Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "Recomendação"

A melhor (e mais divertida) forma de provar qual é o melhor candidato

14 de outubro de 2014 0

Para alguns, a melhor forma de decidir qual o melhor candidato é só depois do resultado da votação. Já outros preferem uma interminável discussão nas redes sociais, que não levam para lugar nenhum. Mas uma terceira e mais divertida forma que apareceu agora é no jogo “Corrida Presidencial”.

Disponível só para dispositivos Android, nele você escolhe o seu candidato favorito e fica pulando nos palanques para conquistar os votos para a campanha. Há bônus para subir mais rápido (como molas e poderes), mas cuidado com os inimigos (estrelas vermelhas contra o Aécio e tucanos contra a Dilma). O controle dos personagens também é com os movimentos dos próprios aparelhos (acelerômetro), bem fácil de pegar o jeito e desafiador com os obstáculos.

 

 

Bookmark and Share

Taca-le o pau, Forrest Gump!

06 de julho de 2014 0

RunForrestRun1

Depois de “tocar o pau” no jogo inspirado nas aventuras do Marcos, agora é a vez de correr com um dos personagens mais queridos dos cinemas. Depois de 20 anos que estreou, Forrest Gump ganha um jogo tipo endless runner, no mesmo estilo de Temple RunSubway Surfers: o Run Forrest Run (disponível gratuitamente por enquanto só para dispositivos iOS).

Como é comum neste tipo de jogo, o objetivo é desviar de obstáculos, coletar moedas e poderes especiais, tentando chegar o mais longe possível. Tudo é claro no clima e cheio de referências ao filme. Apesar da simplicidade do jogo, os gráficos que lembram desenhos animados e a nostalgia ao personagem valem bons momentos de diversão.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=Zz68qdrBVI8]

Bookmark and Share

No que você está pensando?

26 de junho de 2014 0

Whats-on-your-mind-Facebook-5

O Facebook e outras redes sociais podem ser um tanto depressivas, principalmente quando a vida dos amigos conectados parece ser bem melhor. Tanto que a “Depressão Facebook” já é um fenômeno com tendência à doença.

Mas no filme curta-metragem criado por Shaun Higton, chamado What’s on your mind? (a famosa frase “No que você está pensando?” do Facebook), um homem tenta embelezar sua vida depois de começar a comparar suas atualizações com os amigos. O resultado é uma reflexão bem profunda de como nós estamos editando nossas vidas em busca de curtidas.

Dica do meu amigo Juliano Theiss.

Bookmark and Share

Como manter seus filhos seguros na internet?

04 de junho de 2014 0

 seguranca Imagem: pcblindado.com

O caso do suspeito que usou o Facebook para conseguir informações sobre o menino raptado em Ilhota reacendeu a discussão da importância de cuidados no uso de redes sociais. Infelizmente, as crianças sem orientação acabam se expondo a ameaças além do sequestro, como a pedofilia e o ciberbullying. E muitas vezes por falta de experiência, os pais não sabem como educar para a vida digital. Para ser mais fácil de todos entenderem, a internet deve ser considerada uma extensão da nossa sociedade como um todo (mesmo que ela não seja palpável, tudo aquilo que acontece na “vida real” pode repercutir de forma mais ampla na “virtual”). Por exemplo, se os pais já orientam os filhos a não falar com estranhos na vida real, o mesmo vale para a internet. Algumas dicas gerais, apontadas por especialistas em segurança online, são:

  • Atenção dos pais. Os pais e cuidadores devem estar cientes do que as crianças estão fazendo na internet. Quais os caminhos, sites e tipos de interação que têm.
  • Sistema de monitoramento. Existem sistemas de monitoramento online, alguns do próprio sistema operacional do computador utilizado, é só escolher de acordo com a faixa etária da criança.
  • Ambientação. O computador deve ficar sempre em um ambiente coletivo ou de passagem, para facilitar o monitoramento pelos pais.
  • Computadores diferentes. A criança não deve utilizar o mesmo computador do adulto, pois os dados salvos podem gerar confusão, como por exemplo sites de compras, senhas e dados de cartões.

Outro material muito útil é a cartilha do site Família mais segura na internet. Nela estão explicados de forma bem didática os detalhes para a formação de “usuários digitalmente corretos para a construção de um ambiente virtual mais ético, seguro e legal”. Mas como tudo que envolve educação e segurança, o diálogo aberto entre a família e o cuidado com a repercussão das ações ainda são os conselhos mais certos para uma vida digital tranquila.

Bookmark and Share

Três maneiras de ouvir música de graça (e evitar a pirataria)

26 de maio de 2014 0

Superplayer (www.superplayer.fm)

1

O Superplayer é uma serviço de transmissão online, na qual os usuários encontram estações personalizadas e listas feitas pelos desenvolvedores para vários momentos diferentes. Por exemplo, a lista “Jantar à luz de Velas” tem uma seleção tranquila e romântica para curtir a dois, enquanto a lista “Fritando o Melão” tem batidas frenéticas e alucinadas. Não é possível encontrar uma música específica, apenas as coleções prontas para ouvir de forma aleatória.

Na versão gratuita é possível ouvir todas as listas direto pelo navegador (sem precisar baixar um programa, só fazer um login simples) e até usar o aplicativo móvel (para Android e iOS). O único ponto negativo da versão gratuita é que as listas parecem pouco diversificadas, com a impressão das músicas se repetirem demais. Já na versão paga do aplicativo não há propagandas entre as músicas, os áudios são em alta qualidade e é possível sincronizar as seleções com o iTunes.

Grooveshark (www.grooveshark.com)

2

 

O Grooveshark é um catálogo aberto de artistas, músicas e álbuns para ouvir direto no navegador. Diferente do Superplayer, ele permite encontrar títulos específicos e montar playlists personalizadas. A variedade de opções é bem grande, inclusive os covers e versões diferentes das mesmas músicas. Os usuários ainda podem disponibilizar as próprias músicas (serviço bem interessante para novos cantores e bandas divulgarem seu trabalho) e montar transmissões (rádios online) para outros ouvintes acompanharem.

Está disponível na versão para dispositivos móveis, como também tem uma versão paga - para tirar as propagandas e melhorar a qualidade da transmissão (além de poder baixar o programa para ouvir no computador e sincronizar com outros serviços).

Spotify (www.spotify.com/br)   

3

O Spotify estreia sua versão brasileira e estará disponível para todos em 28 de maio, mas algumas pessoas convidadas já estão usando o serviço de transmissão de música pela internet. Segundo o próprio serviço, hoje seu banco de dados tem mais de 20 milhões de músicas, de diversos artistas e estilos.

A versão gratuita permite ouvir prontas e montar personalizadas playslits temáticas (como no Superplayer), acessar rádios online, seleções de mais ouvidas e álbuns de forma aleatória. Já a versão paga elimina as propagandas (que são bem inconveniente: por exemplo, você está ouvindo uma rádio de rock e, entre as músicas, aparece uma propaganda de pagode) e permite ouvir músicas em sequência personalizada, além de ser possível baixar as músicas para ouvir offline.

Diferente dos dois serviços anteriores, o Spotify tem um sistema bem preciso de recomendação: pelas primeiras músicas que o usuário marcar como favoritas, o sistema oferecerá outros artistas relacionados (bem interessante para quem gosta de garimpar sons). Já a versão para dispositivos móveis tem um bom desempenho mesmo com a qualidade precária de sinal de internet.

99Taxis chega em Santa Catarina

23 de abril de 2014 0
Screenshot_2014-04-23-12-50-59

 

Agora está disponível para uso em Santa Catarina o aplicativo gratuito 99Taxis. As cidades habilitadas para chamar uma corrida pelos smartphones, sem precisar telefonar, são: Itajaí, Balneário Camboriú, Camboriú, Navegantes, Itapema, Penha, Blumenau, Florianópolis e Joinville - segundo os desenvolvedores, em breve novas cidades oferecerão o serviço.

Para quem ainda não conhece, o 99Taxis surgiu em 2012 em São Paulo, para facilitar os pedidos de corridas. Entre os principais benefícios em usar o aplicativo estão a comodidade, a rapidez e a segurança: os taxistas tem a documentação verificada na hora do cadastro, enquanto os usuários também devem fornecer suas informações (ou seja, ambas as partes sabem com quem estão andando). O sistema de pagamento do taxímetro também é facilitado, sendo possível usar dinheiro, crédito, débito e até PayPal.

Depois de baixar o 99Taxis pelo Google Play, Apple Store ou Windows Store, basta preencher algumas informações de cadastro. O próprio aplicativo vai usar o GPS do aparelho e verificar sua localização, para, em seguida, buscar o táxi mais próximo que está cadastrado no serviço. O aplicativo é muito útil em todo o Brasil, principalmente quando se está em uma pouco conhecida. E, em média, leva sete minutos para a chegada do táxi (estatística do próprio aplicativo).

Já o taxista que quiser atender seus clientes pelo aplicativo deve se cadastrar primeiro pelo site www.99taxis.com/taxista. E segundo Eduardo Aguiar, que é taxista em Itajaí e está cadastrado no 99Taxis, seu faturamento já aumentou 20% – sem aumentar os custos para os passageiros.

Dica de leitura: Jogador Nº 1

29 de março de 2014 0

ernie-cline-delorean-ready-player-one-cover-horz copy

Chegou o dia em que o mundo virtual superou o mundo real. E uma grande rede social chamada OASIS virou o sinônimo de internet, juntando em um só lugar todos os jogos, salas de bate-papo e ambientes virtuais existentes. Toda a humanidade acessa, como uma forma de escapar de um futuro miserável, dominado por corporações e com escassez de recursos. Mas o programador do OASIS, o gênio James Halliday, morreu. Em seu testamento, ele deixou uma fortuna de mais de 25 bilhões de dólares e mais o controle total sobre o sistema que criou, com uma condição: irá ficar com tudo isso a pessoa que encontrar o Easter egg dentro da simulação. Toda a humanidade ficou com a esperança de ter uma nova vida com o prêmio, principalmente Wade Watts – ou mais conhecido como Parzival no mundo virtual.

ernie-cline-delorean-ready-player-one-cover-horz2

Este é o cenário principal do livro Jogador Nº 1 escrito por Ernest Cline (da Editora Leya, mesma responsável por trazer ao Brasil a Guerra dos Tronos). A história é uma homenagem e uma aventura com referências a videogames clássicos e a cultura pop dos anos 80, porque o criador do OASIS era um nerd hardcore fã de tudo isso e criou seu testamento/jogo com pistas baseadas nestes elementos. De uma forma bem direta, e ao estilo do próprio livro, é possível resumir tudo como: um Harry Potter, que entra conscientemente na Matrix, para encontrar o bilhete premiado da Fantástica Fábrica de Chocolate, para salvar a humanidade de uma corporação do mau, que quer o prêmio para dominar tudo como o Sauron do Senhor dos Anéis (se você entendeu isso, com certeza vai gostar do livro).

O mais legal do Jogador Nº 1 é que quem também é fã dessas coisas vai se identificar muito. Desde os clássicos do Atari 2600, passando por filmes como De Volta Para o Futuro, os jogos de Dungeons & Dragons e as músicas do Rush, tudo na história está recriado dentro do OASIS, onde as pessoas podem interagir e jogar com a sensação mais fiel de realidade. E todas as referências deixam a leitura do livro bem fluída, porque o autor não precisa ficar descrevendo muitos os objetos (quem não sabe como é um DeLorean?) e consegue assim desenvolver bem a ação.

ernie-cline-delorean-ready-player-one-cover-horz3

O livro também detalha muito bem os tipos de jogadores e situações comuns nos jogos, que agora estão em escala global (imagine toda a humanidade dentro de um MMO, usando o lugar para estudar ou disputar posições sociais com bolas de fogo, armas lazer e robôs gigantes). Além disso, a experiência de ler Jogador Nº 1 é muito parecida com jogar, pois quem conhece as referências começa a tentar desvendar os mistérios com Parzival, que o levam para as três chaves, que abrem as portas para o grande prêmio. É claro, sem os modernos equipamentos tecnológicos de imersão virtual da história, mas com a melhor plataforma que existe até hoje: nossa imaginação.

Confira abaixo o prólogo do livro Jogador Nº 1 se você ficou interessado em mais:

 

Bookmark and Share

Duolingo é o melhor curso de inglês portátil

15 de janeiro de 2014 1

d3Imagem: Divulgação / Duolingo

O título já resume tudo: o Duolingo é um aplicativo para aprender e reforçar idiomas, disponível de graça e sem propagandas para iOs e Android. Por enquanto tem disponível apenas o inglês a partir do português – mas é possível aprender outros idiomas, como francês, espanhol e italiano a partir do inglês.  Diferente dos sites que oferecem cursos com “professores americanos”, ele usa como método de ensino a gameficação ao transformar as questões em desafios e os acertos em recompensas.

d1
Imagem: Divulgação / Duolingo

O objetivo do Duolingo é ensinar a ler, escrever, ouvir e falar, com base em uma árvore de idioma dividida em níveis: básico, médio e avançado. Cada um deles têm vários módulos, como saudações, comidas, animais, entre outros. E cada uma dessas categorias tem um conjunto de questões, onde o usuário deve traduzir palavras escrevendo, selecionando opções e até mesmo falando, pois o aplicativo usa o fone dos aparelhos para captar a voz e testar a pronúncia. Há também alguns atalhos, testes de aptidão para avançar etapas, caso já se tenha um bom conhecimento.

A característica mais interessante é que durante cada lição há corações (como as vidas de jogos de videogame). Se forem perdidos todos os corações, a lição falha e é preciso repetir para reforçar. Caso a lição seja concluída com todos os corações há um bônus de pontos e de “Lingots”, uma espécie de moeda virtual que pode ser trocada por outros bônus e lições extras no site www.duolingo.com ligado ao aplicativo.

d2
Imagem: Divulgação / Duolingo

O Duolingo usa ainda as conexões com amigos dos perfis sociais (Facebook e Google+), para criar uma tabela de pontos. E a ideia de competição incentiva ainda mais a usar o aplicativo e praticar o idioma. Além disso, há bônus para quem realiza grandes “ofensivas”, que são dias seguidos de aprendizado. Se precisar também é possível programar lembretes das aulas. Tudo restrito ao próprio aplicativo, sem aqueles pedidos chatos de jogos sociais que infestam o Facebook.

Todas estas características contribuem para o Duolingo ser um aplicativo fácil e útil de usar. Tanto que ele foi eleito pelos usuários um dos melhores aplicativos de 2013 do iTunes e do Google Play. Também por ser portátil é ótimo para enfrentar filas ou aproveitar alguns minutos do intervalo do almoço, pois cada lição pode ser feita facilmente em 10 ou 15 minutos. E segundo os próprios desenvolvedores, 34 horas de prática no Duolingo equivalem à um semestre em um curso normal. Ou seja, quem começar agora vai conseguir uma boa base para conversar com os visitantes que vierem para a Copa do Mundo.

Bookmark and Share

Nem eu acredito, mas é verdade. Vírus no Facebook? Usuários estão clicando em links maliciosos

11 de novembro de 2013 2

noticia_81637

Uma loira está fazendo sucesso no Facebook, prometendo resolver os problemas de quem quer perder peso. Mas na verdade, a moça boquiaberta é apenas a nova armadilha de um vírus para pegar usuários desatentos.

Quem clica no link da postagem que ela aparece é levado para um arquivo compartilhado do Google Drive, que tem o objetivo de infectar o perfil do usuário. Depois que o programa malicioso se instala, ele passa a usar o computador e a conta de quem clicou para se espalhar – marcando amigos, aparecendo como uma postagem normal e continuando seu ciclo.

O efeito colateral (além da inconveniência de sugerir que a pessoa precisa perder peso) é a invasão da conta do Google Drive de quem clicou. O serviço ainda não é muito popular, mas, se por acaso a pessoa já tem grande parte da sua vida digital na nuvem do Google, o estrago pode ser grande.

Há registros também desse vírus poder afetar contas do Dropbox e do Skydrive. Além disso, o golpe está mascarado em mais duas versões até agora:

“a solução para os meus problemas: :) REVELADO: Mãe Ganha R$ 16.000/Mês E Você Não Irá Acreditar Como Ela Faz Isso!”

solucao_virus

“Brincadeira sem graça termina em Morte em prédio em Recife”

morte_virus

 

Como remover os vírus do Facebook

- É muito importante sempre ter um antivírus instalado e atualizado no computador.

- Verifique se não há algum aplicativo estranho instalado no seu Facebook. Para isso acesse a sua Central de Aplicativos: para remover qualquer coisa estranha, passe o mouse sobre o ícone e clique no “x” que aparece no canto superior direito. Se tiver dúvidas, apague todos e depois reinstale o que precisar.

- Se você usa o Google Chrome,  o vírus pode ter se instalado como uma extensão do navegador. Para ver sua lista de extensões digite na barra de navegação (onde aparecem os endereços dos sites) chrome://extensions. Verifique a lista e se encontrar algo suspeito, clique no ícone de lata de lixo que fica na frente da extensão para apagar. Na dúvida também elimine todas.

- O vírus também pode estar nas extensões do Firefox. Neste caso, clique no botão laranja do “Firefox”, que fica no canto superior esquerdo do navegador e depois em “Complementos”. E aqui é a mesma coisa: desinstale as extensões suspeitas ou todas na dúvida.

- Instale o aplicativo Norton Safe Web no seu Facebook. É um programa que protege sua conta contra as principais pragas virtuais. Para saber como usar, clique aqui.

- É importante trocar a senha dos perfis afetados.

- Não clique em nada que tenha o endereço googledrive.com abaixo do título da postagem. Também tenha muita atenção com links encurtados (tiny.ur, migre.me, ow.ly, goo.gl e bit.ly), que também podem esconder armadilhas.

- E, claro, não clique em links suspeitos, mesmo se for de seus amigos. Principalmente se for algo “inacreditável” e com soluções milagrosas.

Na dúvida sobre qualquer procedimento, procure um técnico especializado.

ATUALIZAÇÃO

- Em comentário via Facebook, Jean Marcel Kretzschmar também recomenda a instalação e o uso do AdwCleaner – um programa que ajuda a encontrar e eliminar spywares e adwares (os aplicativos que causam problemas).

Bookmark and Share

Regras para uma vida digital móvel mais equilibrada

04 de outubro de 2013 0

Como nos relacionamos com as novas tecnologias? Esta é a dúvida do projeto On The Go, que lista uma série de regras não escritas de convivência no mundo digital em alguns vídeos muito interessantes. O objetivo principal do grupo é entender o consumidor móvel brasileiro (sim, você mesmo que tem a internet no bolso no seu smartphone ou tablet), mas a reflexão de nossos hábitos diários com a tecnologia vai mais além.

Pessoas que não são “tecnomaníacas’’ ou ‘‘early adopters’’ são exemplos de um comportamento mais verdadeiro (ou considerado ideal para um vida mais saudável), equilibrando da melhor forma possível o uso consciente com as necessidades de informação.

Em os 7 Mandamentos da boa convivência online: Como lidar com os benefícios trazidos pela tecnologia móvel sem prejudicar a convivência social? Pode parecer óbvio mas o fato de estarmos 100% conectados não significa que estamos 100% disponíveis.

Em Celular – Super poderes para todos: Como os celulares estão transformando a vida de pessoas comuns? Conheça as histórias de 3 pessoas que graças a novos usos da tecnologia móvel conseguiram acelerar seu crescimento profissional.

Na Era do Desapego: Como a nuvem está mudando a forma como lidamos com o sentimento de propriedade? Entenda por que no futuro o acesso à informação será mais importante do que a posse e conheça alguns exemplos práticos de quem já está vivendo essa realidade.

Bookmark and Share