Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "Sem categoria"

Atletas brasileiros da neve realizam Clínica de Rollerski em São Carlos

03 de maio de 2012 0

Público poderá aprender a esquiar com a equipe de Ski Cross Country e Biathlon

Clínica de Rollerski atleta Leandro Ribela

Os atletas brasileiros de Ski Cross Country e Biathlon de Inverno, Leandro Ribela, Jaqueline Mourão, Mirlene Picin, Fabrizio Bourguignon e a jovem Gabriela vão participar da IV Clínica de Rollerski que será realizada no dia 12 de maio no Parque Eco-Esportivo Damha, em São Carlos.

Pela primeira vez, o evento reunirá além dos atletas, a equipe técnica completa das modalidades. Mattias Nilsson, Treinador Chefe da equipe brasileira de Biathlon, Guido Visser, treinador da equipe brasileira de Cross Country, Roberto Carnevale, preparador físico da equipe Olímpica de Cross Country e Biathlon, Arthur Ferraz, psicólogo esportivo das equipes, além do fisioterapeuta Bruno Rocha participarão da Clínica.

Assim como nos anos anteriores, a Clínica de Rollerski será aberta ao público, que irá conferir como é o treinamento dos atletas quando eles não estão na neve. Além disso, todos poderão participar e aprender a esquiar com o rollerski, um equipamento que se tornou uma modalidade esportiva praticada em diversos países do mundo.

“O rollerski simula 90% da técnica que utilizamos nas modalidades Ski Cross Country e Biathlon de Inverno e é utilizado por atletas de alto nível, que não treinam o ano todo na neve”, comenta o atleta olímpico Leandro Ribela.

Muito frequentado pelos moradores da cidade de São Carlos, o Parque Eco-Esportivo Damha é a base do Centro de Treinamento Oficial da equipe brasileira de Ski Cross Country no país.

No dia 12, os interessados poderão conhecer um pouco melhor os esportes de neve e os atletas que representam o Brasil nas competições no exterior.  “A Clínica é uma ótima oportunidade para o primeiro contato do público com as modalidades e uma possível detecção de novos talentos esportivos”, afirma Pedro Cavazzoni, superintendente técnico da CBDN- Confederação Brasileira de Desportos na Neve.

Serviço: IV Clínica de Rollerski em São Carlos

Onde: Parque Eco-Esportivo Damha

Horário: a partir das 09h30

Inscrições: Através do email: depto_tecnico@cbdn.org.br

Quanto: Entrada e participação gratuitas

Filiada ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB), à Federação Internacional de Esqui (FIS) e à União Internacional de Biathlon (IBU), a CBDN é a entidade nacional de administração dos esportes de neve no Brasil e conta com o apoio do Ministério do Esporte , além do importante apoio do programa Solidariedade Olímpica Internacional do COI – Comitê Olímpico Internacional. Atualmente a CBDN representa as modalidades olímpicas Ski Alpino, Snowboard, Ski Cross Country, Biathlon e Ski Freestyle, além de promover o Rollerski, o Biathlon de Verão e o Esqui na Grama.

Michele Barcena

Coordenadora de Comunicação e Marketing

CBDN – Confederação Brasileira de Desportos na Neve

Site: www.cbdn.org.br

Windsurf - Posição do Pé de Mastro

24 de abril de 2012 0

Matéria originalmente publicada por Axel Reese em http://www.boardseekermag.com/features/technique/mastfoot-position.html

Para muitos, existe sempre uma desculpa do porque estava dificil planar ou porque os outros estavam mais velozes na água. E a desculpa da posição do pé de mastro é uma das mais comumente usadas.

Pode-se dizer que cada velejador tem sua preferência, e cada vela e prancha possuem suas qualidades e deficiencias. É necessário portanto um pouco de sorte e muita perseverança para encontrar a regulagem ideal que permita o maximo de aproveitamento e diversão na água. Se você está com dificuldades, não se preocupe. Muitos windsurfistas rodados tem problemas para encontrar esta posição ideal.

Como ponto de partida e na grande maioria dos casos, a posição do pé de mastro para ventos fracos e médios deve ser no centro do rasgo de fixação sobre a prancha. Para ventos mais fortes, a posição deve ser um pouco mais recuada (eu discordo do original da matéria. Para mim esta regulagem é valida para wave. No caso de slalom, a posição para ventos fortes deve ser justamente o contrario, ou seja um pouco para frente). Encontrar esta posição ideal é muito importante, pois um equipamento bem ajustado (e neste caso falamos de vela, retranca, pé de mastro, quilha, etc…) reflete diretamente na performance e diversão na água.

A posição correta do pé de mastro é muito importante para o ajuste do equipamento e para a correta postura do velejador. Esta posição bem ajustada permite uma postura ereta, carga bem distribuída para ambas pernas e a prancha plana livremente sobre a água, diz o PWA Karin Jaggi.

A posição ideal do pé de mastro depende de diversos fatores:

- Tipo de vela, marca e tamanho. Ex.: A vela é para slalom ou wave? Onde é o ponto de equilíbrio da vela?

- Qual é o peso e altura do velejador?

- Qual a posição e comprimento das alças do Kit trapézio?

- Qual a posição (altura) da retranca?

- Condições do vento e da água.

Velejando sobre-velado.

Se você estiver sobre-velado (muita vela para o vento que esta soprando), por exemplo com uma prancha free-ride e uma vela 6.0, mova o pé de mastro 1 a 3 cm para frente. A prancha irá estabilizar e você sentirá muito mais controle sobre ela.

O que acontece se você mover o pé de mastro um pouco para trás? Normalmente irá dificultar para conseguir planar e orçar torna-se mais complicado. Entretanto não existe regra sem exceção. Num mar com ondas grandes, o pé de mastro deveria vir 1 a 2 cm para trás para deixar o bico da prancha mais solto, significando que a prancha sustenta melhor a posição de planeio. Entretanto neste caso este posicionamento dependerá ainda do estilo do velejador. Orçar irá se tornar mais complicado.

Velejando em vento normal (relação vento x equipamento).

Uma indicação clara de que a posição de pé de mastro escolhida está muito para trás é o fato de não conseguir fechar a esteira durante uma arribada. Neste caso, posicionando o pé de mastro 1 a 3 cm para a frente, será muito mais fácil “fechar o gap”. Significa que a distancia entre a parte inferior de sua vela e a prancha diminuiu. Da mesma forma é fácil saber se a posição do pé de mastro ainda está muito recuada, se o bico da prancha estiver muito livre e a prancha estiver muito solta e difícil de controlar.

O contrario também vale. Se o pé de mastro estiver muito adiantado, a tala inferior de sua vela tende a encostar no deck da prancha além da prancha ficar muito travada na água. Neste caso, movendo o pé de mastro um pouco para trás, o efeito irá desaparecer e será mais natural o controle da prancha. Portanto, a posição ideal é quando você se sentir completamente relaxado no controle de sua prancha.

O que acontece quando o pé de mastro estiver mais à frente?

- Melhor capacidade de orçar.

- Normalmente você será mais rápido. Quando estiver orçando, esta posição de pé de mastro adiantado trará melhor controle resultando em velocidades mais altas.

- Fechar o Gap (ou esteira) será mais fácil.

Nota: Pessoal, na matéria sobre pé de mastro procurei ser fiel na tradução, procurando algumas vezes os termos mais apropriados porém ser alterar o significado do original. No momento em que não concordei com o texto o fiz mantendo meus comentários entre parênteses e reforço – é minha opinião e qualquer um pode se sentir livre para discordar.

Não perca na próxima semana: As dicas dos feras da PWA em relação a pé de mastro: Youp Schmit (Freestyle), Ricardo Campello (Brasileiro – Wave) e Antoine Albeau (Race).

Um abraço e Bons Ventos,

Por: Carlos Jurgenswww.windville.com.br

NOTA DE ESCLARECIMENTO do PARQUE NATURAL DO BRAÇO ESQUERDO - Corupá/SC

19 de abril de 2012 0

No dia 11/04 foi publicado no Guia Radical a postagem “CORUPÁSCOA” onde constou um texto contendo informações sobre uma possível contaminação da água do Parque Natural do Braço Esquerdo, em Corupá/SC. O texto fora retirado do blog ECOSDAMONTANHA ( www.ecosdamontanha.blogspot.com.br ), pois é um convênio que tenho junto ao editor deste, Daniel J. Casas, com o intuito de divulgar seu trabalho como montanhista.

A principal finalidade do Guia Radical é justamente divulgar os Esportes Radicais e ajudar quem vive desta atividade, com foco na região de Joinville e toda Santa Catarina.

Segue abaixo nota enviada pela direção do Parque natural do Braço Esquerdo trazendo esclarecimentos sobre a polêmica:

COMUNICADO
O Parque Natural Braço Esquerdo, informa que em decorrência dos recentes comentários e publicações, torna público que todas as medidas para averiguação da suposta contaminação já foram tomadas.
Em contato com a vigilância epidemiológica de São Bento do Sul, responsável legal por esse controle, foi obtida a resposta de que é remota a possibilidade de qualquer tipo de foco no parque, bem como que até a presente data não foi notificada de qualquer incidente de contaminação dos hospitais da região, muito menos do evento que gerou as publicações.
Todavia, já foram feitas coletas para analise, para comprovar que não existe qualquer tipo de contaminação. É importante ressaltar também que não existe qualquer registro desse tipo de contaminação na região de São Bento do Sul e Corupá, o que torna remota a possibilidade do foco estar dentro do parque, em região isolada.
Por questão de segurança, os responsáveis entraram em contato com os demais usuários do parque no dia da alegada contaminação e todos passam bem, não tiveram qualquer tipo de problema ou sintoma, sendo que, somente tiveram sintomas às quatro pessoas que tiveram contato direto entre elas, motivo pelo qual pode ser considerada a hipótese de que uma delas quando adentrou ao parque já estava contaminada.
Por fim, ressalta-se que as medidas legais já estão sendo tomadas, no sentido da notificação das pessoas que publicaram a informação sem qualquer tipo de comprovação, para que efetuem a retratação, evitando assim o abalo moral a imagem do parque.
Sendo o que tínhamos para o momento, renovamos nossos votos de estima e consideração, ao passo que nos colocamos à inteira disposição para os esclarecimentos que se fizerem necessários.
São Bento do Sul, SC, 13 de abril de 2012.
A DIREÇÃO
PARQUE NATURAL BRAÇO ESQUERDO

VOLVO OCEAN RACE: PUMA VENCE TELEFÓNICA EM CHEGADA EMOCIONANTE COM 25 MIL PESSOAS EM ITAJAÍ

06 de abril de 2012 0

Puma ganha trecho mais longo da regata de Volta ao Mundo com a incrível diferença de apenas 12 minutos para os espanhóis. Público se emociona com chegada de Joca Signorini, do Telefónica, segurando a bandeira do Brasil


Itajaí (SC) – A perna mais difícil e apertada da história da Volvo Ocean Race merecia uma chegada apoteótica em Itajaí. E foi isso que ocorreu nesta sexta-feira (6). A quinta etapa da Regata de Volta ao Mundo foi vencida pelo Puma após quase 20 dias de travessia desde Auckland (Nova Zelândia) e mais de 12 mil quilômetros velejados. 12 minutos e 39 segundos depois, no melhor estilo match race, foi a vez do Telefónica aparecer nas margens do Rio Itajaí Açu para a alegria das 25 mil pessoas que esperavam ansiosamente pelos barcos desde o início da manhã na Vila da Regata e nos moles. A bordo do veleiro espanhol, Joca Signorini fez a festa com bandeira do Brasil nos ombros.

“Foi uma das maiores emoções da minha vida. Mesmo chegando em segundo, ouvir toda essa galera gritando meu nome é muito motivador. Me sinto feliz e esse momento é inesquecível. Me sinto em casa”, comemora Joca Signorini. O Telefónica lidera a Volvo Ocean Race com 147 pontos. O Puma está em segundo com 113.

O resultado era imprevisível até o Puma cruzar a linha de chegada no Farol do Mole depois de 19 dias, 18 horas e 9 minutos. Todos esperavam a chegada em Itajaí às 8h, mas a falta de ventos na passagem por Florianópolis atrasou em quase 10 horas o fim da aventura. Os norte-americanos comandados por Ken Read venceram uma etapa pela primeira vez nessa edição, mas a conquista foi suada. Desde a quinta-feira, os espanhóis do Telefónica tentavam ultrapassar tirando a diferença milha a milha.

“Foi duro sustentar essa vantagem pelo trabalho do Telefónica. É o caminho mais difícil da regata e chegar ao Brasil com essa recepção calorosa. Eu nunca vi isso na minha vida. Nós passamos por vários pontos complicados com ventos na cara e frio, agora é comer uma refeição quente e tomar uma cerveja”, relata o comandante Ken Read, experiente velejador de quatro edições da Volvo Ocean Race. A tripulação passará por um check up médico depois da aventura. “Foi a perna mais difícil que corri”.

Ken Read elogia a atuação do Telefónica na regata. Os espanhóis foram obrigados a parar no Chile para fazer reparos no casco e tiraram uma diferença superior a 500 quilômetros em menos de cinco dias. Com a palavra, o líder do barco espanhol confiante depois dessa recuperação. “Fizemos uma estratégia correta e contamos com a sorte. Vamos recuperar as forças e tentar vencer a Regata do Porto de Itajaí para presentear esse público que nos recebeu de maneira espetacular”, conta Íker Martinez.

A festa em Itajaí, que estreia como cidade-sede da Volvo Ocean Race, teve a participação do prefeito Jandir Bellini, que premiou os velejadores campeões com uma cachaça local e uma medalha do campeonato. Mais de 60 embarcações acompanharam a chegada dos barcos.

Coletiva dos brasileiros da Volvo Ocean Race – Os brasileiros do Telefónica, Joca Signorini e Horácio Carabelli, participarão neste sábado, às 15h, de uma coletiva de imprensa no auditório do Centreventos, na Vila da Regata, para contar as aventuras e os próximos passos do time espanhol na competição. Joca irá para a Suécia no domingo (8) para visitar sua filha recém-nascida.

A volta do Groupama – O público de Itajaí pode se preparar para a chegada de mais um veleiro nos próximos dias: o Groupama deve cair na água nas próximas horas. Os franceses estavam na ponta quando o mastro quebrou e atrapalhou o sonho da conquista de mais uma etapa (o time venceu a quarta perna). O ágil trabalho da equipe de terra em Punta del Este, no Uruguai, colocou os europeus na rota outra vez e a equipe será a terceira a cruzar a linha de chegada somando 20 pontos. Enquanto o time volta navegando com um mastro improvisado (fortuna), o novo equipamento está a caminho de caminhão, com direito a escolta da Polícia Federal pela BR-101.

Camper pode retornar neste sábado – O barco de bandeira espanhola e neozelandesa deve sair da Purto Montt, no Chile, neste sábado e seguir viagem até Itajaí. O trabalho de reparação começou no meio da semana liderado por Neil Coz, com a ajuda do local Stephano Beltrando. Em terceiro lugar na classificação geral, o barco vermelho precisa somar 15 pontos válidos para a quarta colocação e continuar na caça ao Telefónica. Se optar por vir de cargueiro, fica sem a pontuação.

“O estado do barco era muito melhor do que eu esperava. Pelas fotos, os danos pareciam piores”, conta Neil Cox, agradecendo a ajuda da comunidade de Puerto Montt no processo. “É um pequeno tesouro chileno esse lugar”.

Abu Dhabi segue no cargueiro – Nada de velas ao mar. Depois da segunda quebra nesta perna, os árabes são rebocados até Itajaí em um cargueiro e a tripulação deverá chegar ao litoral catarinense nos próximos dias de avião. Os integrantes da equipe de terra devem trabalhar na embarcação apenas no dia 16 e tentar deixar tudo pronto para a Regata do Porto.

“A segurança da nossa equipe sempre foi o prerrogativa primordial. Exploramos todas as opções, mas fomos obrigados a abandonar. Agora é focar em Itajaí”, diz Dayne Lim, diretor do Abu Dhabi.

Credenciamento para a cobertura e imagens em alta definição para TV – A organização da Volvo Ocean Race disponibiliza fotos, vídeos e áudio para a imprensa. Para isso, os profissionais precisam se cadastrar na área de imprensa (Media Zone) do site da regata (http://www.volvooceanrace.com/en/login). Para as televisões, também é preciso se cadastrar na Broadcast Room (www.volvooceanrace.com/broadcastroom – escolha um vídeo, clique para fazer o download e então se cadastre).

Quem precisar de imagens especiais de vídeo desta ou das edições anteriores favor solicitar com 24 horas de antecedência pelo e-mailredacao@zdl.com.br .

Já os profissionais de imprensa que forem cobrir a Volvo Ocean Race, em Itajaí, a partir do dia 4 de abril, devem solicitar seu credenciamento diretamente no site oficial do evento por meio do link : https://www.volvooceanrace-accreditation.com/

Mais informações: www.volvooceanraceitajai.com

Líderes da Volvo Ocean Race cruzam Cabo Horn e se aproximam de Itajaí

30 de março de 2012 0

Groupama é o primeiro a passar pela temida região mais ao sul das Américas; Em terceiro, Telefónica fará parada rápida para arrumar o barco.


Itajaí (SP) – Restam menos de 2 mil milhas náuticas para o Groupama e o Puma cruzarem a linha de chegada em Itajaí, na perna mais desgastante e longa da Volvo Ocean Race 2011/2012. A previsão é de que os dois apareçam na cidade catarinense na próxima semana. Os barcos foram os que menos sofreram com os ventos frios e as ondas gigantes dos mares do sul. Nesta sexta-feira (30), as equipes passaram pelo temido Cabo Horn, na Terra do Fogo. O local é a parte mais ao sul do Américas, além de ser famoso por condições severas de navegação. Trajeto mítico da vela, a passagem pelo Horn é considerada sonho de consumo pela maioria dos participantes da volta ao mundo.

Cansados, os velejadores dos dois times projetam uma espécie de match race até o Brasil. A diferença dos franceses para os norte-americanos é menor do que 15 milhas náuticas, aproximadamente uma hora de diferença. Ou seja, a rotina a bordo será intensa nos próximos dias para aproveitar melhor os ventos. “O Puma é, agora, o nosso rival mais perigoso, então estamos navegando de maneira conservadora e parecida com a deles. Para a classificação geral, seria bom chegar a Itajaí na ponta” declara Franck Cammas, comandante do Groupama.

A declaração do líder do veleiro francês é compartilhada por seus tripulantes, que pretendem foco total para repetir o desempenho da última perna e terminar em primeiro lugar, reduzindo a vantagem na classificação geral para o líder Telefónica. “Ligamos o ‘Race Mode’ (modo de corrida) a partir de agora. Mesmo com o desgaste do percurso, precisamos manter a liderança. Este é o ponto que chamo de ‘Cabo da Libertação’. É onde a Volvo Ocean Race começa de fato”, comenta Thomas Coville, do Groupama.

A tendência é que, a partir de domingo (1), as condições meteorológicas devem ser menos extremas: menos frio e mar estável. “Nós estudamos atravessar da melhor maneira o Cabo Horn desde o instante em que deixamos Auckland. Cruzar esse trecho é um marco. Poucas pessoas conseguem alcançar esse feito. É o Cabo Horn, faça chuva ou faça sol”, relata o emocionado tripulante de mídia do Puma, Amory Ross.

O Telefónica confirmou nesta sexta-feira que fará uma parada estratégica no Cabo Horn. O pit stop seria feito na cidade Ushuaia, na Argentina, mas a mudança foi antecipada e acontecerá na região do próprio cabo. O diretor técnico do veleiro espanhol, o brasileir Horácio Carabelli já está a caminho para ajudar os companheiros. “Decidimos fazer essa interrupção para reparar a proa e seguir viagem de maneira rápida e segura. Ainda bem que a zona do Cabo Horn é um labirinto de ilhas, que nos ajudará a fazer esse procedimento de maneira eficaz”, afirma o comandante Iker Martinez.

Já o Abu Dhabi quebrou pela segunda vez na etpaa e deve atrasar ainda mais a chegada ao Brasil. Após avaria no início da perna e um retorno a Auckland, os árabes foram obrigados a fazer um conserto no casco em pleno Oceano Austral. Foram colocados mais de 30 parafusos no deque para impedir que o barco se despedace ao meio. O trabalho durou cinco horas.

“No momento, a única prioridade continua sendo a segurança do barco e da tripulação, mas eu confesso que estou muito mais relaxado a esse repeito agora do que eu estava há 24 horas”, explica Ian Walker, comandante do barco. O Sanya está fora da perna e o Camper, quarto colocado, também tem problemas e está velejando em direção a Puerto Montt, no Chile, para reparos em terra.

A Regata – A Volvo Ocean Race tornou-se um dos eventos esportivos coletivos mais exigentes e emocionantes do mundo. Velejadores utilizam a mais moderna tecnologia náutica para cruzar os cinco continentes do globo, percorrendo aproximadamente 39 mil milhas náuticas (72 mil quilômetros). A competição é realizada de três em três anos e está na 11ª edição. A maior competição de vela oceânica mundial teve início em outubro de 2011, na cidade de Alicante, na Espanha, e irá terminar no dia 7 de julho em Galway, na Irlanda.

A quinta perna, de Auckland, na Nova Zelândia, até Itajaí é considera a mais estratégica da competição por se tratar de um trajeto cheio de ondas gigantes, ventos frios da Antártica e uma passagem pelo temido Cabo Horn. Além disso, as seis equipes irão navegar 12.417 quilômetros (6705 milhas náuticas) – o maior trecho da competição. Até o momento, cinco dos seis barcos já sofreram danos. A pior situação é a do Sanya, que sofreu avarias graves no leme e, por isso, decidiu sair da etapa, voltando para competição apenas na parada de Miami, nos Estados Unidos. A chegada dos barcos ao Brasil está prevista para o dia 6 de abril, sexta-feira da paixão.

Credenciamento para cobertura do evento – Os profissionais de imprensa que forem cobrir a Volvo Ocean Race, em Itajaí, a partir do dia 4 de abril, devem solicitar seu credenciamento diretamente no site oficial do evento por meio do link : https://www.volvooceanrace-accreditation.com/

Mais informações: www.volvooceanraceitajai.com

Circuito Brasileiro de Canoagem Onda 2012 – II Etapa Fortaleza (CE)

29 de março de 2012 0

Circuito Brasileiro de Canoagem Onda 2012 – II Etapa Fortaleza (CE)

Cidade: Fortaleza – CE, na Praia do Futuro
Data: 14 e 15 de abril.

Patrocinador Oficial: Governo do Estado do Ceará, Prefeitura de Fortaleza, Associação Cearense de Desportos e Classic Promoções e Eventos.
Promoção: Jornal O Povo e Mix FM
Supervisão: Confederação Brasileira de Canoagem

A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CANOAGEM, entidade nacional de administração do desporto, neste ato representada pelo supervisor da modalidade de Canoagem Onda, Chrystian Cezar de Borba, tem a imensa satisfação de convidar os atletas da Canoagem para o Circuito Brasileiro de Canoagem Onda – II Etapa , que se realizará na cidade de Fortaleza-CE.

INSCRIÇÕES ONLINE AQUI

Só poderão participar do evento atletas devidamente regulares.

Mais informações sobre o evento no link: http://www.cbca.org.br/newcbca/evento/index/eventos_id/505
Maiores Informações:
Chrystian Cezar de Borba
Supervisor da Canoagem Onda da CBCa
Contatos: (47) 3456-3258 (residencial) / 9995-7728 (celular) / 3446-7520 (comercial).
Ou ainda no celular (41) 9247-3457
Emails: canoando@bol.com.brchrystianborba@tjsc.jus.brcanoagem.onda@cbca.org.br

Luci e Stefano Arnhold representam o Brasil no Mundial de Ski Alpino Masters

28 de março de 2012 0

Provas serão realizadas essa semana na Califórnia, Estados Unidos


Os atletas Luci e Stefano Arnhold vão representar o Brasil no Mundial de Ski Alpino Masters que acontece essa semana na Califórnia, nos Estados Unidos.

Após realizar excelentes provas na Copa do Mundo de Ski Alpino Masters nessa temporada de inverno no hemisfério Norte e garantir a liderança da competição na categoria que disputa, Luci Arnhold está preparada para esse desafio, que contará com três provas.

Hoje a atleta paulista participará da competição de Super G, amanhã (28) de Slalom Especial e na quinta-feira (30) de Slalom Gigante e nessas provas, enfrentará suas maiores adversárias: a italiana Magda Rossi e a suíssa Julia Schaerer.

“Luci está realizando uma temporada excepcional e nesse Mundial tentará subir novamente ao pódio, repetindo a mesma ótima performance da edição de 2011 do Mundial em Andorra, onde conquistou três medalhas”, afirma Pedro Cavazzoni, superintendente técnico da CBDN – Confederação Brasileira de Desportos na Neve.

O atleta e presidente da CBDN, Stefano Arnhold, também representará o Brasil nessa edição do Mundial de Ski Alpino Masters em Mammoth Mountain, na Califórnia. As provas masculinas serão realizadas nos mesmos dias e locais das provas femininas.

Além disso, os dois atletas brasileiros participarão de uma prova de Slalom Gigante válida pela etapa da Copa do Mundo Masters, que será realizada na sexta-feira (30) no mesmo local.

A última etapa da Copa do Mundo de Ski Alpino Masters será realizada em Abetone, na Itália, entre os dias 13 e 14 de abril.

Filiada ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB), à Federação Internacional de Esqui (FIS) e à União Internacional de Biathlon (IBU), a CBDN é a entidade nacional de administração dos esportes de neve no Brasil e conta com o apoio do Ministério do Esporte. Atualmente a CBDN representa as modalidades olímpicas Ski Alpino, Snowboard, Ski Cross Country, Biathlon e Ski Freestyle, além de promover o Rollerski, o Biathlon de Verão e o Esqui na Grama.

Michele Barcena

Coordenadora de Comunicação e Marketing

CBDN – Confederação Brasileira de Desportos na Neve

Site: www.cbdn.org.br

Vídeo do Brasileiro de Canoagem Onda em Barra Velha

23 de março de 2012 0

Loja especializada em Stand Up Paddle em Balneário Camboriú.

21 de março de 2012 0

Nesta quinta feira 22 de Março, inaugura a loja LUP – referência à Line Up Paddle’, loja 100% especializada no esporte.


A loja foi criada com o objetivo principal de proporcionar aos clientes a oportunidade de ter na cidade  uma loja focada no Stand Up Paddle e oferecer a esses clientes produtos de qualidade e orientação sobre o seu uso, listando os benefícios de praticar o esporte e identificando os equipamentos mais adequados para cada situação.

Guilherme Viana proprietário e atleta de SUP Wave,convida  todos para conhecer a loja e marcar um teste SUP drive em suas pranchas. A loja está localizada na Av Brasil, N° 1148, Galeria Camboriú Center, sala 26,  Fone: (47) 3363 4343

Camper vence última regata da Volvo Ocean Race antes de largada para o Brasil

17 de março de 2012 0

Barcos disputaram prova em Auckland na véspera do iníco do trecho de 12.417 km até Itajaí

Itajaí (SC) – O Camper fez a alegria dos torcedores da Nova Zelândia e venceu a última prova antes da largada para Itajaí da Volvo Ocean Race. Neste sábado (18), o veleiro de bandeira espanhola e neozelandesa completou a Regata do Porto de Auckland, na chamada ‘Cidade das Velas’, em primeiro lugar. Agora, a flotilha da Volta ao Mundo enfrenta a fase mais difícil da competição. Serão 12.417 quilômetros (6705 milhas náuticas) pelos mares do Sul até chegar ao litoral de Santa Catarina em aproximadamente 20 dias. A largada será às 22h deste sábado (horário de Brasília) e será transmitida ao vivo pelo site www.volvooceanrace.com.

A vitória do Camper na Regata do Porto rendeu seis pontos ao time vermelho, mas não foi suficiente para alterar a posição na tabela. O barco de Chris Nicholson permanace em terceiro lugar com 104 pontos. A liderança é do Telefónica com 122 pontos, seguido pelo Groupama com 107.

“O apoio da torcida local em Auckland foi importante nesse período. Estamos em um momento chave da competição. Por isso, nossa equipe de terra trabalhou bastante durante a semana e agora partimos para o Brasil”, relata o comandante Chris Nicholson, feliz pelo desempenho na Regata do Porto. “Deu tudo certo. Se pudéssemos escrever o roteiro do dia, iria ser igualzinho. Espero que, a partir de agora, a equipe consiga subir na tabela”.

O Telefónica, do brasileiro Joca Signori, não foi bem nesta Regata do Porto. O sexto e último lugar rendeu apenas um ponto para o barco azul comandado por Íker Martinez. “Será uma etapa complicada até a chegada ao Cabo Horn e depois, a instabilidade de ventos dará a tônica à regata. É um momento de atenção total com a integridade do barco e, principalmente, dos tripulantes. O frio predominará nesta perna”, explica o líder do Telefónica.

Classificação da Volvo Ocean Race:
1º – Telefónica – 122 pontos
2º – Groupama – 107 pontos
3º – Camper – 104 pontos
4º – Puma – 83 pontos
5º – Abu Dhabi – 55 pontos
6º – Sanya – 25 pontos

Sustentabilidade em pauta – O Comitê Organizador da Parada de Itajaí da Volvo Ocean Race se reuniu com a imprensa neste sábado, em Auckland, para apresentar o plano de sustentabilidade desenvolvido pelos poderes público e municipal para Santa Catarina, levando em conta a passagem do maior evento de vela do mundo pelo Estado. A visibilidade internacional da etapa será uma oportunidade para o Governo de Santa Catarina, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), conscientizar os visitantes quanto a preservação ambiental.

“Somos líderes nacionais em sustentabilidade e mostraremos isso durante a Volvo Ocean Race”, destaca o secretário da pasta, Paulo Bornhausen. No evento, as ações de conscientização estarão voltadas para a bacia hidrográfica do Rio Itajaí, um sistema vital para o equilíbrio ecológico de toda a região do Vale do Itajaí.

O projeto terá seis meses de duração e atingirá 1.162.209 milhão de habitantes em 30 municípios. O custo é estimado em R$ 800 mil. “O objetivo é deixar um legado para a população. A primeira ação será uma grande limpeza da região e depois realizaremos ações contínuas na foz do rio Itajai Açú e nas praias da região”, reforça Paulo Bornhousen.

O prefeito de Itajaí, Jandir Bellini, aposta no legado que será deixado pela Volvo Ocean Race na área de sustentabilidade. “Precisamos nos preocupar com a sustentabilidade, o mundo todo está voltado para isso. A conscientização da população será o primeiro passo para mudarmos essa história. Nosso objetivo é primeiro sensibilizar as pessoas, mostrando o que podemos fazer para viver num mundo melhor. Nós da prefeitura estamos trabalhando em parceria com o Governo do Estado de Santa Catarina para desenvolvermos esse projeto tão importante para a região”, relata.

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável realizará uma série de ações em parceira com instituições públicas e privadas da região antes e durante a Volvo Ocean Race, além de dispor de um estande na área do evento. A ação “Juntos pelo Rio” unirá estudantes, empresários, universidade e poder público para a limpeza das margens do Rio Itajaí, no sábado (24). A pasta apoiará também o programa da Volvo Ocean Race “Mantenha os Oceanos Limpos”, pelo qual serão realizados mutirões de limpeza nas praias de Itajaí.

Na Vila da Regata, terá um estande educativo onde serão apresentados alguns projetos de sustentabilidade do Governo do Estado e de instituições engajadas na preservação da bacia do Rio Itajaí. Conceitos de sustentabilidade deram origem a um jogo interativo que estará à disposição dos visitantes. Quem passar pelo estande poderá conferir também uma maquete da bacia hidrográfica, com informações históricas, culturais e geográficas da região banhada pelo Rio Itajaí e seus afluentes.

Credenciamento de imprensa – Os jornalistas interessados na cobertura da Volvo Ocean Race, em Itajaí, devem solicitar seu credenciamento diretamente no site oficial do evento por meio do link : https://www.volvooceanrace-accreditation.com/

Mais informações: www.volvooceanraceitajai.com

Assessoria de Comunicação Local da Parada de Itajaí da Volvo Ocean Race/ Porto de Itajaí João Henrique Baggio – MTb: 4043
joca@portoitajai.com.br