Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 10 dezembro 2012

Videogame original ou destravado?

10 de dezembro de 2012 8

Uso e recomendo consoles originais (pirataria é crime e modificar o hardware ou software de um console, descaracterizando o produto original e mantende a marca, também é). Já usei desbloqueados, mudei por praticidade e hoje medindo vantagens e desvantagens não quero voltar.

A principal vantagem quando tive videogame desbloqueado era conseguir jogos por até 10% do preço original e lançamentos à pronta entrega no camelô mais próximo (ou no Torrent mais rápido). Problema era caso aparelho ou jogo apresentassem defeitos, pois não havia garantia oficial que cobrisse (foram alguns jogos comprados que depois não funcionaram e não tive reembolso, além do tempo e paciência gastos tentando resolver o problema).

As próprias empresas de jogos estão muito ligadas na pirataria e criam sistemas de autenticação. Isso gerou uma espécie de guerra em ciclo infinito: desenvolvedores fazem barreiras, crackers quebram para fazer funcionar o produto copiado, desenvolvedores fazem novas barreiras, aí os crackers quebram novamente...

Com isso veio outro problema: hoje o usuário de console desbloqueado precisa atualizar os sistemas a cada lançamento praticamente. Quem não tem o conhecimento técnico necessário paga, em média, R$ 100,00 em cada atualização de desbloqueio (mais R$ 20,00 de uma cópia no camelô é quase o preço de um jogo original).

Mais um problema também é que alguns consoles precisam de modificações de firmware (o “programa” que lê os jogos) e hardware (equipamento). Se não encontrar um bom técnico para as alterações, o resultado pode ser catastrófico (o Xbox 360 fica comprovadamente com mais probabilidade de ter as famigeradas três luzes vermelhas da morte e o Playstation 3 pode travar totalmente, por exemplo).

Com o videogame original o usuário terá menos jogos, porque são mais caros. Nos últimos meses surgiram iniciativas para baixar o valor dos produtos originais, mas ainda não fizeram o preço ser justo se comparado ao valor original em dólares (impostos são os maiores vilões dos jogos originais no Brasil).

Clique-me!

Em compensação, com o videogame original é possível aproveitar mais cada jogo, principalmente com modos multijogadores em rede (sem o perigo de ser banido por ser pirata) ou baixando DLCs para expandir (e também diversos aplicativos que hoje em dia os consoles suportam). Além disso, o usuário pode conectar o aparelho na internet sem preocupações e realizar procedimentos de atualização (se e quando sair) de forma simples e de graça (com suporte técnico oficial).

Outro ponto legal é que volta um clima nostálgico: como na época dos cartuchos, você procura amigos para trocar jogos (socializa) ou locais que vendam usados (se a mídia estiver em bom estado é a mesma coisa que um novo). Há também a possibilidade de baixar demos de graça ou alugar os jogos para testar antes de comprar.

Com o videogame original não tive mais preocupações e não tenho intenção de desbloquear, o que é o ponto mais positivo, já que jogar videogame é um hobby e não um trabalho. Muitos dos meus amigos usam e dizem não ter problemas com o console destravado, mas percebo que eles ainda têm dificuldades técnicas de vez em quando para deixar tudo funcionando (ou não podem baixar expansões para os jogos).

E para você, qual a melhor forma de ter um videogame? Original ou Desbloqueado?

Leia também:
É verdade que jogo pirata estraga o leitor do videogame?

Bookmark and Share