25 de maio de 2015 0

O fechamento da Unidade de Exploração e Produção Sul (UO-Sul) da Petrobras em Itajaí tem preocupado os hoteleiros. Isto porque há hotéis na região central onde 80% do movimento durante a semana é de funcionários da estatal, e a redução no vaivém da clientela pode resultar em prejuízo.

Empresariado de Itajaí pede apoio do senador Dario Berger para permanência da unidade de exploração da Petrobras

20 de maio de 2015 0

O presidente da Associação Empresarial de Itajaí (ACII), Eclésio da Silva, reuniu-se com o senador Dario Berger (PMDB) para tratar do fechamento da unidade de exploração da Petrobras. Berger deverá assumir o papel de articulador que seria desempenhado pelo senador Luiz Henrique da Silveira.

Na segunda-feira, durante a apresentação da Sutherland, o governador Raimundo Colombo (PSD) disse que também vai se encontrar com o senador na próxima semana. Da prometida reunião com a presidência da Petrobras, por enquanto, nem sinal.

::: Leia mais sobre a UO-Sul

Depois de terem conseguido adiar por uma semana as transferências para Santos, os funcionários da UO-Sul tiveram que se apresentar em São Paulo nos últimos dias para a fase de ambientação na unidade santista.

A Federação Única dos Petroleiros tem encontro marcado com a diretoria de Exploração da Petrobras no dia 25 de maio.