Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Cuidado com o estelionato nas Mídias Digitas

26 de outubro de 2012 0

Exemplo para não ser seguido: hoje no grupo Digitais SC do Facebook, um dos participantes encontrou uma empresa que mostrava ter 46 milhões de opções “curtir”. O número chamou a atenção por um detalhe: só havia um pouco mais de 7.000 no espaço onde realmente deveria estar o número. Ou seja, a empresa (que diz ter mais de 30 clientes) usou de um artifício visual para inflar sua projeção (sem nem realmente ter assinantes). Outro participante foi questionar a disparidade, mas foi respondido com ameaças por ~atrapalhar~ o negócio.  O assunto gerou uma discussão interessante, que mostrou ainda que a empresa vende seguidores nas Redes Sociais, entre outras atividades que podem mais lesar do que beneficiar clientes. A página em discussão então saiu do ar por volta das 16h30 do mesmo dia. Recomendo a leitura do tópico completo para mais detalhes.

***

Pageviews, seguidores no Twitter, pessoas que curtiram ou assinantes no Facebook. Parece que quanto mais desses nas redes sociais melhor, não é mesmo? Principalmente para produtos ou marcas com os objetivos de divulgação e vendas. Conseguir centenas ou milhares pode ser uma tarefa bem árdua, mas parece que algumas pessoas estão com a ~fórmula mágica~ para milhões de números nos perfis ou páginas. Tudo muito bonito, se não fosse uma questão: quantidade não significa qualidade nas redes sociais.

Um grande número sozinho só serve para encher planilha (para não dizer linguiça). Dados numéricos precisam ser usados como comparativos com outros fatores, como engajamento e retorno, para aí sim extrair resultados que possam começar a ser considerados. Ou seja, se você comprar esses números, sem se preocupar com os outros lados, terá só um bando de ~zumbis online~ fazendo volume.  Por isso, cuidado com a chamada métrica da vaidade, que faz muito bem para o ego, mas pouco para os objetivos de lucro.

Cuidado também com quem oferece um monte de número, sem saber se a pessoa ou empresa sabe como gerenciar mídias sociais. É mais ou menos como quando alguém quer abrir uma empresa e precisa de um contador: o responsável não vai contratar o primeiro que aparecer dizendo que sabe fazer os números ficarem positivos na calculadora financeira, pois existem outros fatores a serem considerados.

Sem contar que números falsos vão contra a política de uso das redes sociais. A limpa que o Facebook fez recentemente em inúmeros perfis e páginas prova que a prática de inflar números é errada. Resta agora também o maior número possível de pessoas saber disso, antes de perder dinheiro para estelionatários digitais, que usam a falta de conhecimento desse assunto de alguns para proveito pessoal.

Aqui vale um conselho das antigas: procure mais de uma opinião em uma área (qualquer) que você não tem conhecimento.

E você, o que pensa disso?

Bookmark and Share

Envie seu Comentário