Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

1º Desafio Waterman reúne os melhores do mundo na Praia de Maresias

30 de agosto de 2011 0
Evento inédito convida os maiores big riders do mundo em competição inovadora com provas de natação, stand up paddle, canoa havaiana e surf!
DesafioWaterman

Acontece pela primeira vez no Brasil o 1º Desafio Waterman, evento que será realizado nos dias 10 e 11 de setembro, na Praia de Maresias, em São Sebastião, litoral norte de São Paulo. O encontro reúne os principais esportistas do mundo apontados como “Homens do Mar”. Entre os convidados aparecem nomes como Laird Hamilton, havaiano visionário que ficou conhecido mundialmente por ter surfado a ‘Onda do Século’, isso no ano de 2000 em Teahupoo, no Tahiti, e entrou para a história ao romper os limites do surf de ondas grandes, disseminando a cultura do tow-in. Carlos Burle, pernambucano radicado no Rio, o brasileiro mais respeitado no ambiente internacional, que comporta as taças de bicampeão Mundial de ondas grandes, entre muitas outras façanhas. Rodrigo Resende, conhecido como Monster, vencedor da I Tow-in World Cup, lendário evento realizado em Maui, no Havaí. Danilo Couto, representante baiano, vencedor do último Billabong XXL Big Wave Awards pela maior onda surfada na temporada 2010/11, prêmio conquistado nas temidas ondas de Jaws, entre outros importantes atletas e personagens da praia e dos esportes praticados no mar, estará em Maresias. O 1º Desafio Waterman apresenta ao público uma disputa inovadora que será dividida em quatro modalidades – natação, stand up paddle, canoa havaiana e surf, onde todos os atletas usam os mesmos modelos de equipamentos, pranchas, remos e canoas, que os colocam em igualdade de condições. O evento também apresenta renomados big riders como convidados, tais os brasileiros Haroldo Ambrosio, Sylvio Mancusi e Leco Salazar, que já sinalizaram presença. O surfista Paulo Zulu, mais conhecido como ator e modelo, que possui vocações intrínsecas com o mar, é outro convocado. No time internacional, Garrett McNamara, Chuck Patterson e Brian Keaulana integram o grupo de estrangeiros do primeiro escalão, que ainda conta também com know-how de homens do mar como Marcos Monteiro, Alessandro Matero, Guilly Brandão, Romeu Bruno, Felipe Cesarano, Phil Rajzman, Dave Kalama e Jamie Mitchell, este recordista e recente deca campeão mundial de paddleboard, prova de remada sobre prancha náutica.

A lenda do surf Gerry Lopez, durante travessia de stand up paddle no Hawaii

Outro fato inédito será a participação feminina, que farão uma exibição nos moldes da competição. Entre as convidadas, Maya Gabeira – vencedora do Billabong XXL por quatro vezes consecutivas (2007, 2008, 2009 e 2010), na categoria Melhor Performance Feminina. Também participam da ação o grupo as atletas Silvia Nabuco, Nicole Pacelli e Carol Freitas, entre outras convidadas.Alemão de Maresias , competidor que será o Diretor de Prova, diz que o evento vai abrir os olhos do país ao culto do desafio ao oceano. “O Waterman é respeitado em todos os países desenvolvidos que apresentam grandes costas litorâneas e que tem origens no oceano. Chegou a hora de o Brasil enxergar e venerar os verdadeiros homens do mar”, disse o surfista morador da praia de Maresias, que se prepara há muito tempo para a competição. “Um homem do mar está bem preparado sempre. Os treinos não acabam nunca, porque o desafio está no dia a dia, no contato com o habitat que para ele é natural. O waterman não consegue ficar fora d’água salgada. Agora, o Desafio é um sonho que será realizado, e que valoriza não só o esporte, mas dá nova luz aos atletas e suas performances”. Romeu Andreatta , Publisher da Alma Surf e principal fomentador do encontro, diz que o evento tem tudo para ser marcante e abrir uma nova Era para o esporte. “Waterman é um conceito que nasceu da energia da prática esportiva no mar, que é invariavelmente associado à coragem e força. E, mais do que tudo, da harmonia do praticante com o oceano e a natureza, que lhe ensina a suportar situações extremas de superação, em um esporte que motiva pouquíssimos “heróis da praia”, na sua grande maioria já consagrados pelo big surf, pela performance no sup e nas grandes remadas marítimas, o que forma um seleto grupo de esportistas”, conceitua o idealizador do evento, que prevê total aceitação por parte do público e da mídia. “Com a realização do 1º Desafio Waterman Maresias-São Sebastião, nasce um novo esporte na cultura mundial e esses novos heróis serão espelhos de comportamento para as novas gerações”. O 1º Desafio Waterman Maresias-São Sebastião tem apresentação da Skol, patrocínio da Billabong, da Rider e customização da Plataforma Alma Surf. O evento tem apoio do Governo do Estado de São Paulo; através da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude; com a Lei Paulista de Incentivo ao Esporte. Para mais informações, acesse: http://www.almasurf.comhttp://www.desafiowaterman.com.br/ Serviço Evento: 1º Desafio Waterman Data: 10 e 11 de setembro de 2011 Local: Praia de Maresias, São Sebastião, São Paulo, Brasil Endereço: Rodovia Manoel Hyppolito Rego – SP 055 – BR 101 Rio-Santos Entrada: Grátis INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA: Trópico Comunicação – Tel: (11) 2371-3839 Adriana Fernandes – (11) 9963-2930 adriana@tropicocomunicacao.com Alline Juscelino – (11) 7338-5323 redacao@tropicocomunicacao.com Mariana Bernun – (11) 9293-0442 redacao2@tropicocomunicacao.com

O SUP será uma das modalidades do 1º Desafio Waterman Maresias – São Sebastião, que acontece entre 10 e 11 de setembro
DesafioWaterman A lenda do surf Gerry Lopez, durante travessia de stand up paddle no Hawaii. Foto: Jim Russi

Não seria exagero afirmar que o surf de stand up paddle (SUP) se tornou uma das modalidades do esporte mais praticadas do mundo. Afinal, diferentemente do surf, o SUP pode ser praticado sem a presença das ondas  – basta um pouco de coordenação motora e equilíbrio.

Claro que como em todas as modalidades esportivas, há diferentes níveis de performance. Percorrendo pelas páginas da grande rede, você já deve ter se deparado com surfistas dropando ondas grandes no Hawaii, Tahiti, Califórnia ou em qualquer outro lugar do mundo; pegando tubos monstruosos ou até remando quilômetros de distância em travessias oceânicas. Verdade seja dita, o surf com stand up paddle abraça todo tipo de praticante, homens, mulheres e crianças. Aliás, o SUP foi um dos grandes responsáveis por trazer o chamado simpatizante – não praticante do surf – para a água salgada, ou doce, no caso dos rios, lagos e represas. Justamente por conta disso, ele também foi motivo de revolta entre muitos surfistas, contrariados com a presença das “balsas” gigantes no line up, muitas vezes conduzidas por surfistas inexperientes – ingredientes fáceis para provocar acidentes no mar. Por outro lado, para o surfista, o stand up paddle pode se revelar uma ótima saída nos dias de mar flat – principalmente se considerarmos o verão brasileiro, famoso pelos seus seguidos dias sem onda. A invenção do surf de stand up paddle é atribuída ao waterman havaiano Laird Hamilton, no final da década de 90. De acordo com a história (publicada no livro The Art of Stand Up Paddling), Laird queria levar sua filha para fazer tandem surf – modalidade em que o surfista fica em pé na prancha e segura uma pessoa ao alto enquanto surfa a onda – e pediu a seu pai (Bill Hamilton) que shapeasse uma prancha com 12 pés de comprimento. Com a prancha já pronta, Laird deu início aos testes junto de seu amigo e companheiro de big surf,o também havaiano Dave Kalama. Em pé sobre a prancha, eles se locomoviam com um remo de canoa, alternativa que Laird descobriu ser muito eficiente para fortalecer todos os músculos do corpo, em especial as pernas. E assim, o stand up virou para Laird um dos melhores treinamentos para encarar as ondas bombásticas de Jaws. “Para ficar em pé, remar e dropar uma onda, você emprega o quádruplo de força nas pernas em comparação ao surf convencional. Depois de um verão praticando stand up paddle em Malibu, voltei para Maui e minhas pernas estavam prontas para Jaws. Surfar ondas grandes tem tudo a ver com força nas pernas, coisa que o stand up me fornecia.” Laird não tinha como saber que o stand up se tornaria a febre que virou. Para ele, era apenas mais um esporte, uma forma de treinamento.  De dez anos para cá, o surf de stand up paddle invadiu as águas dos cinco continentes e se tornou um dos grandes fenômenos dos esportes aquáticos. O stand up marca presença no 1º Desafio Waterman, que acontece nos dias 10 e 11 de setembro na praia de Maresias, em São Sebastião – e definirá, junto de outras três modalidades – natação, canoa havaiana e surf -, o atleta mais habilidoso e de maior intimidade com o mar; o “Homem do mar”. Confira mais fotos:

DesafioWaterman
Vanina Walsh, grommet havaiana. Foto: Jim Russi
DesafioWaterman
Vanina Walsh, local havaiana de apenas 14 anos: a Rainha das Rainhas de Waikiki, Honolulu. Foto: Jim Russi
DesafioWaterman Rachel Spear aproveita o verão no Hawaii com surf de stand up. Foto: Jim Russi

DesafioWaterman A invenção do stand up paddle é atribuída ao waterman Laird Hamilton, que teria inicialmente produzido uma prancha para tandem surf, e se locomovido com a ajuda de um remo. Foto: Nixon

DesafioWaterman Tiare Thomas, surfista local do Hawaii, curte sessão de stand up. Foto: Jim Russi

DesafioWaterman Candice Appleby, uma das feras do stand up no Hawaii. Compete em travessias contra homens, de igual pra igual. Na foto, se diverte em sessão de surf. Foto: Jim Russi

Envie seu Comentário