Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Guerrinha"

Rodriguinho é uma aposta válida para o Grêmio

16 de abril de 2014 2

Vale a tentativa. Assustado com os fracassos dos gringos Maxi Rodriguez e Alán Ruiz nos últimos jogos, o Grêmio não pensou duas vezes: bateu o martelo com o meia Rodriguinho, que fez chover para cima com a camisa do América-MG e deixou a desejar na curta passagem pelo Corinthians.

Só Deus sabe se o novo contratado vai conseguir cumprir o papel de engenheiro que o time do técnico Enderson Moreira tanto precisa, mas vale dizer que a direção agiu bem, com rapidez, tudo para tentar resolver um antigo problema para encarar duas exigentes competições.

Largada

Mudou o foco. Depois da goleada, do título, da festa, da folga, o Inter virou a página, voltou aos trabalhos, começou a pensar apenas na estreia do Brasileirão, sábado, no Beira-Rio, contra o Vitória, sabendo que não pode desperdiçar a chance de largar com os três pontos.

Até o dia do jogo contra os baianos, certamente o técnico Abel Braga, experiente em competições de pontos corridos, vai lembrar aos seus jogadores que cada partida vale os mesmos três pontos, que a chance de sonhar com o caneco passa obrigatoriamente pelos bons resultados dentro de casa.

Dispensa
Acabou o casamento. Justamente após fazer dois jogos completos, de aparecer em público mais fininho, o atacante Adriano, contratado para marcar gols, botar o Atlético-PR na mídia, ganhou cartão vermelho do presidente Mário Celso Petraglia e aumentou a fila dos desempregados.

Motivado, convicto de que ainda pode correr atrás da bola, o Imperador promete seguir treinando em academias, na esperança de que apareça alguém disposto a fazer aposta no seu futebol, coisa que o Coritiba descartou, minutos após o jogador limpar seu armário na Arena da Baixada.

Decisão
Só a vitória interessa. Logo mais, no Mineirão, o Cruzeiro, ainda saboreando mais um título mineiro, enfrenta o Cerro Portenho, com a tarefa muito clara: fazer um bom resultado e, se possível, sem sofrer gol.

Apesar de qualificado, o time do técnico Marcelo Oliveira não pode esquecer que vai decidir a vida fora de casa, num verdadeiro caldeirão e que a vantagem é indispensável nestes primeiros 90 minutos.

Acréscimo
Pior não vai ficar. Após a prematura eliminação da Libertadores, a direção do Botafogo botou a mão na massa: demitiu o técnico Eduardo Húngaro e acertou os ponteiros com o capacitado Vágner Mancini.

Com a simples troca de comando, fica fácil adivinhar que o Fogão, mesmo com salários atrasados, vai começar a jogar mais do que tem jogado e fazer um bom Brasileirão.

Perguntinha
O Grêmio vai poupar contra o Atlético-PR?

Bookmark and Share

Direção do Grêmio precisa descobrir onde está o furo da bala

15 de abril de 2014 12

Vale uma reflexão. Neste momento complicado, após uma goleada, a perda do Gauchão para o seu maior rival, todos os que vestem azul, preto e branco estão atrás de explicações para o que aconteceu, pedem mudanças no comando técnico, dispensa de jogadores, tudo o que sempre acontece após um fracasso.

Se quiser voltar a acertar o passo, sonhar com o fim de jejum de títulos, a primeira coisa que a direção tem a fazer é descobrir onde está o furo da bala, quais os motivos que impedem o clube de atingir os objetivos ou, em outras palavras, entender que as vitórias só acontecem para quem sabe porque perde.

Troca

Deu mais do que certo. Verdade que D’Alessandro é diferenciado, que Alex jogou dois clássicos em alto estilo, que Aránguiz defendeu e atacou com muita qualidade, mas o maior mérito da conquista deve ser creditado na conta do técnico Abel Braga, que descobriu a tempo a necessidade de colocar Alan Patrick no time.

Com a mudança, o Inter ganhou mais um jogador habilidoso, de muita movimentação, que aparece na recomposição com rapidez, se apresenta como opção na hora de atacar e, pelo menos por enquanto, deixa o Colorado com muito mais qualidade no principal setor.

Melhores

É hora dos melhores. Após a maratona de jogos, a seleção da coluna ficou assim: Marcelo Grohe (Grêmio); Gilberto (Inter), Fernando Cardozo (Brasil-Pe), Rhodolfo (Grêmio) e Fabrício (Inter); Aránguiz (Inter), Riveros (Grêmio), D’Alessandro (Inter) e Alex (Inter); Barcos (Grêmio) e Rafael Moura (Inter).

Entre os técnicos, Abel Braga, perfeito nos dois clássicos decisivos, fecha o Gauchão com o título de melhor, enquanto o árbitro Márcio Chagas de Freitas, com muito mais acertos do que erros, acabou como destaque entre os apitadores.

Prejuízo

Aconteceu de novo. Quando já se preparava para soltar o grito de campeão, o Vasco sofreu outro gol irregular do Flamengo, viu o título do Cariocão escapar e, como não poderia de ser, botou a boca no trombone.

Apesar de perder um título que estava na sua mão, o Vascão mostrou que tem muito mais bola do que tinha em 2013 e que vai passar pela Segundona de cola erguida.

Proeza

Foi bem merecido. Com sangue, suor e lágrimas, o pequeno Ituano levou um gol no primeiro tempo, segurou a bronca no resto do tempo, empurrou a decisão do Paulistão para os pênaltis e derrubou o favorito Santos.

Uma façanha de um clube que fez belo campeonato, que parecia apenas coadjuvante e conseguiu um título que entrou para a história do futebol.

Perguntinha

No Beira-Rio seria diferente o Gre-Nal?

Bookmark and Share

Valdívia dá velocidade ao time do Inter

09 de abril de 2014 10

É só uma impressão.
Quem viu a vitória sobre o Peñarol, domingo passado, na reinauguração do Beira-Rio, certamente vai concordar que o menino Valdívia entrou bem, deu mais velocidade ao time, ganhou preciosos pontos junto ao técnico Abel Braga e virou primeira opção de banco para o Gre-Nal do próximo domingo.
Verdade que Jorge Henrique tem muito mais experiência, que também goza de muito moral com o seu chefe, mas a maior das verdades é que o ex-júnior, no pouco tempo que esteve em campo, produziu muito bem e merece avançar na fila dos que esperam chance entre os titulares.

Foco
Já era esperado.
Mesmo com a vaga garantida, todos os jogadores do Grêmio ouvidos pela imprensa nestes primeiros dias da semana fazem questão de dizer que estão focados no Nacional, na Libertadores, numa prova de que ninguém está pensando em menos de três pontos, amanhã, na Arena.
Concentrado no adversário, pouco preocupado com o futuro cruzamento, o time do técnico Enderson Moreira, pelo andar da carruagem, vai entrar comendo grama, tentando liquidar a coisa o mais cedo possível, poupar fôlego e, só depois, começar a pensar na decisão do Gauchão.

Doping
Foi jogada de mestre.
Com dois jogos decisivos pela frente – hoje, contra o León, valendo passagem de fase na Libertadores, domingo, contra o Vasco, valendo o caneco do Cariocão -, o Flamengo vai entrar em campo aditivado, graças a uma iniciativa inteligente da direção e, especialmente, do sempre atento Paulo Pelaipe.
Antes do treino de ontem, os jogadores do Mengão, que já estavam motivados com a chance de êxito nas empreitadas, foram informados que os salários de maio já estavam depositados nas respectivas contas, o que significa um verdadeiro doping nos dias atuais do futebol brasileiro.

Barbada
Não bate na trave.
Cheio do moral pela bela vitória no Chile, o Cruzeiro enfrenta o eliminado Real Garcilaso, no Mineirão, na condição de pule de dez, sem nenhuma chance de terminar a noite com vitória.
Vacinada pela bobeira contra o Bolívar, é fácil adivinhar que a Raposa vai atacar, sufocar o adversário, fazer os três pontos e tentar uma goleada para recuperar a confiança total.

Encrenca
Vai sair faísca.
Dono de sete pontos, o Botafogo decide a sua vida na Libertadores, logo mais, na Argentina, contra o San Lorenzo, num jogo em que está proibido de beijar a lona.
Longe de casa, num ambiente desfavorável, o Fogão, ainda com problemas de salários atrasados, mas com os jogadores envolvidos na causa, vai ter que ser heroico, inteligente, se quiser sobreviver.

Perguntinha
Quem vai fazer festa no domingo?

Bookmark and Share

Até o pipoqueiro já sabe o time do Inter para o Gre-Nal

08 de abril de 2014 6

Parece mas não é pouco. Classificado, atualmente com a terceira melhor campanha na geral, o Grêmio vai enfrentar o eliminado Nacional, quinta-feira, na Arena, conhecendo os resultados de outros jogos, sabendo quem pode surgir no seu caminho e com todas as chances de fazer a melhor escolha.

Claro que é importante somar pontos e fechar na ponta da tabela, mas o caminho para o sonhado título passa, também, pela estratégia, que em outras palavras significa evitar confrontos de maior risco, com rivais nacionais, quando as dificuldades, com toda a certeza, serão muito maiores.

Definido

Até o pipoqueiro já sabe. Sem problemas de lesão, satisfeito com o rendimento nos dois últimos jogos, o técnico Abel Braga, se não acontecer nenhum desvio de rota nos treinos da semana, vai escalar o mesmo time que começou o amistoso festivo contra o Peñarol, com uma única mudança: Alex no lugar de Valdívia.

Mesmo que seja uma decisão de título, parece que o chefe do vestiário do Beira-Rio, mais uma vez, vai passar longe do tradicional mistério, expediente utilizado quase sempre em jogos deste calibre e que, na imensa maioria das vezes, não acrescentam coisa nenhuma no desempenho do time.

Triste

É tudo com os motivadores. Quem assiste os jogos do Barcelona certamente vai concordar que o habilidoso Neymar não está nada confortável com essa condição de titular num jogo, reserva no outro. Situação que nunca pensou viver pela bola que joga, pela grana que custou e pela condição de titular da Seleção.

Sempre de olho em tudo, em todos, o técnico Luiz Felipe Scolari certamente vai chamar o quase dono do time brasileiro no dia da apresentação, dizer da sua enorme importância e devolver a alegria que o jogador não está tendo, tudo para que o Brasil possa ter chance de botar a mão na Copa.

Aberto

Segue tudo em aberto. No primeiro dos dois jogos da decisão, Flamengo e Vasco empataram em 1 a 1, reclamaram muito da arbitragem e deixaram a impressão de que tudo pode acontecer nos últimos 90 minutos.

A igualdade deixa o Mengão em vantagem, mais perto de botar a mão na taça, mas é válido dizer que o Vascão tem bala na agulha para fazer a operação.

Qualidade

Tem tudo para dar certo. Após alguns dias de namoro, o Corinthians finalmente anunciou a contratação do volante Elias, que também estava nos planos do Flamengo, mas preferiu o seu antigo amor.

Dono de um fôlego invejável, motivado, tudo indica que o novo reforço do Timão vai acrescentar muita qualidade ao meio-campo e pode ser decisivo para uma boa campanha no Brasileirão.

Perguntinha

Vamos ter um Gre-Nal sem brigas?

Bookmark and Share

"Ser Gigante é ser respeitado e reconhecido mesmo pelos inimigos". Confira na íntegra o discurso de Adroaldo Guerra Filho na festa Os Protagonistas

07 de abril de 2014 12
Foto: Bruno Alencastro

Foto: Bruno Alencastro

Guerrinha falou aos colorados durante a festa Os Protagonistas, no sábado à noite, e traduziu em algumas palavras o sentimento que dominava o coração da torcida. Gigante? Sim. Um Gigante dono da sua história e que entende a sua grandeza.

Leia na íntegra o discurso de Guerrinha:

“Ser um gigante não se refere somente ao tamanho, às medidas, à altura, largura… Números frios numa matemática cuja conta não fecha nunca.

É preciso mais do que um prédio. Deve ter realizações eternas, cheias de significados que atravessem o tempo. Um Gigante de verdade tem que ter vencido grandes desafios, superado expectativa, enfrentado adversidades.

Ser Gigante é ser respeitado e reconhecido mesmo pelos inimigos. Para ser Gigante, tem que se tornar um clássico, fazer parte da História, ser lembrado sempre e por todos. É deixar um verdadeiro legado aos que vem depois, generosamente dando a eles base para crescerem também.

Ser Gigante não é ser único, mas tornar-se um só com seus ideais, com sua fé, com suas crenças, com seu time, com sua torcida. Há que ser maior do que um estádio, do que qualquer construção! Ser Gigante pela própria natureza é ser PROTAGONISTA da própria história!

Segue tua senda de vitórias, colorados das glórias, orgulho do Brasil!”

Bookmark and Share

Festança: vai faltar lenço para tanta emoção colorada dentro Beira-Rio

05 de abril de 2014 6

Vai faltar lenço.
Neste sábado, após dois longos anos, finalmente o Beira-Rio reabre, oficialmente, suas portas, com um show para lembrar a trajetória do Inter nos últimos 45 anos, recheada de títulos, algumas decepções e que certamente vai provocar lágrimas e mais lágrimas entre aqueles que vestem vermelho e branco.
E tudo continua no domingo, quando o time que tanto viajou, sentiu a falta do calor da sua casa, do seu povo, entra em campo para enfrentar o Peñarol, com a chance de provar que é capaz de repetir aquela atuação de luxo no segundo tempo do último clássico e ficar quase no ponto para decidir o Gauchão.

A explicação…
Agricultor, homem sério, de poucas palavras, o Arnildo sofreu nas mãos da Clair, a sua mulher.
Todos os dias, incluindo domingos e feriados, ela sempre estava reclamando de alguma coisa.
Sossego mesmo, o fazendeiro só tinha quando estava arando com a sua mula velha.
Certo dia, quando estava arando, a Clair apareceu com o almoço, no meio do vasto campo.
O Arnildo levou a velha mula para a sombra, sentou-se em uma pedra, começou a degustar a comida e, na mesma hora, começou a ser importunado pela mulher.
De repente, a velha mula deu um coice, acertou a nuca da Clair e o resultado foi a morte instantânea.
No outro dia, no funeral, o padre notou algo estranho: quando uma mulher se aproximava do fazendeiro, ele ouvia uns minutos e acenava com a cabeça, concordando.
Mas quando um homem se aproximava do viúvo, ele ouvia e balançava a cabeça negativamente.
Isso ocorreu várias vezes, até que o padre se aproximou do fazendeiro e decidiu acabar com a dúvida.
- Por que você acenou com a cabeça, concordou com as mulheres, mas sempre negou com a cabeça e discordou de todos os homens? – questionou.
- Bem, as mulheres vinham, diziam algo de bom sobre a minha companheira! Então eu acenava com a cabeça, completamente de acordo! – avisou o fazendeiro.
Ainda com a pulga atrás da orelha, o padre não desistiu.
- E os homens? – insistiu.
- Todos eles queriam saber se a mula estava à venda…

Contratempo
Não estava no cardápio.
Um dos responsáveis pelo bom início de ano do Grêmio, candidato a ídolo da torcida, o menino Luan sofreu fratura na mão, fica longe das atividades nas próximas semanas, o que significa preocupação para a comissão técnica e, principalmente, para quem empurra o time fora de campo.
Com a ausência de um jogador que facilitou a vida do goleador Barcos, que mostrou algo diferente nos jogos do Tricolor, quem está com um abacaxi nas mãos é o técnico Enderson Moreira, que vai perder boas horas de sono para achar um jeito de resolver um problema que não é nada pequeno.

Bookmark and Share

Entrada de Alan Patrick no time do Inter é justa

04 de abril de 2014 6

Foi mais um acerto. Além de ter trabalhado muito bem no intervalo, quando mudou algumas peças de lugar, fez o Inter se adonar do Gre-Nal, virar o marcador, largar em vantagem na briga pelo caneco do Gauchão, o técnico Abel Braga fez o que tinha de fazer: anunciou que Alan Patrick assumiu a condição de titular.

Pelo que produziu neste início de ano, mas acima de tudo pelas decepcionantes de Jorge Henrique, o novo integrante do time tem todas as condições de continuar dando boas respostas, provar que merece a oportunidade e tem capacidade de segurar a vaga no Brasileirão.

Luxo

Está virando rotina. Motivado, no auge da forma, com reflexos apurados, o goleiro Marcelo Grohe, assim como já havia acontecido no clássico, foi o principal responsável pela vitória sobre o Nacional, no meio da semana, em Medellín, que colocou o Grêmio, de forma antecipada, na segunda e decisiva fase da Libertadores.

Num jogo em que o Tricolor não teve posse de bola, viu o adversário se aproximar seguidamente da sua área, o dono da camisa 1 do Humaitá, de novo, teve um participação de luxo, com três defesas complicadas, uma delas crucial, justamente na hora em que a maionese poderia desandar.

Ramo

Tem chance de dar certo. Poucas horas depois de fechar a conta com Renato Portaluppi, o Fluminense colocou o bloco na rua, acertou os ponteiros com Cristóvão Borges, que estava livre, leve e solto na praça. Ele conhece o riscado, como mostrou nos trabalhos realizados no Vasco, no Bahia, e tem capacidade para recolocar o trem nos trilhos.

Bom papo, amigo dos jogadores, o novo chefe do vestiário chega com o aval do presidente, sob a desconfiança da patrocinadora, ainda sem o apoio da maioria da torcida, mas com conhecimento de encontrar o furo da bala e, finalmente, depois de vários fracassos, fazer o Fluzão sofrer menos do que tem sofrido.

Quase

Ficou bom demais. Longe de casa, sem o direito de fracassar, o Flamengo correu, lutou, derrotou o Emelec, chegou aos sete pontos e ficou muito perto de transformar o azedo limão numa bela limonada.

A situação ficou tão confortável, que o Mengão, caso confirme a vitória contra o León, pode até fechar a fase na ponta do Grupo, algo impensável para quem estava com a corda apertada no pescoço.

Bobeira

Deu tudo errado. No Maracanã, com tudo para carimbar a vaga, o Botafogo mandou em campo, perdeu as melhores, mas deu uma única bobeira, perdeu para o Union Española e vai ter que ralar na última rodada.

Com esse tropeço, o Fogão só não pode perder, semana que vem, na Argentina, contra o San Lorenzo,  se quiser seguir adiante na Libertadores e seguir sonhando com uma conquista tão importante.

Perguntinha

Quem é o favorito do Brasileirão?

Bookmark and Share

Grêmio precisa virar a página

01 de abril de 2014 13

Segue o baile. Claro que a derrota no clássico não estava nos planos, mas a melhor coisa que o Grêmio tem a fazer é tentar esquecer o que aconteceu, virar a página, mirar apenas no Nacional, na decisão de amanhã, em Medellín, que pode significar a melhor campanha do Grupo.

Se conseguir acertar o que precisa ser acertado nas conversas de hoje, de amanhã, o time do técnico Enderson Moreira tem condições de tirar proveito da obrigação dos colombianos, fazer um jogo mais equilibrado do que fez no domingo e atingir o seu grande objetivo.

Titularidade

É questão de justiça. Feliz da vida com a vitória de virada, com a vantagem na briga pelo título do Gauchão, o técnico Abel Braga elogiou o grupo inteiro na coletiva, mas admitiu que o meia Alán Patrick, um dos responsáveis pela reação, cavou sua escalação entre os titulares do Inter a partir do próximo jogo.

Uma decisão acertada do comandante colorado, que deu chances e mais chances ao esforçado Jorge Henrique, não conseguiu os resultados que esperava e agora vai promover uma mudança que estava caindo de maduro, pela produção dos dois jogadores, já faz algum tempo.

Guilhotina

Vai esquentar a chapa. Com o final dos regionais, os fracassos de muitos que eram apontados favoritos, começam os rumores de demissões de técnicos, dispensas de jogadores, troca de estratégias para o Brasileirão que está na porta de entrada e sempre representa um perigo de degola para os envolvidos.

Certo mesmo é que todos aqueles que preferiram ficar longe do batente nos primeiros três meses da temporada, como é o caso de Tite, Celso Roth, Luxemburgo, Dunga, Dorival Júnior, entre outros, estão com os celulares ligados e certamente nos planos de muitos que beijaram a lona.

Mesmice

Só mudou a mosca. Três meses após o fracasso no Brasileirão, o Fluminense aprontou de novo: jogou pouco, quase nada, perdeu para o Vasco, deu adeus ao Cariocão e mostrou que não conseguiu achar o furo da bala.

Agora, o Fluzão, mais do que nunca, está proibido de dar chance ao azar, contra o quase desconhecido Horizonte, amanhã, para evitar um vexame na Copa do Brasil e sérios problemas nas Laranjeiras.

Ruindade

Está feia a coisa. Verdade que o Paulistão é o mais qualificado dos regionais, mas os fracassos de Corinthians, São Paulo e Palmeiras deixam claro que o futebol brasileiro está nivelado por baixo já faz algum tempo.

Pelo que está acontecendo neste início de ano, com os chamados grandes em dificuldades, não resta dúvida de que o próximo Brasileirão começa mais equilibrado do que nunca e sem favorito.

Perguntinha

O Grêmio sabe porque perdeu o clássico?

Bookmark and Share

Inter ficou mais perto do caneco

31 de março de 2014 42

Foi uma grande vitória. Num jogo em que o Grêmio foi melhor no primeiro tempo, largou na frente, com belo gol de Barcos, o Inter voltou modificado, aditivado do vestiário, dominou na etapa final, criou as melhores chances, chegou ao empate e virou o marcador, com dois gols de Rafael Moura. Ficou mais perto do caneco do Gauchão.

Claro que ainda faltam 90 minutos, que Gre-Nal é um jogo diferente, proibido para prognósticos. Mas a vantagem nada pequena conquistada na casa do adversário e, principalmente, o belo desempenho na parte final do primeiro clássico, deixa bem claro que o Rio Grande do Sul está muito perto de seguir pintado de vermelho.

Aposta

Goleador vive de gols. Verdade que a entrada de Alan Patrick mudou o quadro do jogo, facilitou a vida de Aránguiz, Alex e D’Alessandro. Mas a vitória passa, com certeza, muito pelo atacante Rafael Moura, que pela primeira vez marcou no clássico gaúcho e saiu de campo na condição de herói.

A missão muito bem cumprida pelo centroavante do Inter deve ser creditada na conta do técnico Abel Braga, que arrumou seu time no intervalo, com a troca no meio-campo e a mudança de posicionamentos. E, principalmente, na aposta que fez no seu homem mais adiantado desde o início da temporada.

Salvador

Não sobrou dúvida. Quem viu o primeiro clássico que vai apontar no novo campeão, certamente vai concordar que o Grêmio só chega na decisão com chance de reverter graças ao goleiro Marcelo Grohe. O camisa 1 tricolor fez milagre na cabeçada de Alex, uma grande defesa num chute cara a cara de Aránguiz e evitou coisa muito pior.

Num time em que muita gente não andou nem perto do que vinha fazendo em jogos anteriores, o ídolo de grande parte da torcida que veste azul foi, disparado, a melhor figura e o grande destaque. Terminou o jogo, com a maior das certezas, como o responsável direto para fazer o torcedor acreditar que nada terminou.

Peneira

Já dá para preocupar. Mais um vez, a defesa gremista, elogiada em outas oportunidades, fez água nas bolas aéreas e levou dois gols. Ainda viu Alex cabecear livre na frente do goleiro Marcelo Grohe e mostrou que necessita de ajustes urgentes.

Metido em duas competições exigentes, tudo indica que o assunto será pauta obrigatória nas conversas do técnico Enderson Moreira com seus zagueiros e volantes. Tudo para evitar graves problemas futuros.

Perfeito

Beirou a perfeição. Tranquilo, sabedor da responsabilidade, o árbitro Leandro Vuaden, um dos mais capacitados do quadro nacional, fez uma atuação sem reparos. Daquelas que ninguém se atreve a reclamar de um lado e de outro.

Pela bela demonstração de respeito que impõe aos jogadores, pelo conhecimento da regra do jogo, não é difícil dizer que o apitador gaúcho, mais uma vez, se candidata a ser um dos destaques do Brasileirão.

Perguntinha

Quando o Grêmio vai ganhar um Gre-Nal na Arena?

Bookmark and Share

O Gre-Nal do equilíbrio

29 de março de 2014 2

Chegou a hora da verdade. Neste domingo, na Arena quase que inteiramente pintada de azul, acontece o primeiro Gre-Nal que vai apontar o novo campeão do Gauchão, num jogo que tem todos os ingredientes para agradar até o mais exigente dos torcedores e que vai prender a atenção até dos menos fanáticos.

É mais um jogo que mexe com azuis, com vermelhos, que promete ter muita marcação dos dois lados, empenho máximo de todos os que vão entrar em campo, com cara de muito equilibrado e que pode deixar o ganhador com um mão no caneco que é mais importante do que parece.

O beijo…

Gaudério lá das bandas de São Borja, o Venâncio, como fazia quase todos os dias, saiu para pescar.

No meio da diversão, de repente, ele viu uma prenda a ponto de saltar da ponte do rio.

Homem puro, dono de um grande coração, o Venâncio não hesitou: recolheu o equipamento, se aproximou da prenda e foi logo perguntando.

- Que tu tá pensando fazer, guria? – questionou, com os olhos arregalados, cheio de preocupação.

- Vou me suicidar! – responde com uma voz delicada, cadenciada e, logo em seguida, ameaça pular.

Prestimoso, cada mais preocupado em evitar o pior, o Venâncio coça a cabeça, bota o cérebro para trabalhar e manda bala.

- Bem, antes de saltar, por que você não me dá um beijo? – questionou.

Ela abre um sorriso, acena com a cabeça, joga de lado os longos cabelos compridos, encaracolados, e dá um beijo longo, apaixonado, na boca do Venâncio.

A turma de pescadores ao lado da barraca aplaude efusivamente a cena.

Depois de desgrudar, o gaudério, realizado, recupera o fôlego, alisa a barba e admite.

- Este foi o melhor beijo que me deram na vida! É um talento que se perderá caso tu te suicide! – avisou o cara da fronteira.

Segundos depois, com a cabeça ainda cheia de dúvidas, o Venâncio resolveu tentar matar a charada.

- Agora você poderia me dizer por que quer morrer? – insistiu o gaudério.

- Meus pais não gostam que eu me vista de mulher!!!!

Até hoje, na região, ninguém sabe dizer ao certo de o caso acabou como homicídio, suicídio ou duplo afogamento.

Arquibancadas

Não custa bater na tecla. Até as paredes sabem que o Gre-Nal é um jogo diferente, daqueles que deixa boa parte da torcida com medo de perder, medo da flauta, medo de ver o adversário comemorar, mas vale lembrar que teremos apenas mais um encontro entre os maiores representantes do Rio Grande.

Tomara que dentro e, principalmente, fora do campo, tenhamos um início de decisão sem violência, sem sangue, com nenhum trabalho para os responsáveis pela segurança e que todos possam sair do estádio apenas lembrado os lances, os bons momentos, até como exemplo para o resto do Brasil.

Bookmark and Share