Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Ajude Lara Croft a sobreviver no novo Tomb Raider

10 de março de 2013 0

Imagem: Divulgação - www.tombraider.com

Sobreviver em um ambiente hostil com poucos recursos. Não é mais um episódio de À Prova de Tudo, apesar de Lara Croft parecer a filha de Bear Grylls no novo Tomb Raider (para PC, Xbox 360, PlayStation 3 / Crystal Dynamics e Square Enix / 2013 / versão com legendas em português). O décimo jogo da série, que ficou famosa inclusive no cinema, chega para recomeçar do zero a jornada da arqueóloga britânica que explora tumbas.

A história começa com o naufrágio do navio Endurance, contratado para uma expedição arqueológica. Cenas rápidas e fortes de uma tempestade no mar. Lara, que era uma das tripulantes, sobrevive ao naufrágio e acaba em uma ilha misteriosa (qualquer semelhança com Lost não é coincidência, com coisas estranhas acontecendo). Mas quando está na praia acaba raptada por uma figura estranha, antes mesmo de encontrar com outros tripulantes.  A partir disso, ela começa um caminho bem tortuoso (e sofrido) pela sobrevivência.

A imagem acima foi registrada direto da televisão, por isso está em baixa qualidade. Registrei o início do jogo, onde Lara aparece suja, machucada e assustada dentro de uma tumba.

O roteiro completo é revelado ao longo do jogo por flashbacks, que ajudam a contextualizar o motivo da expedição e o que diabos uma adolescente está fazendo no meio de um lugar chamado Mar do Diabo (onde a ilha está localizada). Esta forma encontrada para contar a história é bem criativa, com uma pequena filmadora, diários dos tripulantes e outros objetos de registro – quanto mais você explora o cenário e encontra coisas, mais história você ganha.

Aliás, uma herança dos antigos jogos da série são os artefatos escondidos. Eles também ajudam a contar mais sobre o que está acontecendo na ilha, além de combinar com o interesse arqueológico de Lara – é legal notar o fascínio dela por máscaras cerimoniais ou pinturas nas paredes. A novidade são equipamentos encontrados em caixas, peças e outros “entulhos” que podem ser usados para melhorar armas e equipamentos (ao melhor estilo MacGyver).

Imagem: Divulgação - www.tombraider.com

O sistema de evolução da personagem também ficou muito bom. Em cada cena de ação concluída, animal caçado ou desafio vencido ganha-se experiência, usada para adquirir novas habilidades. Com o tempo é possível conseguir carregar mais coisas, encontrar melhores recompensas, ficar com a pontaria mais precisa ou melhorar seu Instinto de Sobrevivência.

O Instinto de Sobrevivência é outra novidade de Tomb Raider. É uma visão mais aguçada do cenário, como a visão detetive do Batman. Serve para ajudar a resolver os famosos quebra-cabeças dos cenários, além de dar pistas de objetos importantes ou trilhas de caças. (Não sei se já sou acostumado estilo, mas usar esta habilidade deixa o jogo fácil demais).

Imagem: Divulgação - www.tombraider.com

Esqueça as famosas pistolas duplas de Lara Croft. A principal e melhor arma é um arco (e parece que as flechas brotam em árvores, de tanto que aparece para coletar). Mas no arsenal ainda estão pistolas simples, metralhadoras e rifles. As situações de combate fluem bem, a mira é precisa (até demais para quem nunca tinha usado uma arma antes como ela) e há um sistema de cobertura bem prático (é só ficar próximo de um muro, que é automático).

O jogo é bem linear (segue um caminho e pronto). Mas para quebrar isso há pequenas áreas livres ao redor dos acampamentos, onde é possível caçar e explorar ruínas pelos detalhes extras. Acampamentos são áreas importantes, que servem para salvar o jogo, fazer melhorias em equipamentos ou habilidades – depois de explorados, pode-se viajar automático entre eles.

Imagem: Divulgação - www.tombraider.com

Gráficos, trilha sonora e outros detalhes técnicos estão impecáveis. E tudo ajuda a ressaltar o sofrimento da personagem – aliás, tome cuidado: Lara geme bastante de dor e alguém que estiver ouvindo de outro cômodo pode pensar que você está vendo pornografia.

Outro detalhe que chama a atenção é o novo visual de Lara, que em sua nova versão é bem mais jovem e aparenta ser mais frágil. Não muda em nada a jogabilidade e fica até estranho seu porte realizando certas proezas físicas. Mas de forma geral o jogo é muito bom, principalmente pelos mistérios que só são resolvidos com exploração – muito justo, afinal Lara, assim como Natan Drake, são inspirados em Indiana Jones.

Bookmark and Share

Envie seu Comentário