Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Chegou o mais copeiro

10 de julho de 2014 14

Apesar de ter sido dominada na maior parte do tempo, de ter ficado sem pernas na prorrogação, a Argentina fez aquilo que qualquer um faria numa decisão em que se considerava inferior: defendeu-se com qualidade. Levou a decisão contra a Holanda para os pênaltis. E, nos tiros diretos, acabou sendo mais competente.

O goleiro Romero fez duas defesas, enquanto Cilessen, preterido pelo técnico holandês contra a Costa Rica, provou que não é seu forte a decisão da marca da cal. Agora, os barulhentos argentinos vão para a grande final. Mais uma vez como azarões, mas acreditando que o futebol não tem lógica.

Favorita

Verdade que não existe jogo jogado. Mas pelo que se viu nas semifinais, pela economia de fôlego – jogou só um tempo contra o Brasil -, a Alemanha chega na grande final, domingo, no Maracanã, com o rótulo de favorita. Está com o moral nas nuvens, muito mais inteira do que a Argentina e com um coletivo que funciona melhor do que a adversária.

Mesmo contra o talento de Messi, capaz de decidir num único lance, os alemães estão mais perto de agarrar o caneco mais cobiçado do planeta.

Braçadeira

AFP

AFP

Fez mal a braçadeira. Verdade que ninguém perde sozinho no futebol, mas um dos piores em campo, contra a Alemanha, foi o zagueiro David Luiz. Sempre fora do lugar, longe dos lances que acabaram nas redes de Julio Cesar, o capitão brasileiro cumpriu uma jornada de peladeiro.

Pelo que se viu, talvez esse comportamento tenha sido a causa de sua saída do Chelsea, com o aval do técnico José Mourinho.

Lamentável

Acredite quem quiser. Profundo conhecedor de vestiário, Cafu, capitão do Tetra, decidiu dar uma força aos abalados meninos da Seleção após o fracasso contra a Alemanha.

No meio da missão, foi convidado pelo chefe da segurança da CBF, que cumpria ordens do presidente José Maria Marin, a se retirar do local, sob a alegação de que era proibido a presença de estranhos. Mesmo autorizado pelo técnico Luiz Felipe Scolari, o ex-lateral acatou a lamentável ordem.

Perdemos motivados

Como não poderia deixar de ser, a ausência de Neymar transformou a concentração da Seleção. Todos os dias, a todo momento, aflorava a motivação. Era nos treinos, na hora das refeições, acima de tudo no aquecimento.

E o que se viu foi um grupo tenso, preocupado, atônito, incapaz de reagir. Quando o papo passa do limite, como foi o caso, o resultado, ao contrário de embalar, provoca efeito contrário. Justamente como se viu no atropelamento que sofremos diante da Alemanha.

Nem nas tragédias o brasileiro perde o humor

Após a pancada diante da Alemanha, encontrei o Djalma, escorado numa parede do prédio da RBS. E ele não perdeu tempo.

-Pelo menos desta vez não teve sofrimento! – avisou o amigo.

-Como assim? – questionei.

-Sofremos para ganhar da Croácia, sofremos para empatar com o México, sofremos para derrotar o Chile e a Colômbia! Agora foi sofrimento… – explicou.

Bookmark and Share

Comentários (14)

  • Machiavellirs diz: 10 de julho de 2014

    TEORIAS DA COPA – I

    Para explicar a perda da Copa ou a decadência do futebol brasileiro muitas teorias surgirão.

    E, cada um, acha que a sua teoria é mais qualificada que a do outro por “n” motivos. Um colorado, por exemplo, dirá:

    - Culpa do Felipão! O Felipão já está idoso. Aliás, sua decadência vem desde 2002 quando ganhou a Copa do Mundo no Japão com a Seleção Brasileira. De lá pra cá só decadência. Treinou a Seleção Portuguesa, o Chelsea, o Bunyodkor. Não ganhou nada. Por último, treinou o Palmeiras, deixando o verdão na segunda divisão. Portanto, coisa de gaymista enrustido! – E o colorado explica:

    - O Felipão só ganhou a Copa do Mundo de 2002 porque a Seleção Brasileira era uma equipe equilibrada. Tinha na defesa um Lúcio (ex colorado), um Roque Junior, um Cafu, um Roberto Carlos. Também tinha, no auge do futebol, o Rivaldo, o Ronaldinho Gaúcho e o Ronaldo Fenômeno prá botar bola prá dentro. – E o colorado finaliza:

    - Também, com esse time, até eu! E, depois, a Seleção curtia o som do “Deixa a vida me levar”, do Zeca Pagodinho e não essa porcaria do “Tá escrito” do Grupo Revelação.
    ________________________________

    Deixa a vida me levar – Zeca Pagodinho
    https://www.youtube.com/watch?v=jTbHd-Fz_ns

    Tá escrito – Grupo Revelação

  • Machiavellirs diz: 10 de julho de 2014

    TEORIAS DA COPA – II

    No post “TEORIAS DA COPA – I” registrei a teoria de um colorado, na qual ele sustentava que o Felipão foi o culpado pela perda da Copa de 2014.

    Agora, vou apresentar a teoria de um gremista: a minha teoria.

    Na verdade, vou apenas ratificar a teoria que registrei no blog (http://machiavellirs.blogspot.com.br/) nove dias antes de iniciar a Copa, ou seja, em 03/06/2014, sob o título “OS SIGNOS DIZEM QUE O BRASIL VAI PERDER A COPA”. Então, sem maiores delongas, aí vai a dita teoria, na parte que interessa:

    “…
    Após algumas noites de estudo, concluí que a seleção brasileira de 2014 NÃO VAI GANHAR A COPA DE 2014.

    E por que não vai ganhar a Copa?

    Não vai ganhar a Copa porque a seleção só tem um jogador convocado do signo de GÊMEOS: o Hernanes (29/5/85).

    Vejam que a seleção campeã de 2002 tinha 5 jogadores convocados do signo de Gêmeos; na de 1994, eram 4 jogadores desse signo; na de 1962, eram 3 jogadores; na de 1958, eram 4 jogadores de Gêmeos.

    A seleção de 1970, tinha, também, apenas 1 jogador de Gêmeos. No entanto, para compensar essa falta, ela contava com 5 jogadores convocados do signo de CAPRICÓRNIO – Felix (24/12), Fontana (31/12), Jairzinho (25/12), Rivelino (01/01) e Gerson (11/01) –, signo que caracteriza o nativo pela determinação que ele tem em busca de um objetivo.

    De outra parte, verifica-se que na seleção de 2014 não existe um único jogador do signo de ESCORPIÃO. Sabem o que significa isso? Isso significa tudo! Só para vocês terem uma ideia da importância desse signo, informo-lhes que o Pelé e o Maradona são escorpiões de cima a baixo, ou seja, até nas provocações, qualidade típica do pessoal nascido entre 24/10 e 21/11.

    Aliás, o Grêmio precisou colocar no meio de campo um cara de Escorpião – o Iura (04/11) – para provocar e matar com o seu veneno aquele time do Inter de Falcão, Carpeggiani e Escurinho.

    Então, gente, acreditem, seleção brasileira sem atleta do signo de Escorpião e com apenas um atleta do signo de Gêmeos, sem a compensação de 4 ou 5 atletas do signo de Capricórnio, jamais será Campeã do Mundo.

    Podem escrever aí e, depois, me cobrem, por favor!”

  • mateus diz: 10 de julho de 2014

    O clima tenso foi criado pela própria imprensa que fez todo mundo acreditar que sem Neymar não daria.

    Felipão tem uma parcela de culpa, mas ele não estava no grupo de 5 ou 6 jogadores dentro da área que por 3 vezes deixaram 1 alemão livre. Não foi ele que errou o passe do Fernandinho, não foi ele que deixou o Muller livre, foi o David Luiz.

    Então também não dá para condenar muito as escolhas, pois até a hora do jogo, todo mundo elogiava David Luiz e Fernandinho, então as escolhas eram boas.

    Vamos fazer melhor a análise do jogo, pois se tivesse colocado o terceiro volante e perdido dignamente de 1 x 0 iriam chamar o véio de retranqueiro.

  • eduardo diz: 10 de julho de 2014

    Guerrinha. Parabéns por ser o único a meter pau no marqueteiro do David Luiz. O cara fez 300 comerciais antes da copa, e esqueceu de jogar bola. Como capitão, sua função era de orientar e acalmar os jogadores, mas após o 1 gol, ele foi o primeiro a ir para o ataque e tentar resolver sozinho, o que era óbvio que não iria acontecer, pois se ele jogasse 1 % do que ele acha que joga ele já botava o messi no chinelo. Quanto ao machiavellis aí de cima, só te digo uma coisa, vai te tratar rapaz, em tudo que é post, tu só escreve m…..
    Abraço Guerrinha

  • Helder H Hartmann diz: 10 de julho de 2014

    Caro Guerrinha; a coisa mais simples que o Felipão poderia ter feito no fatídico fracasso contra a Alemanha, é o que fizeram ontem a Argentina e a Holanda, jogaram povoando o meio campo e anulando as principais figuras de ambas as equipes, Messi e Robben. Jogo truncado com poucas chances de gols criadas e só definida na loteria das penalidades. Só um recadinho ao “Machi” a nova mãe Dinah; abre uma barraquinha e faça suas previsões para os transeuntes da rua da Praia e não dê mais pitados por aqui.

  • Machiavellirs diz: 10 de julho de 2014

    ENSINAMENTOS DA HUMILHAÇÃO

    Será que não bastava levar 7 da Alemanha para aprender? Será que o Brasil ainda precisaria ser castigado e ver uma Argentina campeã ou vice-campeã do mundo dentro do Maracanã, o mesmo estádio que viu o Uruguai ser campeão em 1950? Será que a humilhação do povo brasileiro permanecerá “ad aeternum”?

    Pois querendo ter um olhar otimista sobre a situação em foco, acho que o destino, na realidade, está fazendo um esforço tremendo para provar ao Brasil que o futebol, um esporte de fácil acesso para o povo, não deve se transformar, na mão de dirigentes e políticos inescrupulosos, em uma espécie de ópio, um ópio que torne esse povo eterno dependente de esquemas partidários mal intencionados.

    Vejam que com a desculpa de fazer a Copa das Copas, o Brasil construiu verdadeiros estádios elefantes branco com recursos públicos que poderiam ser destinados, prioritariamente, à construção de novas escolas e novos hospitais tão indispensáveis à melhoria da educação e da saúde do brasileiro.

    Então, em que pese minha indignação com esse quadro corrupto que se instalou no Brasil, espero que a humilhação que o futebol causou ao povo brasileiro nesta Copa se transforme em dignidade num futuro próximo.

    Quem sabe, nas eleições deste ano!

    Quem sabe o povo se canse da sua subserviência histórica e mande passear na Argentina ou na Alemanha, numas férias sem fim, os políticos inescrupulosos que infestam este país “puta merda…puta merda”, conforme diria o Lula.
    __________________________
    PUTA MERDA DO LULA

  • jotave diz: 10 de julho de 2014

    Caro Guerra,
    Muitos comentários, nenhuma palavra,uma miséra só, que lembrasse,os ” que morreram”, em função desta tal copa, que só favoreceu, políticos e construtoras, ávidos pelo ganho fácil, pagos com o suor do povo humilde,deste pais.
    Lembrei-me de uma frase,dita pelo Mendes Ribeiro,na época locutor da Radio Guaiba,numa,também,copa do mundo, num jogo do Brasil…” DEUS NÃO JOGA,MAS FISCALIZA”…Com certeza o DEDO, dele, estava lá em MG. Abç

  • Dorian R. Bueno diz: 10 de julho de 2014

    DEUS X DEUS
    No jogo de ontem entre HOLANDA e ARGENTINA, realmente DEUS jogou para os dois lados, 0×0 e tudo vou para os penaltis, aí é competência.
    Agora no próximo jogo entre ALEMANHA e ARGENTINA, vai chamar os dois PAPAS e determinar para que orientem os jogadores dos seus países, que não usem o seu nome em vão, e que joguem somente um futebol maravilhoso para não termos 90, 120 minutos SEM GOLS, e tudo se acabar nas cobranças de pênaltis.
    Acredito que nas orações que os jogadores fazem daquele jeito delirante e louco para pedir que DEUS jogue junto com eles, imagino que DEUS fica com vergonha por eles e até tenta atender seus alucinantes pedidos.
    Uma oração feita nos dois vestiários quase ao mesmo tempo e desta forma, é um círculo de oração poderosa e não há como o jogo não terminar empatado.
    Os jogadores já ganham milhões por ano e ainda conseguem levar multidões aos estádios pagando caro pelo seu ingresso.
    O povo realmente é muito corajoso, porque deixar sua família de lado, cachorro e o gato, isto quando não leva junto à mulher, filhos, namorada, noiva, amante, comprometendo até mesmo o orçamento familiar para torcer, sofrer, ganhar ou perder e ainda correr o risco de também perder sua mulher, perder seu marido, ter seu carro arranhado, roubado, chegar atrasado ao trabalho no outro dia, devido à ressaca ou depressão por além do seu time não ter ganhado o jogo, ainda teve vários prejuízos particulares que os jogadores nem estão aí…
    O dia que o povo não ir mais aos estádios e DEUS realmente deixar de ser camarada com estes pernas de pau, eles também irão deixar de ser hipócritas em pedir para DEUS que lhe abençoem antes de entrar em campo, mesmo que durante a partida decepcionam DEUS agredindo seu adversário, errando em bola, perdendo gols imperdíveis, xingando o juiz, e no final do jogo ainda tem a cara de pau de falar nos microfones que menos mal que não levaram gol e com certeza no próximo jogo na casa do adversário vai ser tudo diferente, por que eles vão ter que nos atacar e teremos o contra-ataque. Aí que mora o perigo…
    É mais uma lição utópica de delírio, tendo em vista que estes mesmos jogadores quando jogaram na sua casa com o estádio lotado, torcendo, cantando, gritando, aplaudindo e vaiando o adversário não tiveram competência para fazer gols.
    Será mesmo que jogando longe de seus domínios conseguirão a proeza de ter um DEUS mais poderoso que o DEUS do adversário? Estes jogadores precisam pensar melhor antes de falarem besteiras…
    DEUS não joga e nem gosta deste tipo de uso do seu nome em vão, ainda mais da forma como é usada nos corredores dos túneis antes de entrarem em campo.
    Jogador bom é aquele que não precisa nem de treino, já nasce com fome de bola e sabe agradecer DEUS por ter nascido assim com saúde, inteligência, talento e humildade para somente agradecer.
    Com certeza as pessoas voltariam para suas casas mais felizes…
    Abs, Dorian R. Bueno, POA 10/07/2014

  • Jairo Jonck diz: 10 de julho de 2014

    Guerrinha, sem o sentimento do patriotismo que inunda sempre o ânimo dos brasileiros porque a gente gosta de futebol, tem um fato real aí:

    Foi a vitória da competência sobre a malandragem.
    Foi a vitória da dedicação sobre o jeitinho.
    Foi a vitória de quem rala sobre quem ginga.
    Foi a vitória de quem estuda sobre quem vira presidente sem ter estudado.
    Foi a vitória do planejamento sobre o sal grosso e o galho de arruda.
    Foi a vitória de um time que jogou naturalmente com 3 jogadores à mais, pois eles teriam 2 marcando o Gênio Neymar e mais um na sobra, e aí também perderíamos, mas seria “só” de 1 x 0 e ainda assim o Felipão seria chamado de retranqueiro e isso, É FATO.

    Que sirva de lição e que nos levantemos de nosso berço esplêndido, pois não temos nenhum Treinador DE VERDADE nos próximos 10 anos, porque ???
    Porque nós só temos Bruxos & Malandros da bola, enquanto toda a Europa está profissionalizada (até a Holanda que chegou 4 vêzes e nunca leva, mas não desiste), escreva isto.

  • Alberto/Cair na real diz: 10 de julho de 2014

    Se o Brasil ganhasse a Copa seria um oba-oba tão grande com festas, homenagens, comemorações dias e dias sem que fossem lembrados os acidentes nas obras, os gastos, os escândalos de corrupção e a conta que iremos pagar de agora em diante quando a “Dona” FIFA for embora levando bilhões, assim como os próprios jogadores, Felipão, assessores, TV’s que encheram os bolsos com comerciais de todos os tipos.

  • Dorian R. Bueno diz: 10 de julho de 2014

    ESTAS PALAVRAS !!!
    Peço desculpas para o teclado, porque hoje as palavras não estão querendo sair do seu retiro mental para ser usadas e formar aquele texto espiritualizado com a graça de DEUS, ou abstrato, utópico, delirante, provocante, malicioso, sacana e humilde.
    Agradeço aos profissionais da imprensa que abriram seus espaços em JORNAIS e BLOGS, pessoas diversas que conheci interagindo, todos que se divertiram e suportaram durante estes dias de antes e durante a COPA 2014, os meus delírios que não foram poucos, mais o menos um texto por dia durante 2 meses.
    Quem sabe na outra COPA daqui a quatro anos, eu retorne mais experiente, e já vou pedindo para terem paciência comigo, não sou jornalista, e nem sou de outro planeta, apenas brinco com as palavras e sou brasileiro como vocês.
    Eu não planejo o que escrevo e quando vejo as palavras vão tomando conta de mim, vou ficando sufocado, feliz, tentando entender cada uma delas para não escrever absurdos, mas elas chegam com uma pressa danada para retratar o mais rápido possível, um novo texto para que as pessoas possam ler refletir e até mesmo me malhar.
    Enquanto DEUS quiser, e acredito demais que ele sempre quer, vou ficar aqui quietinho aguardando demandar muitas palavras com outros temas, para que os amigos possam interagir com elas para o melhor dos caminhos.
    Escrevo com uma naturalidade, que às vezes penso como deve ser a vida de quem é pago para escrever e não tem inspiração.
    Ainda bem que eu e as minhas palavras, vivemos um caso de amor eterno e sem cobranças.
    Abs, Dorian R. Bueno – POA 10/07/2014
    dorian.bueno@yahoo.com.br

  • elias diz: 10 de julho de 2014

    Mas que comentários grandes, hein batista? Isso pode, arrnaldo? Guerrinha, o felipinho é uma besta., Ao invés de povoar o meio campo colocou o anão bernad! Todos queriam que tirassem o cone lá da frente, que correu no jogo menos que o goleiro!!!!!!! Jô na seleção? Esse nós conhecemos muito bem- você não? O resto é choro, pois a alemanha que eu vi ganhava até da de 58.

  • Jairo Jonck diz: 10 de julho de 2014

    Guerrinha, não temos nenhum Treinador no Brasil com cabelo no peito e kulhões para aceitar o cargo da CBF com capacidade para mudar tudo, reorganizando, reaprendendo, mudando e estudando o futebol moderno para aplicar uma mudança radical em nossos métodos e pensamentos sobre este assunto FUTEBOL. Tá tudo errado e a mídia é conivente com tudo também, pois se alimenta e sobrevive disso.
    Nossos meninos estão indo embora com menos de 20 anos desde 1994 e só estamos trazendo jogadores meia boca de volta que não vingaram lá fora, ou medalhões com mais de 30 anos e a nossa fonte de abastecimento é a Argentina onde vieram e fracassaram, Bolatti, Dátolo, Bertóglio, Scocco, Barcos, Luque, Alan Ruíz, Scudero entre outros menos conhecidos e o Deus colorado Dalessandro tão idolatrado pela mídia burra (devem receber mensalão dele, só pode ser isso) não conquistou nenhum brasileirão ou Copa do Brasil em 8 anos de inter e no único título importante onde ele esteve presente, o melhor jogador do inter e do torneio, foi o Giuliano na Libertadores de 2010 conquistada em cima de um time formado por funcionários bêbados de uma fábrica de Whisky, PASMEM, do México e logo depois, Deus todo-poderoso veio lá do céu e usou a Republiqueta do CONGO para botar “ORDEM NA FIFA”, aí, nasceu o 1º grandioso MICO FIFA do futebol mundial na história. FATO.

  • Machiavellirs diz: 10 de julho de 2014

    Por volta dos 14 anos disse para minha mãe que me interesso por meninos, e não por meninas. Com aquela idade, eu não imaginava o quanto a sexualidade de uma pessoa interfere na vida social. Meu interesse por meninos sempre foi natural, eu não escolhi. Via o volume nas calções deles e me derretia.

    —X-X-X—

    Ser gay não é uma opção, vocês acham que gosto de sofrer piadinhas e surras de meu ex-papai (papai me abandonou, me disse que não tem mais filho, abandonou até minha mãezinha…) Nasci e cresci no interior, e lá não há grupos de apoio a pais de gays, diferentemente das cidades grandes hoje em dia. Então, minha mamãe e eu tivemos que nos redescobrir, sozinhos, como amar amar. Ela tinha de descobrir porque no fundo doía nela o meu homossexualismo, ela cuspia para isso. Mas não me abandonou, me amava, acho. Ou tinha pena. E eu tinha de descobrir porque não sabia como chegar nos meninos, tinha medo de apanhar.

    —X-X-X—

    De fato, a primeira vez que dei, aos 15 aninhos, foi para meu priminho Zezé, que era mais fraquinho que eu. O bilauzinho dele me fez tantas cócegas que ri enquanto dava. Zezé e eu descobrimos juntos o sexo. Garanto que o amor – acima de tudo o amor de minha mamãe – me ajuda a curar minhas frustrações com o desprezo da sociedade, mas no fundo, no fundo, velho já e com meu rabo frouxo depois de tantos anos no “batente”, sinto-me feliz por ter saído do armário cedo.

    —X-X-X—

    Foi na universidade, entretanto, quando me mudei para Pelotas para estudar, que me entendi como gay e cidadão por completo. Era o gay de bigodão clássico, a bicha máscula. Desde então, minha batalha é diária para ser respeitado, mas não com violência (a não ser dos meus comedores), que não sou um revoltado agressivo. Minha arma contra o preconceito e a homofobia sempre foi oferecer a bunda e dizer: me come e depois diga que não gosta. A bichice é a minha educação, minha formação. A gente que sofre preconceito, seja racial, sexual, social, se cobra muito para ser melhor, numa tentativa quase inglória de compensar alguma coisa que é vista como menos/inferior…Choro com isso, e me conforto nos blogs da RBS, contando receber alguma atenção. No fundo não sei se superei todas as minhas dores. Vocês pensam que só minha bunda dói? Não!!! Meu coraçãozinho também dói.

Envie seu Comentário