Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "Portonave"

Portonave é escolhida como melhor porto para trabalhar no Brasil

11 de dezembro de 2015 0

A Portonave foi escolhida pela organização Great Place to Work (GPTW) como o melhor porto para trabalhar no Brasil. O levantamento é feito com base em questionários distribuídos a colaboradores que estão na empresa há mais de três meses. Na Portonave, o quesito mais lembrado pelos trabalhadores entrevistados foi orgulho.

Navio que teve acesso negado consegue autorização para manobrar em Navegantes

24 de novembro de 2015 0
foto: Alexandre Rocha, Divulgação Praticagem de Itajaí e Navegantes

foto: Alexandre Rocha, Divulgação Praticagem de Itajaí e Navegantes

Depois do impasse na última semana, a Marinha autorizou a entrada do navio CSAV Trancura no canal de acesso ao Complexo Portuário do Itajaí-Açu.

A embarcação, que teve acesso negado na semana passada por ter 20 centímetros de largura a mais que o permitido pela Marinha para manobrar no canal, atracou no domingo em Navegantes e deixou os terminais da Portonave na segunda-feira.

Segundo a praticagem de Itajaí, a autorização ocorreu somente para esta manobra, considerada em caráter experimental.

Estado libera ampliação da Portonave

28 de outubro de 2015 0
Foto: Marcos Porto / Agência RBS

Foto: Marcos Porto / Agência RBS

A Fatma entregou à Portonave, em Navegantes, licença ambiental de instalação (LAI) que permite ao terminal portuário preparar terreno (literalmente) para a terceira fase de ampliação. A área tem 156 mil metros quadrados e as obras ainda não têm data para começar, mas representam a aposta alta da empresa na vocação portuária da região.

A licença foi entregue ao superintendente da Portonave, Osmari de Castilho Rivas, pelo governador Raimundo Colombo, o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Carlos Chiodini, e o presidente da Fatma, Alexandre Waltrick. A liberação vem apenas um mês após a Portonave ter passado a operar a segunda fase de implantação, que dobrou de 15 para 30 mil contêineres a capacidade de armazenagem, com investimento de R$ 120 milhões.

O terminal, que mudou a cara e a vocação de Navegantes, opera sozinho mais de 40% dos contêineres que passam por Santa Catarina. Movimentou 700 mil TEUs no ano passado e, apesar do ano instável para o comércio exterior, deve terminar 2015 no mesmo patamar.

A força de Navegantes aumenta no mesmo ritmo em que o Porto de Itajaí, na margem oposta do Itajaí-Açu, vive um calvário. Com o pedido de extensão de contrato da APM Terminals (arrendatária do porto) aguardando resposta há quatro anos em Brasília e dois berços de atracação em obras, o porto enfrenta uma crise sem precedentes, que resultou na perda de linhas. Para os especialistas, uma amostra das diferenças de competitividade entre portos públicos e privados gerada pela nova Lei dos Portos.

Canal fechado

Dona do maior número de escalas nos portos locais, a Portonave foi a maior prejudicada pelo fechamento do canal de acesso, causado pela forte correnteza. Teve 16 paradas canceladas nos últimos dias.

Fechamento do canal de acesso aos portos já soma prejuízo de R$ 40 milhões em Itajaí

26 de outubro de 2015 4
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

Os últimos 15 dias de fechamento total ou parcial do canal de acesso aos portos em Itajaí e Navegantes, devido à força da correnteza, já contabilizaram um prejuízo de R$ 40 milhões à cadeia portuária, só em outubro, e um novo arranhão à imagem do Complexo Portuário.

Este ano os fechamentos totais ou parciais já se repetiram por mais de 40 vezes, com perdas que chegam à cifra de R$ 100 milhões e ultrapassam as nossas fronteiras. Atingem desde o empresário responsável pelo envio ou recebimento da carga, em todo o país, até o trabalhador do porto.

Números como esses estão embasando pedidos da superintendência do Porto de Itajaí para que o escoamento do rio e as atividades na foz, que além do porto incluem estaleiros e pesca, sejam considerados nos projetos de contenção de cheias no Itajaí-açu feitos pela Defesa Civil do Estado.

A abertura simultânea de comportas, por exemplo, pode provocar uma correnteza devastadora na foz e arrastar sedimentos que vão parar, justamente, no canal que dá acesso ao motor da economia de Itajaí e Navegantes.

Técnicos defendem análise do comportamento hídrico em relação aos impactos em cada cidade por onde passa o rio e a avaliação da bacia como um todo. Um progresso histórico nos projetos de prevenção, que por décadas desconsideraram os danos econômicos das cheias do Itajaí-açu por aqui.

Pedido à presidente

A necessidade urgente de uma dragagem de aprofundamento no canal do Itajaí-açu foi um dos pedidos entregues em documento pelo Estado à presidente Dilma Rousseff (PT) no fim de semana. A justificativa é que a empreitada, avaliada em R$ 40 milhões, ajude, além da economia portuária, também a escoar com maior rapidez as águas que descem do Vale e impedir maiores estragos à área urbana de Itajaí.
A mesma solicitação havia sido entregue na semana passada pela bancada catarinense ao ministro da Secretaria Especial de Portos (SEP), Helder Barbalho.

Urgência

Há consenso de que as soluções para os fechamentos de canal em Itajaí têm que ser mais rápidas. Se considerada apenas a carga tributária decorrente dos valores que deixaram de ser injetados este ano na economia, a perda em arrecadação para município, Estado e governo federal soma R$ 38 milhões. Quase o valor da dragagem que é pleiteada em Brasília.

Emergência

No fim de semana a Defesa Civil Estadual confirmou a homologação do Decreto de Situação de Emergência em Itajaí, em decorrência dos prejuízos causados pela correnteza no porto. O decreto depende agora de reconhecimento da União.

Como a correnteza não integra o rol de justificativas de decreto, o de Itajaí foi feito com base em inundação, sob o entendimento de que as inundações do Itajaí-açu provocaram a forte corrente, que prejudica a atividade portuária.

 

Vídeo: Veja como é a atracação de um navio no Itajaí-açu

20 de outubro de 2015 2

O canal de acesso aos portos de Itajaí e Navegantes voltou a ser notícia nas últimas semanas com um novo fechamento, causado pela forte correnteza do Itajaí-açu. Navios em alto-mar, aguardando a reabertura para manobras, representam para todo o Estado um prejuízo incalculável _ só para o operador do navio são US$ 40 mil a cada dia de espera.

Não à toa, a retomada das manobras, ainda que com restrições, é comemorada pelo trade portuário. O vídeo abaixo é da primeira atracação de um grande navio na Portonave após os dias de fechamento total. O MSC Ingrid, de bandeira panamenha, é um gigante de 294 metros de comprimento.

A manobra foi feita e registrada no celular pelo prático Pedro Cipriano, o decano da Praticagem de Itajaí. As imagens, em time lapse, mostram o navio imenso enfrentando a correnteza e girando na bacia de evolução antes de atracar na margem de Navegantes, num ballet inimaginável para uma estrutura tão grandiosa

 

 

Com restrições

Nesta terça-feira a Marinha expediu documento restringindo novamente as manobras para o período de maré enchendo (até por volta de 15h) e com algumas restrições de calado: 10,4 metros para navios saindo e 9,55 metros para navios entrando.

A mudança de parâmetros ocorreu porque a Praticagem teve dificuldades, na segunda-feira, para manobrar navios com calado maior na entrada, com um perigoso excesso de esforço. Na prática, os práticos pediram “mais água”, ou uma distância maior entre fundo do rio e casco da embarcação, para operar o navio.

O problema ocorre porque houve assoreamento do fundo, e a perda estimada após a batimetria é de dois metros de profundidade.

A restrição pode impedir a entrada de navios muito pesados. Mas, por enquanto, não há escalas previstas de embarcações nessas condições.

Interrupção de manobras de navios em Itajaí causa prejuízo de mais de R$ 4 milhões

13 de outubro de 2015 4
Foto: Luiz Carlos Souza, Especial

Foto: Luiz Carlos Souza, Especial

 

Seis navios aguardam para entrar no Completo Portuário do Itajaí-açu, que inclui os terminais de Itajaí e Navegantes, nesta terça-feira. Também há uma embarcação aguardando para sair.

O canal está fechado e com restrições de manobras há quatro dias, devido à forte correnteza do rio. A estimativa é que os prejuízos causados pela interrupção das operações some em média US$ 40 mil por dia para cada navio _ o equivalente a cerca de R$ 4,2 milhões.

A Praticagem avalia as condições da correnteza para, se possível, voltar a operar no fim da manhã.

::: Análise do rio não leva em conta impacto nos portos, diz presidente da Praticagem

Falta de documentação ameaça manobras noturnas no Complexo Portuário

01 de setembro de 2015 0
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

A falta de um documento oficial da Marinha para prorrogar a realização de testes de atracação noturna pode impactar as escalas no Complexo Portuário e causar prejuízos para os armadores.

A entrada de navios de 265 metros de comprimento e 33 de boca durante a noite vinha sendo testada pela Praticagem e aguardava apenas homologação oficial. Enquanto a pendenga não se resolve, os navios dessa envergadura que vinham fazendo atracação e partida noturna terão que esperar até o amanhecer – e cada hora parada tem custos extras de operação.

Ontem, uma reunião na Marinha tentou buscar consenso para manter as manobras.

Estreia no Complexo

11 de agosto de 2015 2
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

Ontem atracou em Itajaí e Navegantes o primeiro navio da linha 3M, que inclui os armadores Maersk, Mol e MSC. Com operação nas duas margens, a linha representou para a APM Terminals a recuperação de três mil TEUs ao mês após a perda da linha ASAS para a Portonave. Coincidência ou não, o primeiro gigante da 3M a aportar por aqui chama-se Generosity – em inglês, “generosidade”.

Ministros em SC: nova pressão para velhos problemas

04 de agosto de 2015 1
Foto: Marco Favero

Foto: Marco Favero

 

Sem grandes anúncios de investimentos, a passagem pelo Estado da ministra da Agricultura, Kátia Abreu, e do ministro dos Portos, Edinho Araújo, foi marcada por novos pedidos sobre antigas demandas. A visita foi acompanhada pela direção dos principais terminais portuários de Itajaí e Navegantes e por autoridades das duas cidades.

Embora o foco da viagem oficial tenha sido a apresentação da edição Portos do programa SC Acelerando a Economia, pelo Governo do Estado, o principal momento ocorreu a portas fechadas: pela manhã os ministros abriram espaço para ouvir os portos e suas listas de gargalos.

Edinho Araújo evitou falar sobre o compromisso do governo federal em arcar com a segunda etapa das obras da bacia de evolução do Complexo Portuário do Itajaí, que deverão abrir espaço para os gigantescos navios com 366 metros de comprimento (a primeira fase é paga pelo governo do Estado). Reconheceu a importância da empreitada, mas disse que, por enquanto, está deixando de lado os números devido aos recentes cortes no orçamento.

Durante a tarde, em entrevista coletiva, o ministro confirmou que está trabalhando por uma solução para o prazo de arrendamento da APM Terminals no Porto de Itajaí. Classificou como “sui generis” o contrato de 22 anos, prorrogáveis por mais 3 (diferente do modelo usual, de 25 anos prorrogáveis pelo mesmo período), e garantiu que será encontrado um modelo que “não frustre” Itajaí e Santa Catarina. Mas reiterou que o processo terá que observar os limites legais.

Concurso

Foi um pouco mais prático o posicionamento da ministra da Agricultura. Mesmo sem falar em prazos, Kátia Abreu afirmou que abrirá concurso para novos fiscais e que deverá incluir 16 vagas em SC, incluindo portos e aeroportos. Por enquanto, o reforço segue esporádico: o ministério seguirá enviando quatro servidores a cada 15 dias para ajudar na liberação das cargas.

Cobrança

O presidente da Fiesc, Glauco Côrte, cobrou o governo federal sobre a demora na liberação de cargas na Anvisa _ em especial medicamentos, que chegam a demorar 30 dias para liberação nos portos. Também reclamou dos atrasos na fiscalização da Agricultura e lembrou que, em Itajaí, só há fiscais três vezes por semana por falta de efetivo.

 

Atracações em Itajaí

28 de julho de 2015 0

Está prevista para 22 de agosto a migração da linha asiática ASAS de Itajaí para Navegantes. Até lá, navios que integram o serviço (como o liberiano Tubul) continuam atracando na APM Terminals.