Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Notícia no mundo inteiro

28 de fevereiro de 2015 10
Famílias poderão ver o clássico juntas

Famílias poderão ver o clássico juntas


Paz

É agora ou nunca mais.
Neste domingo, o Beira-Rio vai ter espaço especial para reunir colorados e gremistas, juntos, numa campanha pela paz nos estádios, que certamente será notícia no mundo inteiro e serve como pontapé inicial para todos os que estão empenhados no final de uma violência que já deveria ter ido para o espaço.
Chegou a hora de vermelhos e azuis, velhos rivais, se conscientizarem de que o futebol é apenas um jogo, que ninguém merece sangrar com vitória com ou com derrota, que a vida continua e que devemos tornar o esporte mais popular do planeta numa festa, como antigamente, e não numa arena de indomáveis.

Clássico
Tem tudo para agradar.
Neste domingo, no Beira-Rio, acontece o primeiro Gre-Nal da temporada, o jogo mais esperado pelos gaúchos, o clássico que mexe com a adrenalina de homens, de mulheres, de crianças, que não decide título, mas sempre é importante para mostrar se o trabalho está ou não sendo bem feito.
De um lado, temos o Inter, com alguns reservas, cabeça muito mais voltada para a Libertadores, mas certo de que tem condições de fazer um grande jogo, terminar com a vitória, e de outro o Grêmio, ainda na tentativa de montar a casa, correndo atrás de reforços, pensando no Brasileirão, mas querendo recuperar a hegemonia do regional.
Por tudo, é fácil dizer que o Gre-Nal tem ingredientes de sobra para agradar gregos e troianos.

Degola
Vale a sobrevivência.
Neste domingo, no Vermelhão da Colina, o União Frederiquense, lanterna, atrapalhado, recebe o São Paulo, de Rio Grande, que também tem decepcionado, num jogo em que os dois estão proibidos de fracassar.
Quem ganhar, deposita três pontos na conta, não se livra da ameaça de disputar a Segundona em 2016, mas fica mais animado, mais perto da salvação, que nesta altura do campeonato representa um título.
Pela importância que representa, tudo indica que o estádio vai ter bom público e muito nervosismo.

A pescaria…
Fim de noite, reunidos no bolicho da cidade, um grupo de amigos começou a projetar o final de semana.
Conversa daqui, conversa dali, acertaram que iriam, todos juntos, fazer uma pescaria.
Quando chegou em casa, o Paulinho, único casado da turma, foi logo avisando a mulher.
- Vou pescar com os amigos no final de semana! – anunciou.
Na hora, sem titubear, a Gládis, a dona da última palavra na casa, reagiu na hora.
- Tire isso da cabeça! Nesse final de semana você não vai pescar coisa nenhuma! Eu comprei o livro 50 tons de cinza e quero fazer umas coisas novas com você! – determinou.
- Tudo bem! – devolveu o Paulinho.
Na noite seguinte, o Paulinho cumpriu a rotina de visitar o bolicho da cidade, encontrou os parceiros e foi logo informando a novidade.
- Estou fora da pescaria do final de semana! – avisou.
Surpreso com a notícia, o Pedrão, mais velho da turma, não se conteve.
- O que houve de tão importante? – questionou.
- A Gládis comprou um livro e me disse que quer experimentar umas novidades comigo! – comunicou.
Chegou o final de semana, os amigos se reuniram, se mandaram para a pescaria e, na chegada ao local, foram surpreendidos com a presença do Paulinho, que já estava na beira do rio, caniço na mão, atrás dos peixes.
Sem entender nada, o Pedrão tratou de elucidar a situação.
- Você aqui? o Que aconteceu? – perguntou o líder da turma.
- Bom pessoal, a minha mulher vestiu uma roupa muito bonita e transparente, estava linda e toda perfumada! – contou.
- Sim e daí? – perguntou um dos integrantes do grupo.
- E dai, que depois de uns beijos e muito carinhos diferentes…- começou o Paulinho.
- Sim, sim, e dai? – insistiu o Pedrão.
- E dai, ela me levou para o quarto, tirou a roupa e deitou na cama toda bonita! – continuou o Paulinho.
- Sim e dai? Você Está nos matando de curiosidade! – avisou um dos amigos.
- Bom, dai pediu que eu amarrasse ela na cama! E eu amarrei! – narrou.
- Tudo bem! E o que mais aconteceu? – perguntou o aflito Pedrão.
- Ai, ela me disse que eu poderia fazer tudo o que eu quisesse… – contou o Paulinho.
- Sim, e daí? – interpelou o grupo inteiro.
- E dai eu vim pescar com vocês…

Bookmark and Share

Comentários (10)

  • sadi Marini Junior diz: 28 de fevereiro de 2015

    Bom dia.

    Velha essa da pescaria, mas bem trazida aos dias de hoje com a alusão espetacular 50 tons de cinza.

    Só uma colocação referente a torcida mista, em minha opinião é mais do que um marco pelo fim da violência, para mim pode ser um sinal que sim, o homem pode aprender com seus erros e tentar repara-los, podemos estar diante de um primeiro passo rumo a civilidade não só dentro dos estádios mas também nas ruas, onde muitas vezes temos torcedores ( se é que podemos chamar assim) se digladiando.
    Guerrinha tenho certeza que os bons são imensa maioria, só precisamos mostrar que existimos e que queremos respeito. Quem sabe no futuro terremos 100% do estádio para torcedores de verdade os que sabem que futebol nada mais é que um esporte.

  • ubirajara carvalho diz: 28 de fevereiro de 2015

    ….muito engraçado e a colocação que a imprensa do resto brasil falando que foi uma iniciativa da dupla gre-nal…. não, não, não foi a diretoria do Inter e que tomou a iniciativa e os torcedores do grêmio que realmente são amigos de colorados aceitaram,
    “mas não é por isto que vamos brigar” heheheheheehheheeheh
    e da-lhe Inter mais uma vez na frente.
    um abraço a Gremistas e Colorados.
    Bira

  • João Carlos Mendonça diz: 28 de fevereiro de 2015

    Guerrinha, deixo aqui uma sugestão: A imprensa deve liderar uma Campanha para que no próximo GRE-NAL seja confeccionada uma camisa, metade no modelo da camisa do Grêmio e a outa metade no modelo da camisa do Inter. Todos envolvidos no clássico (Diretoria, Comissões Técnicas, Imprensa, jogadores, quando da entrada em campo, etc…), todos, sem exceção, deveriam vestir a camisa. Fica a dica.

  • Antonio Carlos – MT diz: 28 de fevereiro de 2015

    Acho que todas as iniciativas são válidas para pacificar os estádios, mas, daí vestir camisa com cores do clube adversário vai uma imensa diferença. Acho que e cor símbolo da paz é o branco, sendo que esta cor deveria ser a dominante nas camisas. 80% da camisa seria branca trazendo a palavra PAZ, os outros 20% restantes as cores dos clubes!

  • José da Silva diz: 1 de março de 2015

    Ubirajara, manda o Pífero fazer um DVD disso, pois o Mário Sérgio disse na Fox que o Inter não é candidato a título nunca e nem foi em 2006 e nem em 2010.

  • ubirajara carvalho diz: 1 de março de 2015

    …vocês tem que acreditar em alguém, que seja o Mário Sergio, 2006, 2010 pois é mais foi / Mário sabe de nada inocente!!!!!!
    eu não acredito é no Paulo Santana que todo ano diz que o Inter vai ser campeão e que Grêmio vai cair para segunda de novo.
    Quanto ao DVD vou dar a ideia para o Pífero, fazer isto mesmo, e tu manda o Romildo Bolzan ” passar das fitas de VHS para DVD do último título do Grêmio” .
    hehehehehehehhehehehehehehehehhehehehehehehhehehheheh
    esta foi boa hein??????

  • Norberto de Sousa diz: 1 de março de 2015

    José da Silva,Quem é o Mário TRABUCO ?? Para falar do INTER ?? Este senhor já passou do tempo pra ficar em casa,sem se expor ao ridículo,de falar bobagens na tv.

  • kiko Uruguaiana diz: 1 de março de 2015

    O Guerra é piadista igual ao Sartori, mas nós gauchos merecemos esses inergúmenos.
    Torcida mista existe desde que eu jogava no Ferro Carril, gremistas e colorados sempre vão abraçados nos campos do interior gaudério, não há novidades.
    O maior problema hoje é a mídia portoalegrense que fomenta a discórdia, por exemplo, Hiltor CP, Wianey e Santana RBS, são gremistas de carteirinha e não concordam com torcida mista, o outro problema é que o Grêmio poderá sair da zona de classificação se perder o clássico, e aí apoiado por esses três patetas (Hiltor,Wianey e Santana) ficarão revoltados e vão promover vandalismo no Beira Rio. Outro problema, a Brigada tem metade coloradose metade gremistas, se der problemas, não vão prender gremistas, e aí o bicho pega.

  • JOAO NUNES diz: 2 de março de 2015

    …o maior problema é a mídia portoalegrense que fomenta a discórdia ! VALEU , KIKO URUGUAIANA ! Falou e dizeu , tudo ! E o pior que existe muita SUJEIRA por trás disto entre mídia e alguns dirigentes que jamais iremos saber ! Mas , valeu pelo comentário inteligente !

  • Gilberto Cavalheiro diz: 2 de março de 2015

    Concordo com tudo que foi dito pelo Guerra Filho, estadio é lugar de festa, paixão e contemplação com a vida! Mas durante o pré jornada na radio gaucha um ouvinte imitou a voz do Guerrinha e se declarou pessimista quanto a torcida unica. Desde então tenho advogado nas redes que não foi o Guerra que falou q após o primeiro lance polemico as torcidas iriam se espancar nas arquibancadas! O Guerrinha deveria vir a público esclarecer que não foi ele quem deu essa declaração pessimista e dar um oscar para o torcedor duble de voz.

Envie seu Comentário